Conheça 16 plantas venenosas que podem estar bem próximas de você


Ana Zita
Revisão científica por Ana Zita • Científica
Escrito por Carlos Neto

Saber quais plantas são venenosas é muito importante para evitar acidentes. Algumas delas provocam forte irritação na pele com apenas um toque. Outras, se ingeridas, podem levar à morte.

Elas estão por toda a parte: no canteiro da rua, no quintal do vizinho, às vezes dentro da sala de casa. Há flores que, de tão belas, nem imaginamos que podem ser tóxicas. É o caso do copo-de-leite e da dedaleira. Outras, como a mandioca-brava, cujas folhas e raízes são tóxicas, podem muito bem ser confundidas com a mandioca comestível. Por isso, todo cuidado é pouco.

Um dado importante: apesar de algumas dessas plantas serem usadas pela indústria farmacêutica para obtenção de medicamentos, isso não significa que podemos mastigar suas folhas, sementes e raízes.

Quando o assunto são plantas tóxicas, é preciso estar bem informado. Afinal, com saúde não se brinca.

1 - Copo-de-leite

Copo-de-leite

O copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica Spreng) costuma enfeitar nossos jardins e salas devido a sua beleza. Mas é bom saber que ele é tóxico, tanto para quem o manuseia quanto para quem o ingere. É bom também evitar o contato com os olhos, já que pode gerar irritação. Seu princípio ativo, o oxalato de cálcio, se ingerido provoca queimação, dores, vômitos, diarreia e cálculos renais. Portanto, se você gosta do copo-de-leite, faça o seguinte: enfeite sua casa com ele, mas evite tocá-lo. Comê-lo, jamais!

2 - Comigo-ninguém-pode

Comigo-ninguém-pode

Só pelo nome já é preciso ficar esperto. Todas as partes do comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia picta Schott) são tóxicas: folha, caule e seiva. Como o princípio ativo é o mesmo do copo-de-leite (o oxalato de cálcio), então já sabe o que deve fazer: evitar o manuseio, manter a planta longe dos olhos e não comê-la em hipótese alguma! Se houver algum acidente, a recomendação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é procurar imediatamente um pronto-socorro.

3 - Pinhão-roxo

Pinhão-roxo

Também conhecido como pinhão-paraguaio, pinhão-bravo ou pinha-de-purga, o Jatropha curcas L. é natural da América Central, mas é cultivado no Brasil. Com suas sementes se pode produzir biodiesel. Porém, é altamente tóxico. O contato provoca irritação na pele. E a ingestão de suas folhas ou frutos pode causar vômitos, cólicas, diarreias, desidratação e, em casos mais graves, parada cardíaca e coma. A Fiocruz recomenda que se evite a aspiração do vômito e que se tome água em caso de envenenamento.

4 - Mamona

Mamonas

É verdade: mamonas são assassinas. Muito encontrada em matagais e terrenos baldios, a mamona é uma das plantas mais perigosas do mundo. Suas sementes contêm ricina, uma proteína altamente tóxica que, se ingerida, pode levar à morte em algumas horas. De acordo com o Centro de Atendimento Toxicológio do Governo do Espírito Santo, a dose letal varia entre 0,06 e 0,18g (de uma a duas sementes). As sementes da Ricinus communis L. podem causar distúrbios gastrointestinais e levar a quadros de desidratação. Portanto, muito cuidado!

5 - Coroa-de-Cristo

Coroa-de-Cristo

Todas as partes da coroa-de-Cristo (Euphorbia milii L.) são tóxicas, pois podem soltar o látex, que provoca irritação. Portanto, é preciso evitar o contato do látex com a pele e os olhos. Comer, nem pensar! Segundo o site da Secretaria de Saúde do Paraná, a coro-de-Cristo, se ingerida, pode causar sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), queimação estomacal e vômitos. Por isso, se quiser tê-la em casa para enfeitar seu jardim, tenha cuidado!

6 - Espirradeira

Espirradeira

A espirradeira (Nerium oleander L) é bela e poderosa. O látex de suas folhas ou ramos pode provocar inflamação na pele e irritação nos olhos. E nem pense em comer as folhas ou as flores dessa planta, pois são tóxicas. Alguns sintomas da intoxicação por Glicosídeos Cardiotóxicos, o princípio ativo da espirradeira, são: queimação na boca, língua e lábios, sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), além de vômitos e diarreias. Ela também pode provocar tontura, confusão mental e arritmia.

7 - Tinhorão

Tinhorão

O tinhorão (Caladium bicolor Vent), nativo do Brasil, tem folhas belíssimas e produz flores parecidas com o copo-de-leite. Por isso, é uma ótima ideia ter um tinhorão em casa, não é mesmo? Sem dúvida. Mas saiba que o tinhorão possui oxalato de cálcio, o mesmo composto químico que faz do copo-de-leite uma planta venenosa. Os cristais de oxalato de cálcio, presentes nas folhas, provocam irritação na pele e nos olhos. Sua ingestão causa sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas, vômitos e diarreia.

8 - Estramônio

Estramônio

Muita gente a chama de figueira-do-inferno. Acredite: esse apelido não é à toa. O estramônio é muito tóxico e pode matar. Ele dá frutos espinhosos semelhantes aos da mamona e possui um cheiro bem desagradável. Os princípios ativos da Datura stramonium L. são alcaloides beladonados, entre os quais a atropina, que provocam, no caso de ingestão, náuseas, vômitos, alucinações e delírios. Em casos de intoxicações graves, o estramônio pode levar ao coma e à morte.

9 - Cicuta venenosa

Cicuta

A Conium maculatum L. foi o veneno que o filósofo grego Sócrates bebeu para pôr fim à própria vida. Assim, pelo menos desde a Antiguidade a cicuta é usada como veneno: e um veneno poderosíssimo. Nativa da Europa, foi introduzida nas Américas no século XIX como planta ornamental. No Brasil, ela é vista com mais frequência nas regiões Sul e Sudeste. Vômitos, diarreia, tremores no corpo e pulso lento são alguns dos sintomas do envenenamento por essa planta. Em casos mais graves, a intoxicação pode levar ao coma ou à morte por insuficiência respiratória.

10 - Azaleia

Azaleia

A azaleia (Rhododendron spp.) é uma das preferidas para ornamentar jardins e interiores, devido à beleza de suas flores. Porém, saiba que ela é tóxica. Seu princípio ativo é a andromedotixina, que pode provocar distúrbios digestivos e arritmias em caso de ingestão das folhas ou flores. As maiores vítimas dos poderes tóxicos da azaleia costumam ser cães e gatos. Por isso, se você tiver azaleias em casa, tente manter seus pets longe delas.

11 - Avelós

Avelós

A avelós (Euphorbia tirucalli L.), também conhecida como graveto-do-cão e pau-pelado, é uma das menos nocivas dentre as plantas desta lista. Mas, ainda assim, tem seus inconvenientes. Tocá-la provoca irritação, dor, queimação e bolhas na pele. Se houver contato ocular, pode desencadear processos inflamatórios bastante incômodos. Nunca se deve comê-la. Os sintomas de intoxicação por ingestão de avelós são sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas e vômitos.

12 - Costela-de-Adão

Monstera

A costela-de-Adão (Monstera deliciosa) é ótima para enfeitar espaços interiores, já que ela se dá bem com pouca luz. Suas folhas grandes, que lembram o formato de costelas humanas, possuem a mesma substância tóxica do tinhorão, os cristais de oxalato de cálcio. Por isso, se mastigadas, as folhas da costela-de-Adão podem provocar sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas, vômitos e diarreia. Apesar disso, a costela-de-Adão pode ser considerada uma das menos nocivas dentre as plantas tóxicas desta lista.

13 - Espada-de-São-Jorge

Espada-de-São-Jorge

Muita gente acredita que ela afasta as más energias e protege o lar. O que talvez as pessoas não saibam é que a espada-de-São Jorge (Sansevieria trifasciata), se ingerida, também é tóxica. Não precisamos ficar muito preocupados, já que seu nível de toxidade é bem baixo. Comê-la provoca salivação e irritação da mucosa. Animais domésticos costumam ser as maiores vítimas dessa planta. Por isso, atenção com os pets!

14 - Lírio-da-paz

Lírio-da-paz

Quem não adora lírios-da-paz? São belos, elegantes e costumam ficar bem em varandas, quintais e espaços interiores. Mas eles possuem a mesma substância tóxica do tinhorão e da costela-de-Adão: o oxalato de cálcio. Ainda que seu nível de periculosidade seja baixo, é preciso ter cuidado com o Spathiphyllum wallisii. Nunca mastigue suas plantas, nem deixe seus animaizinhos fazer isso, pois os efeitos serão bem incômodos: sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), náuseas, vômitos e diarreia.

15 - Mandioca brava

Mandioca brava

As raízes da Manihot esculenta, mais conhecida como mandioca-brava, são extremamente tóxicas e podem matar. O responsável por isso é o ácido cianídrico, substância tóxica presente em grande quantidade nas mandiocas-bravas e em pequena quantidade nas chamadas mansas ou de mesa, que são aquelas que nós encontramos no mercado. A mandioca-brava, após passar por processos industriais, torna-se apta para o consumo. Ela é usada na fabricação da farinha, por exemplo.

É praticamente impossível diferenciar a mandioca de mesa da brava apenas pelas características das folhas ou das raízes. Por isso, se você não souber a procedência, não se arrisque. A intoxicação pode causar distúrbios gastrointestinais, torpor, asfixia, coma e, em casos graves, a morte. A Fiocruz recomenda, em caso de envenenamento, a procura imediata do serviço médico de urgência mais próximo.

16 - Dedaleira

Dedaleira

A dedaleira (Digitalis purpúrea L.) tem flores magníficas, de cor violeta, que lembram tacinhas viradas de boca para baixo. Mas tanto a folha quanto a flor são tóxicas. Os sintomas são iguais aos da espirradeira: queimação na boca, língua e lábios, sialorreia (salivação excessiva), disfagia (dificuldade para engolir), além de vômitos e diarreias. Se ingerida, pode provocar tontura e distúrbios visuais. O contato ocular causa lacrimejamento.

Leia também: Cobras venenosas ou peçonhentas? Veja as mais perigosas do Brasil

Conheça as 5 aranhas mais venenosas do Brasil

Como identificar uma cobra coral? Veja os mitos e fatos

Ana Zita
Revisão científica por Ana Zita
Doctorado en bioquímica del Instituto Venezolano de Investigaciones Científicas con licenciatura en bioanálisis de la Universidad Central de Venezuela. Investigadora con más de diez años de experiencia en instituciones científicas en Venezuela y Australia. Actualmente divide la redacción de contenidos educativos con la agricultura científica.