Mitologia nórdica: as lendas e os deuses da Era Viking


A mitologia nórdica, também chamada de mitologia germânica, é o conjunto de histórias, crenças e conhecimentos que formava a religião dos povos escandinavos durante a Era Viking (século VIII ao XI d.C.). Trata-se de uma religião pagã (pré-cristã) cujos adeptos cultuavam vários deuses, dentre os quais Odin, Thor e Frigg. As lendas da mitologia nórdica tratavam de diversos aspectos da vida e da natureza, desde a criação do mundo até a sua destruição (Ragnarök). 

De uma maneira geral, a mitologia nórdica divide-se em quatro momentos: a criação do mundo, o início do tempo, o fim do mundo (Ragnarök) e o nascimento de um novo mundo. 

A origem do mundo na mitologia nórdica

Na mitologia nórdica, o início de tudo se explica pelo encontro do calor e do frio. Sim, antes de existir o mundo e os seres que o habitam, existiam dois reinos opostos: o reino frio de Niflheim e o reino quente de Muspelheim. Entre eles, havia um “enorme buraco” ou “vasto abismo” chamado Ginnungagap. 

A certa altura, esses dois reinos se expandiram, tocando-se. O fogo de Muspelheim derreteu o gelo de Niflheim, formando uma substância líquida chamada eitr, que deu origem às duas primeiras formas de vida: o gigante Ymir e a vaca Audhumla. Nessa fase primordial, o mundo era habitado por uma raça de gigantes, descendentes de Ymir. 

Bestla, a mãe dos primeiros deuses, era uma gigante. Seu marido se chamava Borr, que era filho de Buri, conhecido como o antepassado dos deuses. O surgimento de Buri é bastante curioso. Ele foi descongelado pela vaca Audhumla quando esta lambia o gelo.

Audhumla mitologia nórdica
A vaca Audhumla alimentando Ymir e descongelando Buri. Autor: Nicolai Abraham Abildgaar.

Da união do filho de Buri, Borr, com Bestla, nasceram os primeiros deuses da mitologia nórdica: Odin, Vili e Vé. Esses primeiros deuses foram responsáveis pela criação do mundo tal como o conhecemos. Eles fizeram isso matando o gigante original Ymir e fazendo uso dos pedaços de seu corpo para dar origem às diversas partes do mundo.

Da carne do gigante foi feita a terra, a morada dos seres humanos (Midgard). O sangue alagou o “vasto abismo” de Ginnungagap, dando origem aos oceanos. Dos ossos e dos dentes do gigante foram feitas as montanhas e as rochas. Dos seus cabelos foram feitas as matas. De seu cérebro, as nuvens. E de seu crânio, o céu. Tudo foi criado a partir do corpo do gigante Ymir, inclusive os seres humanos

A criação dos seres humanos

O primeiro homem e a primeira mulher surgiram da madeira. Os deuses Odin, Vili e Vé encontraram dois pedaços de madeira na praia. Um dos pedaços deu origem ao primeiro homem (Ask), o outro deu origem à primeira mulher (Embla).

Foi o deus Vé quem lhes deu os cinco sentidos. A inteligência e os sentimentos foram dados por Vili. Coube ao deus Odin completar o serviço, dando aos seres humanos a respiração - e, portanto, o princípio da vida. 

Yggdrasill: a "árvore do mundo"

Na mitologia nórdica, o universo é representado por Yggdrasill, também chamada de “árvore do mundo” ou “árvore cósmica”. Ela é descrita na Edda Poética, fonte importante dos mitos escandinavos, como um freixo gigantesco que sustenta os nove mundos.

Yggdrasill árvora do mundo
Representação de 1859 de Yggdrasill, a "árvore do mundo". Autor: Finn Magnusen (1859).

As responsáveis por cuidar de Yggdrasill são as nornas Urðr, Verðandi e Skuld. As nornas são três figuras femininas bastante poderosas, que se utilizam da água do poço Mimir, que fica aos pés da árvore mítica, para regá-la.   

Yggdrasill conecta os nove mundos, desde a morada dos deuses (Asgard) até o mundo dos seres humanos (Midgard). Todos os seres da mitologia nórdica vivem nesses mundos, que se distribuem pelas raízes e galhos da grande árvore mítica. Esses mundos são mencionados na Edda Poética

Os nove mundos da mitologia nórdica

Vejamos, um por um, quais são os nove mundos da mitologia nórdica:

  • Asgard: é a casa dos deuses, a fortaleza onde vivem as divindades escandinavas do clã Aesir, como Odin, Thor e Frigg. Situa-se num plano superior, próximo do céu. 
  • Midgard: é a casa dos seres humanos. Segundo o mito, foi feita a partir da carne do gigante Ymir e situa-se abaixo de Asgard. 
  • Vanaheim: é a casa dos Vanir, um clã de divindades nórdicas associadas à fertilidade e à natureza, como Freya, Freyr e Njord. Sua localização é incerta, mas é provável que fique a oeste de Asgard.  
  • Nidavellir (Svartalfheim): é a casa dos anões, que são mestres ferreiros. Nidavellir é situada no subsolo e formada por túneis, à semelhança das minas. 
  • Jotunheim (Utgard): é o reino dos gigantes, situado completamente fora do mundo da civilização e da cultura (representados por Midgard). Na mitologia nórdica, os gigantes são descritos como forças caóticas e destruidoras.  
  • Muspelheim: é a casa dos gigantes do fogo. O reino do fogo aparece tanto no mito de criação do mundo quanto no Ragnarök. 
  • Alfheim: é a casa dos elfos, semideuses conhecidos por sua beleza. Esse mundo é governado pelo deus Freyr, que pertence ao clã dos Vanir.  
  • Niflheim: é o reino do gelo, do frio, da névoa e da escuridão primordial. No mito de criação do cosmos, é o reino que se opõe a Muspelheim.   
  • Hel: submundo, reino dos mortos, governado pela deusa de mesmo nome (Hel). A palavra tem a mesma origem do termo inglês hell, que designa o inferno das religiões cristãs.

Os principais deuses da mitologia nórdica

A religião dos povos escandinavos era politeísta. Isso significa que eles adoravam muitos deuses. Vejamos quais são as principais divindades do panteão nórdico:

Odin

Conhecido como O Pai de Todos, Odin é o deus mais importante da mitologia nórdica. É onisciente (sabe tudo) e com seu corcel de oito patas (Sleipnir) pode chegar rápido a qualquer lugar. Deus da guerra e da magia, é o mais sábio e o mais poderoso, além de ser o deus responsável pela criação do mundo. Ávido por conhecimento, diz a lenda que Odin sacrificou um de seus olhos para ter acesso ao poço Mimir e beber a água da sabedoria. 

Deus Odin
Detalhe de desenho de Odin. Autor: Victor Villalobos.

Veja também: Deus Odin: curiosidades sobre a divindade adorada pelos vikings e Valhala: o magnífico salão do deus Odin.

Frigg

Deusa Mãe, associada à fertilidade, à maternidade e ao casamento. Frigg domina um tipo de magia (seidr) que permitia conhecer o futuro e até modificá-lo. Frigg é a esposa de Odin, ao lado do qual governa o clã Aesir. 

Frigg
A deusa Frigg cercada por suas criadas. Ilustração do livro Asgard e os deuses: os contos e tradições de nossos ancestrais do norte (1902). Autor desconhecido.

Thor

Thor é o Deus do Trovão, famoso por suas habilidades guerreiras e sua força excepcional. É um guerreiro honrado, justo e corajoso. Sua principal tarefa é proteger a fortaleza dos deuses (Asgard) das investidas dos gigantes. Sua arma é o martelo.  

deus Thor
Detalhe do quadro Thor luta com os gigantes (1872), de Mårten Eskil Winge.

Freya

Filha de Njord, Freya é uma das principais deusas do clã Vanir. Filha de Njor e irmã gêmea de Freyr, é uma deusa associada ao amor, à fertilidade, à riqueza e à abundância. Nos mitos nórdicos, Freya também aparece associada à sexualidade e à luxúria.     

Muitas representações artísticas mostram a carruagem da deusa Freya sendo conduzida por dois gatos, embora não haja um consenso entre os estudiosos sobre qual espécie animal faz esse serviço. Alguns dizem ser o urso.   

Freya
Freya procurando seu marido (1852), de Nils Jakob Olsson Blommér.

Freyr

Irmão gêmeo de Freya, Freyr também pertence ao clã Vanir. Era uma divindade pagã muito adorada pelos povos nórdicos, que acreditavam que a prosperidade, a fertilidade e o bem-estar dependiam da boa vontade de Freyr. Por isso, este deus é associado à abundância e à fertilidade.  

Njord

Njord é o pai de Freyr e Freya, e sua esposa é provavelmente Nerthus. É um deus associado sobretudo à riqueza. Vive na praia, numa caverna úmida e escura. Também é associado ao mar e às viagens marítimas.   

Balder

Segundo filho de Odin e Frigg, Balder é um deus do clã Aesir. É conhecido por sua beleza exuberante. Sua face é tão iluminada que chega a brilhar. É também descrito como muito piedoso, sábio e puro. E por isso, todos os deuses de Asgard o adoram. Numa das versões do mito de Balder, ele é morto involuntariamente por Hodr, após uma trama de Loki, o deus trapaceiro.   

Forseti

Filho de Balder e Nanna, Forseti é o Deus da Justiça. Na Edda Poética está escrito que Forseti, de seu palácio ornado de ouro e prata (Glitnir), resolve as disputas de acordo com a lei. É um exímio orador e juiz.  

Idun

Idun é a deusa Aesir da imortalidade e do rejuvenescimento. É descrita numa das histórias da mitologia nórdica como aquela que guarda os frutos mágicos da imortalidade. Portanto, ela é a responsável pelo fato dos deuses não envelhecerem. 

Bragi

É o Deus Poeta, marido de Idun, caracterizado por sua profunda sabedoria. Ele vive no salão de Odin (Valhalla) declamando seus poemas aos guerreiros mortos que vivem na corte do Pai dos Deuses. 

Vali

Filho de Odin e da giganta Hindr, Vali é descrito como um bom arqueiro. É citado na Edda Poética como o responsável por matar Hodr, vingando a morte de Balder, seu irmão. Por isso, é conhecido como Deus da Vingança. Está entre os poucos deuses que sobrevivem ao fim do cosmos (Ragnarök). 

Vidar

Sabe-se pouco de Vidar, senão que é filho de Odin e que teve papel importante durante o evento conhecido como Ragnarök: o fim do mundo. No dia do Ragnarök, durante a terrível batalha entre os deuses e os gigantes, Vidar matou o lobo Fenrir, vingando a morte de seu pai, Odin. Por isso, Vidar ficou conhecido como deus guerreiro, quase tão forte quanto Thor.  

Tyr

Tyr é o Deus da Guerra e da Justiça. Na Edda Poética, há uma passagem em que a valquíria Sigrdrifa (uma divindade feminina que serve Odin) aconselha o herói Sigurd para invocar o deus Tyr, já que este poderia ajudá-lo na guerra. Enquanto divindade das leis, Tyr é responsável por aprisionar, de forma legítima, o lobo Fenrir.  

Loki

Loki é o Deus Trapaceiro, conhecido por sua covardia, irreverência e malícia. É o pai de Hel, a deusa do submundo, e também da gigantesca serpente Jormungand, que trava com Thor uma luta mortal no dia do Ragnarök, que resulta na morte de ambos. Outro filho de Loki que causou bastante problemas é Fenrir, o lobo monstruoso que matou Odin.  

Hel

Hel é a Deusa do Submundo, onde vivem boa parte dos mortos. Hel é filha do deus trapaceiro Loki e da giganta Angrboda. Seus irmãos são o lobo Fenrir e a serpente Jormungand. Hel é descrita na Edda em Prosa, de autoria do historiador Snorri Sturluson, como sendo metade branca, metade negra. Sua expressão sugere ferocidade, crueldade e insensibilidade.

Hel é uma das personagens mais importantes do mito de Balder, o amado filho de Odin e Frigg. Quando Balder é assassinado por Loki, há uma grande comoção entre os deuses para que a deusa dos mortos devolva Balder. Ela exige, em contrapartida, que todos, sem exceção, chorem pela sua perda. E, de fato, todos choram, exceto uma giganta - que nada mais era que o próprio Loki disfarçado! Assim, em razão do não cumprimento dessa exigência, Hel não permitiu que Balder voltasse à vida.

Gostou desse conteúdo? Então vai gostar destes também: