Conheça 16 plantas venenosas que podem estar bem próximas de você


Ana Zita
Revisão científica por Ana Zita • Doutora em Bioquímica e Investigadora científica
Escrito por Carlos Neto

Saber quais plantas são venenosas é muito importante para evitar acidentes. Algumas delas provocam forte irritação na pele com apenas um toque. Outras, se ingeridas, podem levar à morte.

Elas estão por toda a parte: no canteiro da rua, no quintal do vizinho, às vezes dentro da sala de casa. Há flores que, de tão belas, nem imaginamos que podem ser tóxicas. É o caso do copo-de-leite e da dedaleira. Outras, como a mandioca-brava, cujas folhas e raízes são tóxicas, podem muito bem ser confundidas com a mandioca comestível. Por isso, todo cuidado é pouco.

Um dado importante: apesar de algumas dessas plantas serem usadas pela indústria farmacêutica para obtenção de medicamentos, isso não significa que podemos mastigar suas folhas, sementes e raízes.

Quando o assunto são plantas tóxicas, é preciso estar bem informado. Afinal, com saúde não se brinca.

1 - Copo-de-leite

Copo-de-leite

O copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica Spreng) costuma enfeitar nossos jardins e salas devido a sua beleza. Mas é bom saber que ele é tóxico, tanto para quem o manuseia quanto para quem o ingere. É bom também evitar o contato com os olhos, já que pode gerar irritação. Seu princípio ativo, o oxalato de cálcio, se ingerido provoca queimação, dores, vômitos, diarreia e cálculos renais. Portanto, se você gosta do copo-de-leite, faça o seguinte: enfeite sua casa com ele, mas evite tocá-lo. Comê-lo, jamais!

2 - Comigo-ninguém-pode

Comigo-ninguém-pode

Só pelo nome já é preciso ficar esperto. Todas as partes do comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia picta Schott) são tóxicas: folha, caule e seiva. Como o princípio ativo é o mesmo do copo-de-leite (o oxalato de cálcio), então já sabe o que deve fazer: evitar o manuseio, manter a planta longe dos olhos e não comê-la em hipótese alguma! Se houver algum acidente, a recomendação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é procurar imediatamente um pronto-socorro.

3 - Pinhão-roxo

Pinhão-roxo

Também conhecido como pinhão-paraguaio, pinhão-bravo ou pinha-de-purga, o Jatropha curcas L. é natural da América Central, mas é cultivado no Brasil. Com suas sementes se pode produzir biodiesel. Porém, é altamente tóxico. O contato provoca irritação na pele. E a ingestão de suas folhas ou frutos pode causar vômitos, cólicas, diarreias, desidratação e, em casos mais graves, parada cardíaca e coma. A Fiocruz recomenda que se evite a aspiração do vômito e que se tome água em caso de envenenamento.

4 - Mamona

Mamonas

É verdade: mamonas são assassinas. Muito encontrada em matagais e terrenos baldios, a mamona é uma das plantas mais perigosas do mundo. Suas sementes contêm ricina, uma proteína altamente tóxica que, se ingerida, pode levar à morte em algumas horas. De acordo com o Centro de Atendimento Toxicológio do Governo do Espírito Santo, a dose letal varia entre 0,06 e 0,18g (de uma a duas sementes). As sementes da Ricinus communis L. podem causar distúrbios gastrointestinais e levar a quadros de desidratação. Portanto, muito cuidado!

5 - Coroa-de-Cristo

Coroa-de-Cristo

Todas as partes da coroa-de-Cristo (Euphorbia milii L.) são tóxicas, pois podem soltar o látex, que provoca irritação. Portanto, é preciso evitar o contato do látex com a pele e os olhos. Comer, nem pensar! Segundo o site da Secretaria de Saúde do Paraná, a coro-de-Cristo, se ingerida, pode causar sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), queimação estomacal e vômitos. Por isso, se quiser tê-la em casa para enfeitar seu jardim, tenha cuidado!

6 - Espirradeira

Espirradeira

A espirradeira (Nerium oleander L) é bela e poderosa. O látex de suas folhas ou ramos pode provocar inflamação na pele e irritação nos olhos. E nem pense em comer as folhas ou as flores dessa planta, pois são tóxicas. Alguns sintomas da intoxicação por Glicosídeos Cardiotóxicos, o princípio ativo da espirradeira, são: queimação na boca, língua e lábios, sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), além de vômitos e diarreias. Ela também pode provocar tontura, confusão mental e arritmia.

7 - Tinhorão

Tinhorão

O tinhorão (Caladium bicolor Vent), nativo do Brasil, tem folhas belíssimas e produz flores parecidas com o copo-de-leite. Por isso, é uma ótima ideia ter um tinhorão em casa, não é mesmo? Sem dúvida. Mas saiba que o tinhorão possui oxalato de cálcio, o mesmo composto químico que faz do copo-de-leite uma planta venenosa. Os cristais de oxalato de cálcio, presentes nas folhas, provocam irritação na pele e nos olhos. Sua ingestão causa sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas, vômitos e diarreia.

8 - Estramônio

Estramônio

Muita gente a chama de figueira-do-inferno. Acredite: esse apelido não é à toa. O estramônio é muito tóxico e pode matar. Ele dá frutos espinhosos semelhantes aos da mamona e possui um cheiro bem desagradável. Os princípios ativos da Datura stramonium L. são alcaloides beladonados, entre os quais a atropina, que provocam, no caso de ingestão, náuseas, vômitos, alucinações e delírios. Em casos de intoxicações graves, o estramônio pode levar ao coma e à morte.

9 - Cicuta venenosa

Cicuta

A Conium maculatum L. foi o veneno que o filósofo grego Sócrates bebeu para pôr fim à própria vida. Assim, pelo menos desde a Antiguidade a cicuta é usada como veneno: e um veneno poderosíssimo. Nativa da Europa, foi introduzida nas Américas no século XIX como planta ornamental. No Brasil, ela é vista com mais frequência nas regiões Sul e Sudeste. Vômitos, diarreia, tremores no corpo e pulso lento são alguns dos sintomas do envenenamento por essa planta. Em casos mais graves, a intoxicação pode levar ao coma ou à morte por insuficiência respiratória.

10 - Azaleia

Azaleia

A azaleia (Rhododendron spp.) é uma das preferidas para ornamentar jardins e interiores, devido à beleza de suas flores. Porém, saiba que ela é tóxica. Seu princípio ativo é a andromedotixina, que pode provocar distúrbios digestivos e arritmias em caso de ingestão das folhas ou flores. As maiores vítimas dos poderes tóxicos da azaleia costumam ser cães e gatos. Por isso, se você tiver azaleias em casa, tente manter seus pets longe delas.

11 - Avelós

Avelós

A avelós (Euphorbia tirucalli L.), também conhecida como graveto-do-cão e pau-pelado, é uma das menos nocivas dentre as plantas desta lista. Mas, ainda assim, tem seus inconvenientes. Tocá-la provoca irritação, dor, queimação e bolhas na pele. Se houver contato ocular, pode desencadear processos inflamatórios bastante incômodos. Nunca se deve comê-la. Os sintomas de intoxicação por ingestão de avelós são sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas e vômitos.

12 - Costela-de-Adão

Monstera

A costela-de-Adão (Monstera deliciosa) é ótima para enfeitar espaços interiores, já que ela se dá bem com pouca luz. Suas folhas grandes, que lembram o formato de costelas humanas, possuem a mesma substância tóxica do tinhorão, os cristais de oxalato de cálcio. Por isso, se mastigadas, as folhas da costela-de-Adão podem provocar sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas, vômitos e diarreia. Apesar disso, a costela-de-Adão pode ser considerada uma das menos nocivas dentre as plantas tóxicas desta lista.

13 - Espada-de-São-Jorge

Espada-de-São-Jorge

Muita gente acredita que ela afasta as más energias e protege o lar. O que talvez as pessoas não saibam é que a espada-de-São Jorge (Sansevieria trifasciata), se ingerida, também é tóxica. Não precisamos ficar muito preocupados, já que seu nível de toxidade é bem baixo. Comê-la provoca salivação e irritação da mucosa. Animais domésticos costumam ser as maiores vítimas dessa planta. Por isso, atenção com os pets!

14 - Lírio-da-paz

Lírio-da-paz

Quem não adora lírios-da-paz? São belos, elegantes e costumam ficar bem em varandas, quintais e espaços interiores. Mas eles possuem a mesma substância tóxica do tinhorão e da costela-de-Adão: o oxalato de cálcio. Ainda que seu nível de periculosidade seja baixo, é preciso ter cuidado com o Spathiphyllum wallisii. Nunca mastigue suas plantas, nem deixe seus animaizinhos fazer isso, pois os efeitos serão bem incômodos: sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas, vômitos e diarreia.

15 - Mandioca brava

Mandioca brava

As raízes da Manihot esculenta, mais conhecida como mandioca-brava, são extremamente tóxicas e podem matar. O responsável por isso é o ácido cianídrico, substância tóxica presente em grande quantidade nas mandiocas-bravas e em pequena quantidade nas chamadas mansas ou de mesa, que são aquelas que nós encontramos no mercado. A mandioca-brava, após passar por processos industriais, torna-se apta para o consumo. Ela é usada na fabricação da farinha, por exemplo.

É praticamente impossível diferenciar a mandioca de mesa da brava apenas pelas características das folhas ou das raízes. Por isso, se você não souber a procedência, não se arrisque. A intoxicação pode causar distúrbios gastrointestinais, torpor, asfixia, coma e, em casos graves, a morte. A Fiocruz recomenda, em caso de envenenamento, a procura imediata do serviço médico de urgência mais próximo.

16 - Dedaleira

Dedaleira

A dedaleira (Digitalis purpúrea L.) tem flores magníficas, de cor violeta, que lembram tacinhas viradas de boca para baixo. Mas tanto a folha quanto a flor são tóxicas. Os sintomas são iguais aos da espirradeira: queimação na boca, língua e lábios, sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), além de vômitos e diarreias. Se ingerida, pode provocar tontura e distúrbios visuais. O contato ocular causa lacrimejamento.

Leia também: Cobras venenosas ou peçonhentas? Veja as mais perigosas do Brasil

Conheça as 5 aranhas mais venenosas do Brasil

Como identificar uma cobra coral? Veja os mitos e fatos

Ana Zita
Revisão científica por Ana Zita
Doutora em Bioquímica do Instituto Venezuelano de Investigações Científicas - IVIC (2001). Investigadora com mais de dez anos de experiência em instituições científicas na Venezuela e Austrália. Atualmente divide a redação de conteúdos educativos com a agricultura científica.