Veja 10 curiosidades sobre os judeus ortodoxos


O judeu ortodoxo é aquele que cumpre fielmente os princípios do judaísmo, rejeitando mudanças e renovações nos costumes e nos rituais religiosos. No judaísmo ortodoxo, os preceitos da Lei Judaica (Halachá) são cumpridos quase sempre à risca como forma de preservar a tradição.

Nada Ortodoxa
Cena do filme Nada Ortodoxa, que aborda o tema da questão de gênero numa comunidade ultra-ortodoxa.

Já assistiu à série Nada Ortodoxa, disponível na Netflix? Se ainda não, pode relaxar: não vamos dar nenhum spoiler. Nossa ideia é explorar um pouco o universo fascinante e (para muitos) desconhecido do judaísmo ultraortodoxo. Vejamos 10 curiosidades sobre esse ramo do judaísmo.

1. As mulheres raspam a cabeça e usam peruca?

Quem assistiu à série Nada Ortodoxa deve ter reparado que a protagonista Esther, pouco antes de se casar, passa uma máquina zero na cabeça e começa a usar peruca (shaitels). Ficou curioso para saber por que isso acontece?

Segundo o Chabad.org, site do movimento hassídico Chabad-Lubavitch, a principal razão desse costume é proteger a mulher dos olhares de outros homens. Além disso, cobrir os cabelos é um sinal para o mundo, e também para a própria mulher, de que ela está casada. É um símbolo de recato.

Algumas judias ortodoxas usam lenços para cobrir os cabelos.

2. Por que os judeus ortodoxos têm cachos?

homem judeu ortodoxo
Homem judeu usando peiot.

Há uma cena de Nada Ortodoxa em que Yakov Shapiro aparece usando bobes para manter belos e encaracolados seus cachinhos localizados na região das têmporas. Essas mechas têm um nome: peiot. E as peiot são cuidadosamente cultivadas em razão de um mandamento da Torá que diz para não raspar a borda da cabeça e da barba (Levítico 19:27).

3. Há casamentos arranjados no judaísmo ortodoxo?

judeus ortodoxos
Família de judeus ortodoxos passeia em Nova York.

De acordo com o rabino Leonardo Alanati, do Centro de Estudos Judaicos Beit Menashe, prevalecem os casamentos românticos (por amor) dentro do judaísmo. O casamento arranjado, aquele em que as famílias combinam entre si o casamento, é uma prática minoritária, exclusiva das comunidades mais ortodoxas, tal como a comunidade hassídica Satmar de Williamsburg, em Nova York, retratada na série da Netflix.

O costume do casamento arranjado encontra base na Bíblia. O casamento de Isaac, o Segundo Patriarca Israelita, foi arranjado por seu pai, Abraão.

Mas garante o rabino que, mesmo nas comunidades ultraortodoxas que praticam o casamento arranjado, este depende do consentimento dos noivos. Se um deles não curtir a escolha dos pais, nada feito.

4. Por que o judeu ortodoxo beija a porta?

mezuzá
Mezuzá afixada no batente de uma porta na cidade americana da Filadélfia.

Na verdade, não é bem a porta que o judeu beija, mas a mezuzá, um pequeno pergaminho afixado no batente direito de quase todas as portas do lar ou do estabelecimento comercial judaico. No pergaminho, estão inscritas duas passagens bíblicas: a Shemá e a Vehaiá. A Shemá anuncia a unicidade de Deus. A Vehaiá garante que o cumprimento da Lei Judaica será recompensado.

Os judeus encaram a mezuzá como uma proteção divina dos lares e estabelecimentos. Sua existência se baseia num mandamento da Torá. Os judeus que têm mezuzá em casa costumam pôr a mão sobre ela e beijá-la sempre que entram ou saem pela porta.

5. As judias ortodoxas podem trabalhar?

Na grande maioria dos casos, sim. Esse impedimento só existe nas comunidades mais ortodoxas.

Segundo a organização ortodoxa norte-americana Jew in the City, não há nenhum mandamento na Torá que diz que mulheres não podem trabalhar. Aliás, judias ortodoxas ocupam os mais variados postos no mercado de trabalho, da veterinária à física nuclear.

Mas há comunidades mais tradicionais em que a coisa é mais rígida. Uma matéria de 2018 do jornal The New York Times sobre a comunidade de Williamsburg (a mesma da série da Netflix) relata que a divisão de papéis sexuais nessa comunidade é muito bem definida, cabendo à mulher devotar-se à família e ao lar. A exceção fica por conta das que trabalham em escolas da comunidade.

nada ortodoxa série netflix
Cartaz da série Nada Ortodoxa, da Netflix. Crédito: Divulgação.

6. Eles podem usar a internet?

Navegar na internet tornou-se tão corriqueiro que as pessoas já nem imaginam viver sem ela. Pois saiba que em algumas comunidades ortodoxas seu uso é condenado pelo rabino e seu acesso é proibido. É o que vemos na série Nada Ortodoxa.

Em 2009, rabinos israelenses ultraortodoxos chegaram a decretar um boicote total à internet. Segundo eles, há nas redes muito "conteúdo impuro" que deve ser evitado.

No site Chabad.org, a internet é vista com ressalvas. Não se nega a importância desse recurso, sobretudo na divulgação dos valores da Torá. Apesar disso, segundo o site, há "muita coisa errada" na internet que vai de encontro aos princípios do judaísmo.

Alguns judeus ortodoxos só a usam no trabalho. Outros aplicam filtros para evitar que seus filhos acessem determinados sites. Em casos mais extremos, a internet é proibida.

7. Carne suína: jamais!

Um judeu ortodoxo segue uma dieta toda especial, chamada kosher. Essa palavra significa "apropriado". E qual seria o cardápio apropriado para um judeu que segue rigorosamente a Lei Judaica?

A resposta está no Levítico, o 3º livro da Bíblia hebraica. Essa passagem diz quais são as leis do kosher proferidas por Deus a Moisés e Arão no Deserto do Sinai. A lei que se refere à carne suína é bastante clara:

Também o porco, porque tem unhas fendidas, e a fenda das unhas se divide em duas, mas não rumina; este vos será imundo.

Levítico 11:7

comida judaica kosher
Casal sentado à mesa para sua refeição kosher.

8. Peixes: só se tiver barbatanas e escamas

Na mesma passagem bíblica, há outras restrições alimentares importantes. Uma delas diz respeito aos peixes. Atum, salmão e linguado são kosher (ou seja, apropriados). Qualquer outra criatura aquática que não tiver escamas ou barbatanas, como ostra, lagosta ou peixe-espada, não é permitida.

Vejamos o que diz a Bíblia:

De todos os animais que há nas águas, comereis os seguintes: todo o que tem barbatanas e escamas, nas águas, nos mares e nos rios, esses comereis.
Mas todo o que não tem barbatanas, nem escamas, nos mares e nos rios, todo o réptil das águas, e todo o ser vivente que há nas águas, estes serão para vós abominação.

Levítico 11:9,10

9. Cobrir a cabeça é sinal de reverência a Deus

Já vimos que as mulheres cobrem a cabeça com perucas e lenços. Mas você deve ter reparado que os homens ortodoxos também cobrem a cabeça, seja com chapéu ou kipá.

Na série Nada Ortodoxa, alguns homens usam um chapelão de pele bem diferente chamado shtreimel. Mas não há nenhum significado especial nesse tipo de chapéu, além do fato dele ser usado por homens casados. O importante mesmo é cobrir a cabeça.

E por que cobrir a cabeça? Em sinal de reverência e temor a Deus. Cobrir a cabeça simboliza a humildade dos homens frente à superioridade divina.

judeus quipá
Judeus usando kipá.

10. É proibido escrever durante o Sabá (Shabat)

Várias coisas são vetadas durante o Sabá, o 7º dia da semana. O Sabá é um dia sagrado para os judeus. Ele começa no pôr-do-sol da sexta-feira e termina no pôr-do-sol do sábado. É um período de descanso, no qual qualquer ação criadora deve ser evitada ao máximo.

Ora, se está escrito no Gênesis que Deus criou o mundo durante 6 dias e descansou no 7º, nada mais natural que suas criaturas façam o mesmo.

Dentre as proibições seguidas à risca pelos ultraortodoxos encontra-se a escrita. Escrever qualquer tipo de sinal é expressamente proibido durante o Sabá. Vejamos outras proibições:

  • Cozinhar
  • Cortar
  • Lavar
  • Costurar
  • Ver TV

Gostou desse conteúdo? Então experimente ler este também:

14 curiosidades sobre a comunidade Amish