Quem é Dionísio, o deus do vinho e do teatro na mitologia grega


Dionísio é o deus do vinho, das colheitas e do teatro. O deus grego é filho do deus Zeus, o rei dos deuses, com Sêmele, princesa de Tebas, uma mortal.

Na mitologia romana, o seu equivalente é Baco, que quer dizer um deus “bagunceiro” e “festivo”.

Estátua do deus Dioniso com uvas na cabeça
Escultura do busto de Dionísio no Museu Capitolini (©Saiko/Wikimedia Commons)

Outra forma escrita do nome do deus grego é Dioniso.

O nome do deus tem origem no grego Dionysios, em que dyu significa “céu, espírito, dia” e nisa “noite, água”. Portanto, os significados mais comuns para o nome do deus grego são “espírito das águas”, “o céu e as águas”, “dia e noite”.

Outros nomes que Dionísio é também conhecido são Bromios, Dendrites, Enorches e Eleutherios.

A uva e os outros símbolos do deus grego

Por ser o deus do vinho, a uva está entre os principais símbolos de Dionísio. Outro símbolo é o tirso, um bastão envolvido pela planta hera e o ramo de videira, com uma pinha no topo.

Dionísio também costuma estar sempre com um copo de vinho na mão e uma tiara de hera na cabeça.

Estátua do deus Dioniso com uvas na cabeça e um cálice na mão
Escultura de Baco (Dionísio) no Museu do Louvre (©Caroline Léna Becker/Wikimedia Commons)

As representações de Dionísio na arte podem variar bastante. Em algumas retratações, ele é visto como um jovem de feições delicadas. Em outras, como um homem velho de barba. Apesar disso, em ambas as situações, ele tem o símbolo das uvas presente e costuma ter uma postura alegre e festeira. Também apresenta feições embriagadas às vezes.

Em algumas versões, ele está com um manto feito de leão ou nu.

Alguns de seus principais animais são: a pantera, o tigre e a serpente.

O difícil nascimento de Dionísio

Por ser filho de Zeus com Sêmele, o nascimento de Dionísio não foi fácil. Afinal, Hera, deusa e esposa de Zeus, opôs-se ao relacionamento fora do casamento e resolveu vingar-se.

Como conta uma das versões mais populares do mito, Hera enganou Sêmele e fez com que ela visse todo o brilho do poderoso Zeus. Por ser mortal, Sêmele não suportou o brilho e virou cinzas.

Para salvar o filho, Zeus abriu uma fenda em sua coxa. Com isso, Dionísio pode aguardar o momento certo para nascer.

Após seu nascimento, Dionísio continuou a ter uma vida complicada, pois Hera resolveu atrapalhar a vida do pequeno deus. Ela enlouqueceu Dionísio. Depois de andar sem rumo, o deus foi curado pela deusa Reia, sua avó. 

A partir daí, Dionísio passou a contar com a ajuda de Sileno, seu tutor. Entretanto, durante muito tempo, Dionísio precisou vagar pelo mundo, para escapar das maldades da deusa vingativa Hera. 

Ao contrário de outros deuses do Olimpo, Dionísio somente passou a ocupar um lugar especial, entre os doze deuses, mais tarde na sua vida, após já estar mais popular e cultuado por diferentes cidades gregas, como conta a mitologia. Quando o deus subiu para o Monte Olimpo, ele ocupou o lugar da deusa Héstia.

O inventor do vinho

Laje do deus Dioniso com as ninfas
Dionísio com as Mênades, escultura localizada no Museu Arqueológico Nacional de Nápoles (©Saiko/Wikimedia Commons)

Na mitologia grega, Dionísio é considerado o deus que descobriu o vinho. Ele teria aprendido com Sileno como cultivar a uva e produzir a bebida. Assim, o deus grego teria depois ensinado aos mortais como cultivar uvas e como fazer a fermentação para dar origem ao vinho. Logo a bebida ficou conhecida na Grécia como sagrada.

Por atuar no cultivo das uvas, Dionísio ficou famoso por ser o deus da terra e das colheitas, junto da deusa Deméter, que também era popular pelo seu dom de possibilitar terras férteis. 

Pela sua relação com o vinho, Dionísio tornou-se um deus de festas, organizando muitos eventos no Olimpo. Aos poucos, pelo clima festivo, Dionísio também passou a popularizar-se como o deus do teatro e das artes. Muitos cantos e rituais de dança passaram a ocorrer na Grécia e, junto deles, representações teatrais. 

Dionísio viajou muito, levando os segredos do cultivo do vinho e das colheitas pelo mundo. Era, então, muito cultuado na mitologia romana e costumava estar sempre acompanhado pelas Mênades, as ninfas seguidoras de seu culto.

Ariadne, a esposa de Dionísio

Laje do deus Dioniso com Ariadne
Laje de cobertura com Dionísio e Ariadne, no túmulo de Cecilia Metella, localizada no Museu de Berlim (©Saiko/Wikimedia Commons)

O deus grego encontrou Ariadne, princesa e heroína, filha do soberano de Creta e de Pasífae, abandonada numa ilha, onde havia sido deixada por Teseu, descendente de Egeu, rei ateniense.

Ariadne, iludida de amor por Teseu, havia o ajudado a derrotar Minotauro, o monstro meio homem e meio touro. Ela ofereceu um fio, que ajudaria o amado a encontrar o caminho de volta, e uma espada para usar contra o monstro.

Após Minotauro ter sido derrotado, Ariadne teria sido abandonada na ilha de Naxos, onde Dionísio a encontrou.

Como conta a mitologia grega, Dionísio, então, apaixonou-se por ela, e eles casaram-se.

Gostou de ler mais sobre Dionísio? Se quiser conferir mais sobre mitologia grega, recomendamos: