Os diferentes tipos de inteligência: você sabe quais os seus?


A inteligência humana é tida como o principal fator que nos diferencia dos demais animais do planeta. A mente é tão complexa e diversa que existem inúmeros campos de estudo dedicados a entendê-la.

Na década de 1980, o psicólogo Howard Gardner concluiu em seus estudos que haviam 7 tipos de inteligência. Eram eles: linguístico, lógico-matemático, intrapessoal, interpessoal, corporal-sinestésico, espacial e musical. Até então, acreditava-se que uma pessoa inteligente era apenas aquela com habilidades bem desenvolvidas em raciocínio lógico e com boa memória.

lógico-matemático

A Teoria das Inteligências Múltiplas idealizada por Gardner foi precursora e abriu espaço para outras formas de habilidades cognitivas serem consideradas pelos estudiosos. Atualmente foi adicionado o tipo de inteligência naturalista à teoria. Entretanto, há quem considere mais outra, a existencial.

Cada forma de inteligência reúne características específicas e todo mundo apresenta habilidades nos diferentes tipos. Porém, normalmente, as particularidades de um ou dois tipos costumam se sobressair aos demais. A Teoria das Inteligências Múltiplas está organizada da seguinte forma:

Inteligência Linguística

A capacidade de expressão através da palavra, seja ela escrita ou falada. É o tipo mais comum. As pessoas em que esta inteligência é predominante tendem a ser bons comunicadores e terem facilidade em aprender outras línguas. Advogados, oradores, jornalistas, poetas e professores são alguns dos profissionais que apresentam a inteligência linguística aguçada.

linguística

Inteligência Lógico-matemática

Manifesta-se pela habilidade em desenvolver raciocínios dedutivos, com foco no pensamento racional lógico e cálculos matemáticos. Presente principalmente em pessoas interessadas nas ciências exatas, como cientistas, matemáticos e engenheiros. Quem tem esta capacidade bem desenvolvida costuma ter uma mente mais metódica e gostar de resolver problemas de aritmética e de lógica.

Segundo Gardner, os testes de QI (Quoeficiente de Inteligência) medem apenas a inteligência lógico-matemática do indivíduo. Estes testes foram criados no início do século XX por Alfred Binet, Victor Henri e Théodore Simon para determinar o nível de inteligência de crianças em idade escolar. Não é à toa que, enquanto a Teoria das Inteligências Múltiplas se disseminou nos últimos anos, os testes de QI tem perdido espaço nas escolas.

Inteligência Intrapessoal

Conhecer a si mesmo é a principal característica deste tipo de inteligência. Quem consegue identificar bem as suas qualidades, defeitos, vontades e, acima de tudo, sabe utilizar este conhecimento para direcionar sua própria vida. É considerado o tipo mais raro entre os modelos da teoria de Gardner. As pessoas dotadas desta habilidade percebem bem a condição humana e as crenças. São também capazes de neutralizar vícios, possuem autocontrole e são auto motivadas. Habilidades encontradas em líderes espirituais, coaches e psicólogos.

interpessoal

Inteligência Interpessoal

Aqui a habilidade dominante é ter talento em lidar com os outros, sendo eficaz na comunicação verbal e não verbal. Saber identificar as vontades e as intenções dos que o cercam, tendo a sensibilidade de perceber os temperamentos e sentimentos das pessoas. Está presente em políticos, professores, coaches e psicólogos.

O conceito de Inteligência emocional presente na Psicologia descreve a capacidade de identificar e analisar os próprios sentimentos e o dos outros. A pessoa com este talento isto em consideração para realizar as suas ações .

Este conceito é mais conhecido pelos estudos publicados por Daniel Goleman. Alguns estudiosos consideram que a Inteligência emocional é uma combinação das Inteligências intrapessoal e interpessoal da Teoria das Inteligências Múltiplas.

Inteligência Corporal-sinestésica

Traduz-se no talento de coordenar o corpo com a mente, sendo capaz de controlar os movimentos com maior precisão. Envolve a habilidade de movimentar o próprio corpo ou de manipular objetos e está ligada ainda a um bom senso de ritmo. É predominante em atletas, artesãos, bailarinos e cirurgiões.

Inteligência Espacial

Caracterizada pela percepção aguçada do mundo visual, sendo capaz de enxergá-lo em três dimensões e manipular imagens. Quem possui esta forma de inteligência apresenta habilidades gráficas, de desenho e uma imaginação bastante fértil. É percetível em arquitetos, designers, artistas plásticos, marinheiros e cartógrafos.

espacial

Inteligência Musical

A inteligência musical está na habilidade de saber distinguir o ritmo, o timbre e o tom, sendo capaz de refletir sobre a música, mas também de reproduzi-la e criar novas composições. Normalmente está relacionada com outros tipos de inteligência, como a linguística ou corporal-cinestésica. É predominante em músicos e compositores.

Inteligência Naturalista

O talento para a compreensão dos elementos e fenômenos da natureza. Pessoas com facilidade em identificar e classificar vegetais, animais, formações rochosas e todos os componentes do meio-ambiente. Foi o último tipo de inteligência a ser incluído na Teoria das Inteligências Múltiplas e é predominante em biólogos e agrônomos, mas também em chefs de cozinha.

naturalista

Inteligência Existencial

A habilidade de refletir sobre a existência humana e as questões fundamentais sobre o propósito do ser humano na Terra. Apesar de ser considerada por muitas pessoas como uma habilidade primordial, a inteligência existencial não está incluída na Teoria das Inteligências Múltiplas. Gardner (2001) afirma que “o fenômeno é suficientemente desconcertante e a distância das outras inteligências suficientemente grande para ditar prudência - pelo menos por ora". Filósofos e líderes espirituais são dotados deste talento.

Os tipos de inteligência listados fazem parte das pessoas, porém o desenvolvimento mental de cada um depende não só das suas capacidades inerentes, mas também das influências, estímulos e alimentação que recebem. Por exemplo, uma criança com inteligência naturalista não irá desenvolvê-la se não for exposta ao meio natural.

Os primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento das potencialidades do cérebro. Hoje percebe-se que o uso frequente das tecnologias pelos jovens faz com que eles desenvolvam certas habilidades como a capacidade espacial, velocidade de pesquisa e de troca de atenção entre tarefas. Estas habilidades, se bem trabalhadas, podem se tornar ferramentas muito úteis no futuro.

No fim, o mais importante é perceber quais os tipos de inteligência com que você mais se identifica e explorar as suas potencialidades.