Mecanismo Antikythera: Decifrando o primeiro computador em 13 fatos


O mecanismo Antikythera é considerado o primeiro computador analógico da história, e desde sua descoberta, ele tem intrigado cientistas e pesquisadores.

Esse computador ficou submerso por mais de 2.000 anos na costa da ilha grega de Antikythera antes de ser encontrado, e apesar dos pesquisadores ainda não saberem com certeza quem o construiu, para que exatamente foi usado, quando foi construído e onde, alguns fatos estão ajudando a decifrar esses mistérios.

1. O que é e para que serve o Mecanismo Antikythera?

Mecanismo antikythea

O mecanismo Antikythera é o primeiro computador analógico do mundo. Ele foi usado pelos antigos gregos para mapear o movimento do sol, da lua e dos planetas, prever os eclipses lunares e solares e até mesmo sinalizar quando seriam os próximos Jogos Olímpicos.

Essa calculadora astronômica de mais de 2.000 anos também podia somar, multiplicar, dividir e subtrair. Seu calendário era baseado no tempo entre uma lua cheia até a próxima, e ele também permitia que o usuário visualizasse as estações, o que teria sido útil para a agricultura.

Além disso, desde que os antigos babilônios descobriram o ciclo dos eclipses, o inventor do mecanismo Antikythera incluiu dois mostradores que giram para mostrar os eclipses lunares e solares.

Mas a coisa mais sofisticada que o mecanismo fez foi os cálculos lunares! Ele poderia descobrir o período da Lua em um determinado momento e modelar sua órbita elíptica.

2. Como foi descoberto?

Ilha de Antikythera
Ilha de Antikythera

Na virada do século 20, um grupo de pescadores encontrou os destroços de um navio romano e seus tesouros enquanto mergulhavam pela ilha de Antikythera. 

Dois anos depois, em 1902, Spirydon Stais visitou o museu que abrigava os tesouros do navio de Antikythera, e então orquestrou a sua escavação submarina. No meio das moedas, esculturas e cerâmica, um pedaço de metal enferrujado verde chamou sua atenção. Era uma peça do antigo computador, que ficou conhecido como Mecanismo Antikythera.

3. A importância do mecanismo não foi reconhecida por 75 anos

O objeto de bronze e madeira foi encontrado junto com um carregamento de mármore, moedas, objetos de vidro e cerâmica em 1900. Como todos os outros artefatos chamavam mais a atenção, o mecanismo foi ignorado até 1951.

Apenas em 1974 foi feita a primeira publicação sobre o mecanismo Antikythera, pelo físico e historiador Derek de Solla Price. Mas Price faleceu em 1983, deixando seu trabalho inacabado e sem uma resposta sobre como o dispositivo realmente funcionava.

4. Quantos anos tem esse mecanismo?

Mecanismo

O instrumento foi diferentemente datado de cerca de 85 aC, mas estudos recentes sugerem que ele pode ser ainda mais antigo, por volta de 150 aC. Acredita-se que o navio de carga dentro do qual foi encontrado tenha afundado por volta de 60 aC.

5. Não se sabe ao certo o porquê dele estar no navio

Um astrofísico da Universidade de Atenas, Xenophon Moussas, teorizou que o barco em que o mecanismo foi encontrado poderia estar indo para Roma como parte de um desfile do imperador Júlio César no século I aC.

Outra teoria diz que o navio estava carregando os saques feitos pelo general romano Sulla em 87-86 aC. No mesmo período de tempo, o famoso orador romano Marco Túlio Cícero mencionou um planetário mecânico chamado "esfera de Arquimedes", que demonstrava como o Sol, a Lua e os planetas se moviam em relação à Terra.

Pesquisas mais recentes, no entanto, sugerem que o navio poderia estar a caminho de Roma, vindo da Turquia.

O caminho do navio tem sido difícil de rastrear porque o Egeu era uma área de navegação importante e movimentada naquele momento.

6. O mecanismo era tão avançado tecnologicamente que nada o superou até os 1500 anos

mecanismo anticitera

Consistindo em pelo menos 30 engrenagens de bronze em uma caixa de madeira que era do tamanho de uma caixa de sapatos, esse mecanismo era altamente avançado para o seu tempo. Girando uma manivela, o usuário poderia avançar ou retroceder no tempo.

A manivela fazia as engrenagens moverem e girarem uma série de mostradores e anéis nos quais há inscrições e anotações dos signos do zodíaco grego e dos dias do calendário egípcio.

Parece que a informação para construir tal mecanismo foi perdida através do tempo, talvez porque era um dispositivo muito complexo ou caro para criar. Relógios astronômicos semelhantes só reapareceram na Europa no século XIV.

Como invenções como essa geralmente não vêm do nada, muitos pesquisadores acham que ainda podemos encontrar precursores mais antigos em um contexto arqueológico algum dia.

7. O movimento planetário registrado pelo mecanismo foi preciso por 500 anos

O mecanismo inclui ponteiros para Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno, todos facilmente visíveis no céu, bem como uma bola giratória que mostra as fases da Lua.

As partes que funcionam nesses ponteiros planetários desapareceram, mas o texto na placa frontal do mecanismo confirma que o movimento planetário foi modelado matematicamente usando numerosas engrenagens complexas.

8. Foi chamado de “o primeiro computador do mundo”

Recriação do Mecanismo Antikythera
Recriação do Mecanismo Antikythera

Desde muito antes da invenção do computador digital, houveram computadores analógicos. Esses tipos de computadores variavam suas funções, servindo desde régua de cálculo a dispositivos que podiam prever as marés.

O mecanismo Antikythera, que foi projetado para calcular datas e prever fenômenos astronômicos, foi, portanto, chamado de o primeiro computador analógico do mundo.

9. Ele tem um manual de instruções incorporado

Parte de trás do Mecanismo Antikythera
Parte de trás do Mecanismo Antikythera

Inscrições em um painel de bronze na parte de trás do mecanismo sugerem que o inventor deixou instruções sobre como utilizá-lo ou uma explicação do que o usuário estava vendo.

A inscrição, que está no dialeto grego koiné, menciona os ciclos, mostradores e algumas das funções do mecanismo. Embora o texto não diga especificamente como usá-lo e assuma algum conhecimento prévio sobre astronomia, ele fornece rótulos para a pessoa que está analisando o mecanismo.

10. Ninguém sabe ao certo onde o mecanismo foi utilizado

Embora muitas de suas funções tenham sido descobertas, como e onde foram usadas ainda são desconhecidas. Estudiosos acham que poderia ter sido utilizado em um templo ou escola, mas poderia facilmente ter sido encomendando para uma família rica.

Sem outros artefatos comparáveis ou inscrições explicativas, ainda não sabemos quem poderia ter usado esse objeto ou com qual finalidade.

11. Mas estão descobrindo onde ele foi feito

O uso do dialeto Koine nas numerosas inscrições indica que provavelmente essa foi uma criação grega, que era geograficamente grande na época. O mostrador do festival menciona as Olimpíadas na Grécia central, o Naa no noroeste da Grécia e a Halieia na ilha de Rodes.

A análise mais recente das inscrições, relatada pelo classicista Alexander Jones e seus colegas, sugere que o mecanismo poderia acompanhar pelo menos 42 eventos diferentes no calendário.

Pesquisadores dizem que o dispositivo provavelmente foi feito na ilha de Rodes, e apesar de haver apenas um dispositivo encontrado, eles acham que ele não é o único. Mais de uma dúzia de peças de literatura clássica, datadas do período entre 300 aC a 500 dC, fazem referências à dispositivos como os encontrados em Antikythera.

12. Para os gregos, o dispositivo também previa o futuro

Jones e seus colegas também descobriram que o mecanismo se refere à cor, ao tamanho e aos ventos associados aos eclipses.

Os gregos acreditavam que as características de um eclipse estavam relacionadas a bons e maus presságios. Por causa dessa crença, construindo a tecnologia do eclipse preditivo, o criador do mecanismo estava deixando o usuário adivinhar o futuro.

13. Onde posso ver esse mecanismo?

Museu Grego

As réplicas desse antigo computador estão em exposição no Museu Arqueológico Nacional, em Atenas, na Grécia.