Quem foi Deméter, a deusa da agricultura e “mãe das estações”


Deméter é, na mitologia grega, a deusa das colheitas e da agricultura. Ela é filha de Cronos e Reia, irmã de Zeus.

Deméter foi uma deusa muito importante para os agricultores, pois a mitologia associava-a à fertilidade do solo e sucesso das plantações. Assim, cultuavam a deusa na esperança de anos cheios de colheita.

Por estar relacionada ao desenvolvimento da terra e à vida possibilitada pelas colheitas, Deméter é também denominada de deusa da prosperidade.

Estátua da deusa Deméter
Estátua de Deméter no Museo Nazionale Romano Di Palazzo Altemps (©Marie-Lan Nguyen /Wikimedia Commons)

Deméter significa “mãe terra”

A relação da deusa com a agricultura e as colheitas é tanta que o seu próprio nome é associado à terra. Dessa forma, “de” significa geologia, geografia ou terra, enquanto “méter” quer dizer mãe.

Na mitologia romana, Deméter é equiparada à Ceres, a deusa dos cereais, filha de Saturno e Cibele. 

A espiga de milho é um dos símbolos da deusa

O trigo era um dos cereais mais sagrados para a deusa. Por essa razão, um dos símbolos mais famosos em que ela é retratada é a espiga de milho.    

Estátua da deusa Deméter com uma tocha na mão
Estátua de Deméter com uma tocha, no Museu Antigo, localizado em Berlim (©Yair Haklai/Wikimedia Commons)

Outros símbolos dela são: uma foice, um objeto utilizado na agricultura. Uma tocha, objeto utilizado por ela para buscar sua filha Perséfone quanto esta foi raptada por Hades. Uma cornucópia, que é uma cesta em forma de chifre, onde eram colocados os vegetais da colheita, assim como frutas e flores.

Perséfone e os outros filhos de Deméter

Estes eram os principais filhos da deusa: 

Perséfone: a deusa da primavera e rainha do submundo. Filha de Deméter e Zeus. A filha predileta de Deméter.
Pluto: deus da abundância, da riqueza e da generosidade. Ficou cego por culpa de Zeus, que não aceitava que Pluto só dava riquezas para pessoas boas. 
Aríon: cavalo negro, fruto de uma violação de Poseidon. Era um cavalo mágico, que conseguia falar. 
Despina: a deusa do inverno, famosa por trazer nevascas e geadas. Também fruto de uma violação de Poseidon.

O mito das estações do ano e o rapto de Perséfone

Pintura de Perséfone com a romã na mão, filha de Deméter
Perséfone com a romã na mão. Pintado por Dante Gabriel Rossetti em 1874

Como conta a mitologia grega, Perséfone foi raptada por Hades, o deus do submundo. Deméter, sem saber do ocorrido, passou a buscar incansavelmente sua filha.

Deprimida, por não saber onde estava Perséfone, Deméter deixou de cuidar das suas funções de manter a terra fértil, gerando um período terrível sem colheitas.

Após ela encontrar a filha no submundo, descobriu que Perséfone havia comido uma romã dada por Hades, o que impedia que a mãe pudesse levar a filha embora, conforme as regras do submundo. 

Hades e Deméter chegaram a um acordo: metade do ano, Perséfone ficaria com Hades e, na outra metade, com Deméter. Segundo outras versões, 2/3 do ano com Deméter e 1/3 do ano com Hades.

No tempo em que Perséfone passou a ficar com a mãe, tornou-se tempo de flores e ótimas colheitas. Era primavera e verão. Quando Perséfone ficava com Hades, Deméter ficava triste e a terra tornou-se infértil. Era outono e inverno. 

Esse mito seria a forma com que os gregos explicavam as estações do ano. Por essa razão, Deméter ficou conhecida como a "mãe das estações"

Pintura de Ceres, simbolizando o verão, com um anjo
"As Quatro Estações", parte detalhada do verão, personificado pela deusa Ceres (Deméter). Pintado em 1760 por Francesco Sozzi (©Fabrice de Nola/Wikimedia Commons)

O mito de Erisictão 

Conforme a mitologia grega, Erisictão era um rei da Tessália que não respeitava os deuses e decidiu derrubar uma floresta que era sagrada para a deusa. Entretanto, Deméter colocou um fim nos planos dele.

Por meio de seus poderes e com a ajuda de Éton, a Fome, ela provocou em Erisictão  um desejo constante e insaciável de comer. Ele ficou com uma fome sem fim que o arruinou. Primeiro, gastou e vendeu todos os bens que tinha. Depois, sem saída para terminar com sua fome, acabou por comer a si próprio. 

Um festival só para mulheres em homenagem a Deméter

Chamado de Thesmophoria, esse festival ocorria por volta de outubro e era realizado apenas por mulheres.

Entre alguns dos acontecimentos da festa, havia o pedido por boas colheitas, uma celebração da fertilidade e uma recapitulação do episódio angustiante em que Deméter ficou sem a filha, após ela ser raptada por Hades.

Se gosta de mitologia grega, você pode se interessar também por: