A história da Internet: de arma de guerra à meio de comunicação global


Estamos acostumados a estar conectados a todo momento, mas você sabe como a Internet que conhecemos hoje começou?

Ao contrário de outras tecnologias como a lâmpada ou o telefone, a Internet não teve um único “inventor”. Em vez disso, ela evoluiu com o tempo e percorreu um longo caminho, de uma medida defensiva na Guerra Fria ao maior meio de comunicação e compartilhamento que já existiu. 

Sputnik e a ameaça soviética

Sputnik
Lançamento do Sputnik serviu de alerta aos EUA

A Guerra Fria estava em pleno andamento na década de 1950, e os EUA estavam preocupados com a crescente evolução científica da União Soviética. Esse estado de alerta aumentou ainda mais quando em 1957, o primeiro satélite artificial do mundo, conhecido como Sputnik, foi lançado pelos soviéticos.

Após o lançamento, muitos americanos começaram a pensar mais seriamente sobre ciência e tecnologia. Escolas adicionaram cursos sobre química, física e cálculo, e as corporações receberam doações governamentais para investir em pesquisa e desenvolvimento científicos.

Além disso, o próprio governo federal formou novas agências, como a NASA e a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada (ARPA), para desenvolver novas tecnologias.

O nascimento da ARPAnet

Licklider

Cientistas e militares estavam preocupados com um ataque da União Soviética desde o espaço, que poderia causar a destruição da rede de comunicações de longa distância dos EUA.

Então, em 1962, um cientista da ARPA e do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) chamado J.C.R. Licklider propôs uma solução para esse problema: uma “rede galáctica” de computadores que poderiam se comunicar entre si. Tal rede permitiria que os líderes do governo se comunicassem, mesmo que os soviéticos destruíssem o sistema telefônico.

A ideia era construir um conjunto globalmente interconectado de computadores, onde todos pudessem acessar rapidamente dados e programas de qualquer site. Em principio, o conceito de Licklider era muito parecido com a Internet de hoje.

Em 1965, outro cientista do M.I.T. desenvolveu uma maneira de enviar informações de um computador para outro, chamada de “comutação de pacotes”. A comutação de pacotes divide os dados em blocos antes de enviá-los ao seu destino. Dessa forma, cada pacote pode seguir seu próprio caminho de um lugar para outro.

Sem a comutação de pacotes, a rede de computadores do governo - agora conhecida como ARPAnet - teria sido tão vulnerável à ataques inimigos quanto o sistema telefônico.

A primeira mensagem enviada

Login
Registro da primeira mensagem enviada pela ARPANET

Em 1969, a ARPAnet entregou sua primeira mensagem: uma comunicação “nó a nó” de um computador para outro.

O primeiro computador estava localizado em um laboratório de pesquisa na Universidade de Stanford e o segundo na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA). Cada um desses computadores cada o tinha o tamanho de uma casa pequena.

A mensagem enviada foi a palavra “Login”, e apesar inicialmente o computador de Stanford receber apenas as duas primeiras letras da palavra, essa mensagem marcou o lançamento da rede ARPA.

O crescimento da rede e conexão entre países

No final de 1969, apenas quatro computadores estavam conectados à ARPAnet, mas a rede cresceu de forma constante durante a década de 1970. Em 1971, foi acrescentada o ALOHAnet da Universidade do Havaí, e dois anos depois redes foram acrescentadas na University College de Londres e no Royal Radar Establishment na Noruega.

Mas à medida que as redes de computadores com comutação de pacotes se multiplicavam, ficava mais difícil as integrarem em uma única “Internet” mundial.

No final da década de 1970, um cientista da computação chamado Vinton Cerf havia começado a resolver esse problema desenvolvendo uma maneira de todos os computadores em todas as mini-redes do mundo se comunicarem entre si.

Ele chamou sua invenção de "Transmission Control Protocol", ou TCP. Mais tarde, ele adicionou um protocolo adicional, conhecido como “Internet Protocol”, o IP. A criação de Cerf foi como um aperto de mãos, que uniu computadores de diversos locais em um espaço virtual.

O surgimento da Internet como conhecemos: World Wide Web

Vint cerf e Tim Berners
Tim Berners-Lee e Vint Cerf (Crédito da Foto: W3C)

O protocolo de Cerf transformou a Internet em uma rede mundial, e ao longo da década de 1980, pesquisadores e cientistas a usaram para enviar arquivos e dados de um computador para outro. No entanto, em 1989, a Internet mudou novamente.

Naquele ano, Tim Berners-Lee, da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (CERN), criou o protocolo de transferência de hipertexto (http), uma padronização que deu a diversas plataformas de computadores a capacidade de acessar os mesmos sites da Internet. Por essa razão, Berners-Lee é amplamente considerado o pai da World Wide Web (www).

Desde então, a Internet mudou de várias maneiras. Em 1992, um grupo de estudantes e pesquisadores da Universidade de Illinois desenvolveu um navegador sofisticado que eles chamavam de Mosaic.

O Mosaic foi o primeiro navegador a mostrar imagens e textos na mesma página. Ele também ofereceu diversas interfaces gráficas que usamos até hoje, como a barra de endereço do URL do navegador e as opções de voltar e avançar.

Nesse mesmo ano, o Congresso decidiu que a Web poderia ser usada para fins comerciais. Como resultado, empresas de todos os tipos apressaram-se em criar seus próprios sites, e os empresários do comércio eletrônico começaram a usar a Internet para vender mercadorias diretamente aos clientes. 

E a evolução da Internet continua...

Redes Sociais

Em menos de sessenta anos, a Internet deixou de ser uma invenção complexa usada por universidades para se tornar parte do dia-a-dia de mais de 4 bilhões de pessoas em todo o mundo. Atualmente, mais da metade da população mundial está on-line, e pesquisas indicam um número de onze novos usuários por segundo. 

Em 2018, as redes sociais chegaram à marca de 3,196 bilhões de usuários, sendo que quase 1 milhão de pessoas começaram a usá-las pela primeira vez no ano anterior. Enquanto isso, compras online movimentaram 1,5 trilhão de dólares em 2017.

Como vocês podem ver, a Internet foi ganhando espaço e revolucionando o mundo, se tornando o maior meio de comunicação e pesquisa que já conhecemos. E se podemos ter certeza de algo, é que seu alcance vai chegar ainda mais longe!