A teoria de Piaget: Conheça as fases do desenvolvimento infantil


O que as crianças são capazes de aprender em cada estágio de seu desenvolvimento? Como elas desenvolvem as habilidades intelectuais para reagir e interagir com seu ambiente? Como essas habilidades cognitivas se desenvolvem e em que ordem?

Essas foram algumas das perguntas respondidas pelo psicólogo francês Jean Piaget em 1952, quando ele publicou sua inovadora teoria sobre o desenvolvimento cognitivo em crianças.

Piaget começou sua pesquisa interessado em como as crianças reagiam aos ambientes, mas suas observações começaram a divergir do pensamento da época. Isso o levou a uma nova teoria sobre desenvolvimento cognitivo que se tornou a mais conhecida e influente até hoje.

Os quatro estágios cognitivos do desenvolvimento infantil

A teoria do desenvolvimento cognitivo de Jean Piaget sugere que as crianças passam por quatro estágios diferentes de desenvolvimento mental. Sua teoria se concentra não apenas na compreensão de como as crianças adquirem conhecimento, mas também na própria natureza da inteligência.

Fase sensório-motora: Nascimento até cerca de 2 anos

fase sensório motora

Durante este estágio, as crianças aprendem sobre o mundo através de seus sentidos e da manipulação de objetos. A principal conquista durante este estágio é a permanência do objeto, ou seja, saber que um objeto ainda existe, mesmo que você não possa vê-lo.

Isso requer a capacidade de formar uma representação mental dos objetos.

Fase pré-operacional: De 2 a 7 anos

Fase pré-operacional

Durante esse estágio, as crianças desenvolvem memória e imaginação. Elas também são capazes de entender as coisas simbolicamente e entender a ideia de passado e futuro.

O pensamento nessa fase ainda é egocêntrico, desse modo, a criança tem dificuldade em ver o ponto de vista dos outros.

Estágio operacional concreto: 7 a 11 anos

Fase operacional concreto

Durante esse estágio, as crianças tornam-se mais conscientes dos eventos externos, assim como do sentimentos dos outros. Eles se tornam menos egocêntricos e começam a entender que nem todos compartilham seus pensamentos, crenças ou sentimentos.

Para Piaget, esse estágio é um grande ponto de virada no desenvolvimento cognitivo da criança, pois marca o início do pensamento lógico ou operacional. Isso significa que a criança pode resolver as coisas internamente em sua cabeça, em vez de apenas fisicamente.

Estágio operacional formal: 11 anos ou mais

Estagio Operacional Formal

O estágio operacional formal começa aproximadamente aos onze anos e dura até a idade adulta. Durante esse estágio, as crianças são capazes de usar a lógica para resolver problemas, ver o mundo ao seu redor e planejar o futuro.

Os componentes básicos de sua teoria

Piaget acreditava que as crianças assumem um papel ativo no processo de aprendizagem, agindo como pequenos cientistas enquanto realizam experimentos, fazem observações e aprendem sobre o mundo.

À medida que as crianças interagem com o mundo ao seu redor, elas vão adicionando novos conhecimentos, se baseando no que já conhecem e adaptando ideias anteriores. 

Deste modo, o desenvolvimento cognitivo seria uma reorganização progressiva dos processos mentais, que evolui de acordo com a maturação biológica e a experiência ambiental.

Em sua teoria, Piaget descreve alguns componentes básicos para esse processo:

Esquemas: os blocos de construção do conhecimento

Os esquemas são os conjuntos de representações mentais que relacionamos com o mundo, que permitem que possamos entender e responder a situações. Ou seja, eles são a maneira de organizar o conhecimento que temos do mundo.

Esse conhecimento fica armazenado em blocos, cada um relacionado a um aspecto do mundo, incluindo objetos, ações e conceitos abstratos. Esses esquemas podem ser considerados como um manual para o cérebro, dizendo ao indivíduo como reagir a certos estímulos ou informações recebidos.

Como estamos sempre recebendo novas informações e estímulos, esses esquemas estão em constante processo de transição e reorganização.

Os processos de transição: assimilação e acomodação

Jean Piaget via o crescimento intelectual como um processo de adaptação ao mundo, que poderia ocorrer por meio dos seguintes modos:

Assimilação

Durante a assimilação, a criança utiliza um esquema já existente para lidar com um novo objeto ou situação. Por exemplo, uma criança de dois anos vê uma maçã, mas anteriormente ela apenas conhecia o que era uma laranja. Por ver uma fruta com formato parecido, a criança ira pensar que a maçã também é uma laranja. 

Acomodação

A acomodação acontece quando a criança não consegue assimilar a informação em um esquema já existente, então ela precisa alterá-lo, ou criar um novo esquema.

Continuando com o exemplo acima, quando a mãe da criança explicar que apesar do formato aquela é uma fruta diferente, a criança irá reorganizar o seu esquema sobre "laranja", sabendo da existência de outras frutas. 

O conceito de equilíbrio

Quando os esquemas existentes de uma criança são capazes de explicar o que ela percebe ao redor, diz-se que ela está em um estado de equilíbrio. No entanto, quando novas informações não podem ser encaixadas em esquemas existentes, ela entra em um incômodo estado de desequilíbrio.

Como não gostamos de estar frustrados, procuraremos restaurar o equilíbrio dominando o novo desafio. Deste modo, podemos dizer que o equilíbrio é a força que impulsiona o processo de aprendizagem.

Esses conceitos criados por Piaget revolucionaram o entendimento sobre o desenvolvimento infantil, fazendo com que a teoria piagetiana se tornasse a mais importante na área, guiando professores e especialistas até a atualidade.