Tabuleiro Ouija: a origem e as regras da versão original do "jogo do copo"


O Tabuleiro Ouija é uma tábua usada para pessoas vivas tentarem se comunicar com os mortos. O tabuleiro contém todas as letras do alfabeto, algarismos de 0 a 9, as palavras “sim”, “não” e “adeus”. Lembra do "jogo do copo" bem popular nos anos 90 e 2000? É inspirado nesse aqui.

Como surgiu o tabuleiro?

Na segunda metade do século dezenove, um movimento chamado Espiritualismo ganhou força nos Estados Unidos depois que duas irmãs alegaram falar com espíritos que habitavam a casa de sua família. O Espiritualismo defendia a ideia de que pessoas vivas poderiam se comunicar com espíritos de pessoas falecidas, que poderiam ter algum assunto por resolver no plano terreno.

Com a Guerra Civil Americana, muitas famílias ficaram sem notícias dos seus entes queridos que foram enviados para a batalha, sem saber se estavam vivos ou mortos. Por causa dessa constante preocupação das famílias, os atendimentos mediúnicos se popularizaram.

Inicialmente, a comunicação com os espíritos era feita verbalmente. Alguém dizia as letras do alfabeto em voz alta até que houvesse alguma manifestação espiritual que indicasse a letra escolhida e assim sucessivamente até formar palavras e frases. Como esse método não era nada prático, logo surgiram versões do que mais tarde seria conhecido como o Tabuleiro Ouija.

lápide elijah j bond ouija
Lápide de Elijah J. Bond, do criador do tabuleiro Ouija.

O modelo como conhecemos hoje foi criado e patenteado pela empresa Kennard Novelty Company em 1891. O criador do tabuleiro, Elijah J. Bond, não era nada ligado ao Espiritualismo e sim um empresário com boa percepção de mercado e de marketing. Até o nome Ouija era envolto em mistério, já que a empresa alegava que o nome do tabuleiro tinha sido informado por um espírito durante uma sessão utilizando a tábua. O produto foi um sucesso e a empresa fez fortuna com as vendas dos tabuleiros.

Em 1966, a empresa de jogos infantis Parker Brothers comprou os direitos de comercialização do Ouija e passou a vendê-lo como um brinquedo para entretenimento e não mais como um oráculo com poderes místicos.

Tabuleiro Ouija em cor de rosa
"Pergunte o que as meninas querem saber" - Frase escrita na caixa de uma versão pink do tabuleiro

Como jogar sem ser possuído por um espírito do mal?

Seja como uma simples brincadeira ou como uma tentativa séria de se comunicar com os mortos, há algumas regras que precisam ser obedecidas ao usar um Tabuleiro Ouija de forma segura.

Você pode comprar ou fazer sua própria tábua. Há modelos em diversos materiais e com os mais variados acabamentos. O mais importante é que o tabuleiro seja feito em um material resistente e levemente deslizante, idealmente uma placa de madeira.

As inscrições do alfabeto, os números e as palavras devem ser escritas seguindo o padrão da imagem abaixo.

Tabuleiro Ouija

Outro objeto muito importante é o “indicador”, que é a peça que vai deslizar entre as inscrições da tábua para indicar o que o espírito está falando.

O indicador pode ser uma pequena peça de madeira ou plástico. Ou um copo, mas tome cuidado para o copo não quebrar e acabar machucando os participantes.

Indicador do Tabuleiro Ouija
O modelo de indicador Ouija fabricado pela Hasbro

Tem coragem de tentar? Então atenção para as regras:

A gente não sabe se acredita nos poderes do tabuleiro (ou em espíritos), mas é melhor prevenir do que estrelar a nova versão de O Exorcista.

Gif exorcista

  1. Nunca jogue sozinho. Nem sempre o espírito contatado será bonzinho, então o ideal é sempre ter mais alguém por perto para te ajudar numa possível situação inesperada.
  2. Uma das pessoas do grupo deverá ser a responsável por usar o “indicador”, ou seja, posicionar um dedo em cima da peça que se move pelo tabuleiro. A teoria é que o espírito usará a mão dessa pessoa para indicar as letras e números que formarão as frases. O indicador deve ser posicionado inicialmente em cima da letra G.
  3. Todos os participantes devem estar tocando a borda da tábua com os dedos indicador e médio, como forma de mostrar ao espírito quem são os integrantes daquela sessão.
  4. Alguém do grupo pode ficar responsável por escrever o que for falado pelo espírito, para nada ser esquecido.
  5. Todos devem se concentrar antes da primeira pergunta, que normalmente é “Tem alguém aí?”. Se não houver nenhuma resposta, é preciso girar o tabuleiro algumas vezes e refazer a pergunta.
  6. Um dos grandes problemas do Ouija é que o jogo só pode ser encerrado com a autorização do espírito, que deve dizer “adeus”. Se o jogo for encerrado sem o consentimento do espírito, o tabuleiro deve ser deixado virado para baixo até que seja possível fazer mais uma sessão para receber a autorização para terminar. Caso isso não seja feito, o espírito pode tentar escapar do tabuleiro e tentar se comunicar de outras formas: abrindo gavetas, quebrando lâmpadas, etc..

Afinal, o tabuleiro funciona de verdade?

O Tabuleiro Ouija aparece em diversos filmes e livros sobre assuntos sobrenaturais. Apesar da cultura popular incentivar a ideia de que o tabuleiro é um item que possui poderes e facilita a comunicação com os mortos, a ciência não acredita em nada disso.

O pesquisador da University of British Columbia, Dr. Docky Duncan, desenvolveu um estudo que busca explicar o fenômeno que ocorre durante o jogo Ouija. Segundo o Dr. Duncan, o que pensamos ser uma comunicação com os mortos é, na verdade, uma ação neurológica chamada efeito ideomotor. Esse efeito acontece quando o corpo se movimenta involuntariamente e de forma inconsciente por causa de uma sugestão mental.

gif ouija

Na pesquisa feita pelo Dr. Duncan foram feitos dois testes. Primeiro, os pacientes tinham que responder verbalmente às questões que eram feitas pela equipe de pesquisa. Nessa primeira fase, cerca de 50% dos pacientes respondeu corretamente às questões que eles primeiro afirmaram não saber a resposta. Na segunda fase do estudo, as perguntas deveriam ser respondidas por meio do Tabuleiro Ouija. As respostas no tabuleiro estavam certas em 65% dos casos em que os pacientes disseram não saber a resposta para a pergunta.

A explicação para esse aumento de 15% nos acertos é que aquelas pessoas poderiam já ter ouvido a resposta para aquelas perguntas em algum momento da vida e tinham essa informação armazenada no seu inconsciente. Quando foram forçadas a dar uma resposta, o cérebro acessou essa informação e deu o comando motor para a mão se mover e formular a resposta que, conscientemente, a pessoa não sabia.

A verdade é que temos que ser cuidadosos tanto para mexer com o sobrenatural quanto com o nosso inconsciente. Nunca sabemos o que podemos encontrar!

Leia também: