7 avanços da inteligência artificial que vão te deixar com medo do futuro


A tecnologia é algo muito presente no nosso dia-a-dia, e inovações na área da inteligência artificial, automação e Internet das coisas, podem ser grandes facilitadores da nossa vida.

Pessoas como Stephen Hawking, Bill Gates e Elon Musk estão alertando a todos sobre esses perigos da inteligência artificial, e apesar de estarmos longe de uma revolução dos robôs contra os humanos, algumas mudanças já começam a afetar nossas vidas.

1. Estão substituindo os humanos

robot fabrica

Especialistas estão ficando realmente preocupados com o fato de que os avanços na inteligência artificial podem resultar em muitas pessoas perdendo seus empregos para as máquinas.

Somente nos Estados Unidos, existem 250 mil robôs que realizam trabalhos que os humanos costumavam fazer. E esse número está crescendo a cada ano.

Os robôs e programas de inteligência artificial nos ameaça porque são capazes de fazer quase tudo melhor do que a maioria dos humanos, com menos chances de erro, ou de forma mais rápida.

Segundo a Universidade de Oxford, nos próximos 20 anos, 35% dos empregos no Reino Unido serão substituídos por inteligência artificial.

2. As máquinas já mostram sinais de comportamento humano

A mentira faz parte da vida dos humanos. Somos capazes de mentir e enganar, e até mesmo alguns animais também usam dessas artimanhas para sobreviver.

No entanto, a mentira não está mais limitada aos seres humanos e aos animais.

Pesquisadores do Georgia Institute of Technology desenvolveram robôs que são capazes de mentir.

O objetivo do projeto era criar robôs que possam ser usados pelos militares no futuro. Esses robôs poderiam ser implantados no campo de batalha, utilizados como guardas de munições e alimentos.

Em situação de risco, eles poderiam enganar os inimigos e ganhar tempo até que os reforços pudessem chegar.

No entanto, o professor coordenador do projeto admitiu que há preocupações éticas significativas em relação à sua pesquisa.

Caso as descobertas caiam em mãos errados, poderia significar uma verdadeira catástrofe.

3. Estão deixando os hackers humanos para trás

hackers

Assim como a tecnologia evoluiu, os hackers evoluíram e muitos ataques maléficos acontecem, prejudicando milhões de pessoas e dando prejuízos monetários enormes.

Para combater esses hackers, cientistas estão desenvolvendo sistemas de hacking inteligentes, que são capazes de superar as habilidades dos hackers humanos.

Em 2016, a competição Cyber Grand Challenge, da DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) colocou 7 equipes competindo com hackings inteligentes.

O objetivo desta competição era criar programas hackers superinteligentes capazes de atacar as vulnerabilidades dos inimigos e, ao mesmo tempo, encontrar e corrigir seus próprios pontos fracos

Apesar dos cientistas estarem desenvolvendo esses hackers de inteligência artificial por bons motivos, eles reconhecem o perigo que esse programa pode representar, caso caia em mãos erradas.

4. Compreendem o nosso comportamento

comportamento

O Facebook é inegavelmente a plataforma de mídia social mais influente e poderosa hoje.

Para muitos de nós, tornou-se uma parte essencial de nossas rotinas diárias, mas cada vez que usamos o Facebook, estamos interagindo inconscientemente com uma inteligência artificial.

Você já percebeu que quando curte alguma coisa no Facebook, começam a surgir sugestões sobre aquele assunto para você?

Ou quando você pesquisa algum tema na internet, começam a surgir propagandas sobre aquele tema?

De acordo com Mark Zuckerberg, ao entender como nos comportamos no Facebook, a inteligência artificial pode fazer recomendações de coisas que podemos achar interessante ou que possam atender às nossas necessidades.

5. Grande semelhança com humanos

A inteligência artificial, até então usada em máquinas, se expandiu e já está sendo utilizada para fabricar robôs, que estão cada vez mais parecidos com os humanos.

A Universidade Tecnológica Nanyang de Singapura (NTU) criou uma robô que além de se parecer muito com uma mulher, é capaz de reconhecer pessoas, apertar as mãos e fazer contato visual.

A Nadine, como é chamada a robô artificialmente inteligente, está funcionando como recepcionista na NTU.

O que é mais surpreendente é que ela pode reconhecer as pessoas que passaram.

6. São capazes de sentir emoções

O que separa os humanos de robôs é a capacidade de sentir emoções. Ou pelo menos era, até especialistas do grupo East Asia, da Microsoft, criarem um robô capaz de "sentir" emoções e conversar com pessoas de maneira mais natural e "humana".

Essa robô de inteligência artificial chamada Xiaoice, é capaz de responder perguntas como se fosse uma menina de 17 anos. Ela ainda pode mentir, sentir vergonha e raiva.

A imprevisibilidade de Xiaoice permite que ela interaja com pessoas como se ela fosse humana.

Por enquanto, essa inteligência artificial é um chatbot social, e as pessoas conversam com ela como se estivessem conversando com algum amigo.

Porém, seus criadores estão trabalhando para aperfeiçoá-la. Segundo a Microsoft, Xiaoice agora entrou em um ciclo de auto-aprendizagem e auto-crescimento.

7. Eles estão desenvolvendo linguagens próprias

Recentemente, a Facebook teve que desabilitar dois de seus bots, pois eles estavam desenvolvendo uma linguagem própria, que só os dois entendiam.

O programa foi desenvolvido pelo Laboratório de Pesquisa de Inteligência Artificial do Facebook, e a ideia inicial era de criar bots que conseguirem negociar trocas.

Os bots teriam uma lista de itens, e deveriam negociar entre si a sua divisão. Porém, em determinado momento, os bots desistiram de usar o inglês e começaram a negociar usando uma linguagem própria, compreensível apenas para os dois.

O Facebook decidiu por encerrar os testes desse projeto. Porém, isso já é uma mostra da potencialidade da Inteligência Artificial e como ela pode fugir do nosso controle.