As 10 eras geológicas: da origem da Terra aos dias de hoje


As eras geológicas são divisões na história da Terra. Sim, nosso planeta tem uma história – bem longa, aliás. Desde que a Terra surgiu, há 4,56 bilhões de anos, ela passou por diferentes fases, que os geólogos (cientistas que estudam o nosso planeta) chamam de eras, que nada mais são do que unidades na escala geológica (ou escala de tempo da Terra).

Estas são as dez eras da Terra:

  1. Eoarqueano
  2. Paleoarqueano
  3. Mesoarqueano
  4. Neoarqueano
  5. Paleoproterozoico
  6. Mesoproterozoico
  7. Neoproterozoico
  8. Paleozoico
  9. Mesozoico
  10. Cenozoico

Nós, seres humanos, vivemos na Era Cenozoica, que significa “vida moderna” e se iniciou há 65 milhões de anos. Além das eras, há outras unidades na escala geológica: os éons (maiores que as eras), os períodos (divisões das eras) e as épocas (divisões dos períodos).

Cada era é determinada por acontecimentos de grande importância, como a formação das rochas, o surgimento da vida ou a extinção de um grupo de animais, como os dinossauros.

escala geológica

Assim, dá para dizer que as eras são unidades que os cientistas utilizam para dividir o calendário geológico em seus eventos mais importantes. Tal como dividimos o ano em meses, os geólogos dividem o calendário da Terra em eras. 

As quatro eras do Arqueano (3,85 a 2,5 bilhões de anos)

Eoarqueano, Paleoarqueno, Mesoarqueano e Neoarqueano 

Essas quatro eras fazem parte do Éon Arqueano, que se iniciou há 3,85 bilhões de anos e terminou há 2,5 bilhões de anos.

Mas a história da Terra não se inicia no Arqueano. O primeiro éon, na verdade, chama-se Hadeano, que começa com a formação do Sistema Solar e termina com o surgimento das primeiras rochas aqui na Terra. Aliás, a formação das rochas é o evento que marca o início do Éon Arqueano.  

Ao longo das quatro eras desse éon, podemos destacar alguns eventos importantes na história da Terra: intensa movimentação das placas tectônicas e formação dos primeiros continentes. Na Era Paleoarqueana, formou-se Vaalbara, o primeiro continente da Terra. Ele acabou se fragmentando na era seguinte.

Fósseis dessa época dão conta de que já existia vida na Terra. Porém, nessa fase do nosso planeta, a vida se restringia a organismos mais primitivos, como as bactérias.

As formas de vida mais antigas do nosso planeta, os estromatólitos, surgiram nessa época. Os estromatólitos são estruturas marinhas (colônias) formadas por cianobactérias (semelhantes às algas).

Veja também: Principais teorias da origem da vida na Terra

As três eras do Proterozoico (2,5 bilhões de anos a 542 milhões de anos)

Paleoproterozoico, Mesoproterozoico e Neoproterozoico 

Essas três eras fazem parte do Éon Proterozoico, iniciado há 2,5 bilhões de anos. A última era dessa fase, a Neoproterozoica, encerrou-se 542 milhões de anos atrás, o que faz desse éon o mais longo de todos, com quase 2 bilhões de anos de duração.

Na Era Mesoproterozoica formou-se o supercontinente Rodínia, que deu origem a todos os outros continentes posteriores. Às margens desse continente único viviam os primeiros animais da história terrestre.

Antes do Éon Proterozoico, praticamente só havia dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. No Proterozoico a atmosfera terrestre se enriquece de oxigênio, criando condições para o surgimento de formas de vida maiores e mais complexas.

Os organismos primitivos do primeiro éon deram lugar, a partir da Era Neoproterozoica, a organismos multicelulares. Trata-se da Biota ou Fauna de Ediacara.

A Fauna de Ediacara era formada por animais marinhos multicelulares, constituídos por tecidos e órgãos, que podiam chegar a 1 metro de comprimento. Os fósseis desses animais, que viveram há cerca de 600 milhões de anos, foram encontrados na região de Ediacara, na Austrália.

fóssil Ediacara
Fóssil de cerca de 8 cm de um Dickinsonia costata, organismo ediacarano. 

O fim da Era Neoproterozoica marca o término da fase Pré-Cambriana, nome que se usava antigamente para denominar o longo período da história da Terra que abrange os três primeiros éons: o Hadeano, o Arqueano e o Proterozoico.

Era Paleozoica (542 a 248 milhões de anos)

A Era Paleozoica é a primeira do Éon Fanerozoico, em que vivemos até hoje. Ela começa há “apenas” 542 milhões de anos – Paleozoico significa “vida antiga”. Apesar desse nome, do ponto de vista do tempo geológico, trata-se de uma era bastante recente.

A Era Paleozoica é marcada por eventos muito importantes na história do nosso planeta. Um deles, conhecido como “explosão cambriana”, caracteriza-se pela diversificação e disseminação da vida no planeta.

Surgem no Período Cambriano, o primeiro do Paleozoico, vários tipos de animais invertebrados, como os moluscos. Também surgem animais com carapaças, como os braquiópodes, e os peixes. Peixes mais desenvolvidos, com pares de nadadeiras, surgem no período seguinte ao Cambriano, o Ordoviciano.   

Apesar da vida ser predominantemente marinha, surgem na Era Paleozoica algumas formas de vida terrestres: as primeiras plantas, os anfíbios, os répteis e os insetos.

Esses animais se espalham pelo supercontinente de Gondwana, formado a partir dos fragmentos do antigo continente Rodínia. No Período Devoniano, surgem as primeiras florestas, favorecendo a vida terrestre.

No final da Era Paleozoica ocorre a extinção em massa de várias espécies marinhas e terrestres. Ainda não se sabe se esse evento teria sido provocado por mudanças climáticas ou pelo aumento das erupções vulcânicas.

Era Mesozoica (248 a 65 milhões de anos)

A Era Mesozoica (“vida média”) compreende a fase da Terra entre 248 e 65 milhões de anos atrás. Um acontecimento marcante da Era Mesozoica foi a formação do supercontinente Pangeia, há cerca de 200 milhões de anos.  

Após a extinção em massa do final do Paleozoico, a vida se diversificou na gigantesca Pangeia. É nessa era que surgem os enormes dinossauros e também os répteis voadores (pterossauros). Os dinossauros dominaram a Terra em pouco tempo, mas logo foram extintos.

Há 65 milhões de anos, no Período Cretáceo dessa era, um enorme meteorito pôs um fim à existência desse grupo de animais.

Durante a Era Mesozoica, surgiram as primeiras plantas com flores e as primeiras aves. São também dessa época os primeiros mamíferos. Ainda não estamos falando dos grandes mamíferos que conhecemos hoje em dia, mas de animais pequenos, à semelhança dos ratos.     

Era Cenozoica (65 milhões de anos até o presente)

A Era Cenozoica (“vida moderna”) se inicia há 65 milhões de anos, com o evento que provocou a extinção dos dinossauros, e se estende até os dias de hoje. Se tomarmos como ponto de partida o surgimento do nosso planeta, há 4,56 bilhões de anos, a Era Cenozoica corresponde a apenas 1,19% do tempo de vida da Terra.

No Cenozoico aconteceram eventos importantes que influenciaram diretamente no surgimento dos seres humanos. Durante essa era, a superfície da Terra adquiriu o aspecto que conhecemos hoje: a formação dos continentes e das cadeias de montanhas e o isolamento da Antártida.

Aliás, os continentes, tais como conhecemos hoje, surgiram através da fragmentação da Pangeia, um supercontinente que começou a se fragmentar há 130 milhões de anos.

O mais curioso é pensar que essa movimentação é contínua – ou seja, ela ainda ocorre. Devido ao movimento das placas tectônicas, a África e a América do Sul continuam se afastando, ao passo que a costa oeste do nosso continente está se aproximando da Ásia.

Claro que esse movimento é lento – centímetros por ano. Mas se olharmos para o tempo geológico (que se mede não em dias e semanas, mas em milhões de anos), podemos prever que num futuro distante nem os continentes, nem os oceanos terão essa fisionomia que conhecemos hoje. Geólogos estimam um novo supercontinente pode se formar daqui a 250 milhões de anos.

Gostou desse conteúdo? Então confira estes também: