Os 13 principais anjos e suas características


Os anjos são criaturas celestiais que possuem habilidades e poderes sobre-humanos (ou seja, para além das capacidades humanas). Eles são seres espirituais que servem a Deus. De um modo geral, atuam para ajudar, orientar e proteger as pessoas. Em latim, angelus significa "mensageiro". Os anjos são mensageiros de Deus. 

Organizamos uma lista com os principais seres angelicais conhecidos. Alguns são citados na Bíblia (como Miguel e Gabriel), outros são mencionados em textos de outras tradições religiosas, como a judaica e a islâmica. Como você verá, muitos deles se empenham em ajudar os seres humanos. Mas nem todos esses anjos são "do bem" (é o caso de Abbadon e Azazel).   

Miguel

O Arcanjo Miguel ocupa o topo da hierarquia celeste. Seu nome é citado em várias passagens da Bíblia. Em Daniel 12:1, ele é mencionado como o “grande príncipe” que garante a proteção do povo judeu. Em Apocalipse 12, vemos que Miguel comandou as hostes celestiais na grande batalha que culminou na expulsão de Satanás e seus anjos rebeldes do Paraíso. É por isso que Miguel geralmente é representado como um guerreiro, trajando armadura de ferro e empunhando uma espada. 

O Arcanjo Miguel ficou conhecido como o grande protetor do povo de Deus e o maior representante da luta entre Deus e o Diabo. Em hebraico, Mi-ka-el (que deu origem ao nome Miguel) significa “quem é como Deus”. 

arcanjo miguel
Estátua representado o Arcanjo Miguel empunhando sua espada.

Gabriel

Tal como Miguel, o Arcanjo Gabriel também é mencionado em algumas passagens bíblicas. Certamente a mais importante para os cristãos é aquela em que Gabriel anuncia a Maria que ela será a mãe de Jesus.

Enviado por Deus à cidade de Nazaré, na Galileia, Gabriel surpreende Maria e diz que ela dará à luz o “filho do Altíssimo”, cujo “reino não terá fim” (Lucas 1). Por isso, Gabriel é conhecido entre os cristãos como o portador das boas-novas, aquele que anuncia as revelações divinas.   

Arcanjo Gabriel
A Anunciação (1475), de Leonardo da Vinci, representa o momento em que Gabriel dá as boas-novas a Maria.

Rafael

As características do Arcanjo Rafael são reveladas no Livro de Tobias, na passagem em que o anjo acompanha Tobias em sua viagem a Ragés, na região da Média. A viagem é bem sucedida. Não só Tobias consegue recuperar um dinheiro que pertencia a seu pai, como, por intervenção de Rafael, liberta Sara do demônio, e Tobias acaba se casando com ela.

Além disso, seguindo os conselhos de Rafael, Tobias consegue curar seu pai da cegueira fazendo uso de um remédio preparado com fel de peixe. Por isso, Rafael é conhecido como o “arcanjo da cura”. Devido à história de Tobias, Rafael também é adorado como protetor dos viajantes e dos comerciantes. Seu símbolo é o peixe.

Rafael
Estátua do Arcanjo Rafael localizada na cidade de Córdoba, na Espanha.

Cassiel (Castiel)

Cassiel é um arcanjo reconhecido sobretudo no misticismo judaico. É conhecido como o anjo da solidão e das lágrimas, mas também como o anjo da temperança (moderação, equilíbrio).

Segundo a tradição mística judaica, Cassiel é príncipe ou governante do Sétimo Céu, controlando o acesso a essa região celeste. Por isso, nas representações artísticas, Cassiel geralmente aparece como um homem barbado usando uma coroa. As representações mais conhecidas mostram o anjo montando um dragão.   

Metatron

Metraton é um dos quatro grandes arcanjos na tradição judaica. Na tradição mística da Cabala, Metatron aparece como uma entidade angelical extremamente poderosa e importante. Ele é o único anjo que serve na presença imediata de Deus, portanto o único a possuir o privilégio de olhar diretamente para Ele. Um possível significado do nome Metatron é “aquele que está ao lado do Governante” ou “aquele que está próximo ao trono”.

Metatron é conhecido como o escriba do universo, cuja função é registrar todos os eventos terrestres e celestiais. Isso vem ao encontro da tese de que esse anjo teria sido originalmente o profeta Enoque, que Deus teria transformado em anjo devido ao seu enorme senso de justiça. Enoque também era um escriba. 

Uriel

O nome de Uriel só é mencionado em textos apócrifos (escrituras que não fazem parte do cânone bíblico), como o Segundo Livro de Esdras. No Primeiro Livro de Enoque, Uriel integra o grupo de anjos que protegem os seres humanos das ações pecaminosas dos chamados anjos sentinelas, que ousaram transgredir a fronteira entre o Céu e a Terra.

Também se atribui a Uriel a proteção da Árvore da Vida após a expulsão de Adão e Eva do Paraíso. Ele é normalmente descrito como “anjo da sabedoria”. Em hebraico, Uriel significa “fogo de Deus” ou “Deus é minha luz”. A relação desse arcanjo com o elemento fogo é evidenciada em boa parte das representações artísticas.

Arcanjo Uriel
Ícone ortodoxo representando o Arcanjo Uriel com seus dois elementos: a espada e o fogo.

Salatiel

Salatiel é reconhecido pela Igreja Ortodoxa como um dos sete arcanjos, ao lado de Gabriel, Rafael, Miguel, Jegudiel, Baraquiel e Uriel. É conhecido como “intercessor de Deus” ou “aquele que ora a Deus”. O “anjo da oração” é reconhecido pelos fiéis como aquele que auxilia as pessoas na sua conexão com Deus através da prece, protegendo-as contra possíveis obstáculos.

Nas representações artísticas, o arcanjo geralmente aparece olhando para baixo, com as duas mãos cruzadas sobre o peito, em postura que simboliza humildade e concentração. 

Baraquiel

Baraquiel é, ao lado de Salatiel e outros anjos, um dos sete arcanjos reconhecidos pela Igreja Ortodoxa. É conhecido como o arcanjo das bênçãos, devido ao seu papel de intermediador entre Deus e as pessoas que precisam da bênção divina. Por isso, é comum que os fiéis recorram a Baraquiel em momentos de grande necessidade e aflição. É representado na arte como uma bela criatura celestial segurando flores (geralmente rosas) ou espalhando suas pétalas. 

Jegudiel 

Um dos sete arcanjos da Igreja Ortodoxa, Jegudiel é o “glorificador de Deus”. Ele é visto pelos crentes como o anjo que dá força e ânimo àqueles que trabalham em favor da glória de Deus.

Associado ao trabalho, costuma ser procurado por pessoas que querem descobrir sua vocação, entendida como a atividade laboral mais adequada aos propósitos divinos. Em suas representações artísticas, pode-se notar que ele aparece segurando uma coroa, símbolo das recompensas divinas pelo trabalho de glorificação de Deus. 

Jeremiel  

O Arcanjo Jeremiel é mencionado em livros que não fazem parte do cânone bíblico, como o II Baruque. Neste livro, Jeremiel aparece como o anjo que governa as verdadeiras visões.

No livro apócrifo II Esdras, Jeremiel responde a perguntas feitas pelo profeta, uma delas relacionada ao “fim dos tempos”. Em III Esdras, Jeremiel é mencionado como a entidade celestial que inspira pensamentos que elevam o fiel a Deus. Enquanto “anjo das visões”, Jeremiel é conhecido por comunicar mensagens de Deus às pessoas.

Israfil

Israfil é um anjo proveniente da tradição islâmica. Israfil é o anjo que anuncia, através do toque da trombeta em Jerusalém, a chegada do Dia do Juízo Final. Por isso, todas as representações de Israfil mostram o anjo tocando trombeta.

O nome de Israfil não é mencionado no Alcorão. O conhecimento a seu respeito vem da leitura do conjunto de leis e histórias de Maomé, o Hadith. 

Azazel

Azazel é citado no Primeiro Livro de Enoque como um dos chefes dos anjos caídos, ao lado de Samyaza, Arakiba, Armen, Kokabiel e outros. Os anjos caídos são aqueles que, ao cruzarem a fronteira entre o Céu e a Terra, corromperam o gênero humano, espalhando miséria e iniquidade sobre a Terra. O Primeiro Livro de Enoque não integra os cânones judaico e cristão.

Segundo o Livro de Enoque, esses anjos que desceram á Terra ensinaram aos seres humanos muitas coisas secretas que antes só eram conhecidas no Céu. Azazel ensinou aos homens a fabricação de facas e espadas. Além disso, introduziu no mundo o uso de pedras valiosas, corantes e pinturas. A esses ensinamentos de Azazel e outros anjos se atribui a corrupção da humanidade. Por isso, esses anjos foram julgados e punidos por Deus.   

Abaddon

Em Apocalipse 9:11, lemos que Abbadon (Apoliom, em grego) é o “anjo do abismo”. Seu nome é citado na passagem em que se narram os eventos que sucedem o toque da quinta trombeta apocalíptica.

Abre-se o poço do abismo, que expele muito calor, fumaça e um exército de gafanhotos monstruosos, destinados a atormentar os seres humanos que trazem na sua testa o selo de Deus. Esses gafanhotos têm rosto de homem, cabelo de mulher, dentes de leão, caudas de escorpião e couraça tão dura quanto o ferro. O comandante desse exército de gafanhotos é o “anjo do abismo”: Abbadon.

Gostou desse conteúdo? Então experimente ler estes também: