7 coisas que você precisa saber para entender a Wicca


A Wicca é uma religião que tem seus fundamentos pouco divulgados. Muito do que se conhece e se propaga é fundamentado em mitos. Filmes, livros e até histórias infantis propagaram por muitos anos a imagem da magia e da bruxaria como algo maléfico e ligado ao satanismo. Mas você irá se surpreender ao conhecer melhor os preceitos dos wiccanos, seus rituais e ensinamentos.

Wicca

1 - Origem da Wicca: o fundador da religião

A religião conhecida como Wicca foi fundada por um funcionário público inglês chamado Gerald Gardner, nascido em 1884. Interessado por antropologia, ocultismo e assuntos ligados à espiritualidade e misticismo, ele já havia feito parte de inúmeras sociedades ocultas, como a tradicional Ordem Rosacruz.

Foi lá que Gardner entrou para um coven - uma espécie de clã secreto - de bruxas. Na década de 1940, o inglês se aprofundou em tradições e rituais de magia e, em meados dos anos 50, acabou por fundar o seu próprio coven, ao qual chamou de Bricket Wood. As reuniões eram inspiradas em bruxaria antiga, reverência à natureza e preceitos da maçonaria.

À sua nova prática, Gardner deu o nome de Wicca, que no inglês escocês quer dizer pessoas sábias. Ali, ele instituiu um dos pilares da Wicca: a adoração a uma Deusa e um Deus, iguais entre si em quaisquer aspectos.

O inglês comprou algumas terras na aldeia de Brickett Wood para sediar o seu coven e fundar um grande centro de estudos místicos. Porém, em 1964, Gerald Gardner morreu de ataque cardíaco, quando estava a bordo de um navio na costa da África.

Nas décadas de 1960 e 1970, a Wicca se proliferou do Reino Unido para outros países de língua inglesa, principalmente entre membros de movimentos feministas e ambientalistas. Mas apenas em 1986 a Wicca foi reconhecida como religião oficial nos Estados Unidos.

Gerald Gardner
Gerald Gardner, o criador da Wicca (Imagem do Pinterest)

2 - Magia, politeísmo e harmonia com a natureza: o que prega a Wicca

A prática da magia é o principal pilar da Wicca. Porém, ela deve ser sempre direcionada para o auxílio e a cura de quem quer que seja. A lei central da religião diz: “Não prejudique ninguém, faça o que quiser”.

A união e o respeito com a natureza são aspectos fundamentais para os praticantes. Os wiccanos buscam a harmonia e creditam muitas curas ao poder da natureza e dos animais. A preocupação com o meio ambiente é uma das bandeiras levantadas pelo grupo.

Igualdade e harmonia entre homens e mulheres são fundamentais entre os preceitos da religião. As mulheres são tão ou mais valorizadas que os homens. É comum que a figura mais graduada de um coven seja uma sacerdotisa. Provavelmente, por essa razão - apesar da busca pelo equilíbrio entre os sexos - os praticantes da Wicca são, em sua maioria, mulheres.

casamento wicca
Casal dde wiccanos prontos para o ritual de casamento

A Wicca prega o politeísmo, ou seja, a pluralidade de deuses e deusas. Apesar de, atualmente, a religião ter várias linhas, a maioria delas venera duas divindades centrais: a Deusa, que representa a Terra e a Lua, e o Deus Conrífero, representação do Sol e dos animais.

3 - Iniciação na Wicca: a sabedoria compartilhada entre os bruxos

A iniciação de um wiccano nada mais é do que a passagem de tradições para alguém que quer se aprofundar na prática da magia. Os aspirantes de um coven devem estudar os preceitos da religião sob a orientação de membros experientes para criar o processo de conexão espiritual com o grupo.

Poucos covens divulgam detalhes desse processo. Em geral, ele envolve o comprometimento energético e emocional do novo elo com o restante do grupo. O iniciante recebe informações e estudo básicos sobre a religião, tradições e rituais. Em seguida, os bruxos e bruxas mais experientes passam suas orientações e estreitam os laços com o novo adepto.

A ideia é que ao aderir a um coven, o novo bruxo ou bruxa mantenha sempre seus compromissos com o grupo, honre os votos de segredo e abrace todas as práticas da Wicca.

4 - O que acontece em um ritual de magia da Wicca

Pouca informação é divulgada a respeito de detalhes dos rituais da Wicca. Boa parte do que se tornou público, está contido no Livro das Sombras, que é uma compilação de textos sobre a Wicca, que já ganhou diferentes versões e adaptações ao longo do tempo.

Mas sejam praticados sozinhos ou em covens, sabe-se que que eles seguem algumas regras. Antes do culto, por exemplo, os presentes fazem a purificação com um banho de essências ou “varrendo” a energia local com ervas aromáticas.

O ritual em si começa no momento em que se ”lança um círculo”, ou seja, os participantes são ordenados todos de mãos dadas ou desenha-se no chão um círculo, dentro do qual os rituais irão acontecer. Ele pode ser demarcado com velas, pedras, sal marinho e até ervas.

Um altar é montado no centro desse círculo com elementos considerados fontes de energia. Ali, pode-se colocar diversas ferramentas que serão usadas ao longo do ritual, como cálices, caldeirão, taças, ervas, óleos essenciais, velas, estátuas e pedras.

altar wicca
Um típico altar de uma cerimônia wiccana (Imagem do Pinterest)

Durante os encontros, os wiccanos honram a Deusa e o Deus, invocam os quatro elementos da natureza – fogo, terra, ar e água -, celebram a vida e intercedem por aqueles que precisam de ajuda, cura ou assistência espiritual. Isso pode ser feito através de canto, dança, repetição de gestos específicos ou leituras de textos místicos.

Alguns rituais mais comuns são os de iniciação, casamento (ou dissolução de uma união), o acolhimento de um bebê que nasceu há pouco tempo e até funerais. Tanto as crianças quando os corpos dos falecidos não precisam estar presentes no momento das rezas. São os praticantes da religião que irão interceder por eles junto ao coven.

Inquisição: saiba o que foi e se você iria parar na fogueira

5 - Quais são os principais símbolos da Wicca

Os wiccanos acreditam piamente na força dos símbolos. Para eles, é através da simbologia que a energia espiritual se funde à energia dos bruxos e bruxas. As forças unidas se tornam uma única coisa, ainda mais poderosa. Eles são constantemente usados em magias e rituais como uma forma de ligar o poder do mundo etéreo ao mundo físico. Conheça alguns dos principais símbolos da religião:

Pentagrama

O pentagrama, a estrela de cinco pontas, é um dos símbolos universais associados à magia. Os pontos inferiores da estrela são como uma representatividade dos elementos da natureza, sempre muita valorizada pelos wiccanos - fogo, terra, ar e água. O uso desse símbolo mostra a força espiritual atuando sob o mundo físico. Já a ponta superior representa as Deusas e os Deuses, reforçando que a energia divina é que domina o mundo carnal.

pentagrama
A estrela de cinco pontas, conhecida como pentagrama (Imagem do Pinterest)

Lua tripla

É a representação da Deusa e do poder feminino. Ela simboliza as três fases da Lua - crescente, cheia e minguante que são também vistas como representações de três fases do ciclo de vida da mulher: a pureza da juventude; a fertilidade e a realização de quando ela se torna mãe; e a sabedoria da velhice. O símbolo é um convite à celebração de cada etapa do ciclo da vida feminina.

Lua tripla
Lua tripla (Imagem do Pinterest)

Deus chifrudo

É a representação do principal Deus da Wicca. A imagem de um rosto com chifres simboliza a união entre o divino e a natureza e fortalece três fases da vida do homem: o pai, o mestre e o sábio. Muitos também interpretam o símbolo como uma variação da lua tripla: uma lua dupla em que a lua crescente repousa sobre a lua cheia.

deus chifrudo
Deus chifrudo (Imagem do Pinterest)

Triskele ou Triskelion

A origem desse símbolo é grega e representa três pernas dobradas na altura do joelho. Essa espiral simboliza as ideias que os wiccanos têm sobre o Universo e a cosmologia. Na cultura celta, o número três é considerado sagrado e o símbolo é frequentemente relacionado a triplicidades, como o submundo, o mundo intermediário e o mundo superior.

Triskele
Triskele (Imagem do Pinterest)

Nó da bruxa

É um símbolo associado aos poderes femininos e à proteção. O círculo, no interior da imagem, além de representar o infinito, também é um sinal usado na Wicca para proteção. Em pouco tempo, a imagem se tornou um talismã de proteção contra feitiçarias maléficas. Desenhar o nó da bruxa com uma linha contínua aumenta mais ainda a força protetora dele.

Nó da bruxa
Nó da bruxa (Imagem do Pinterest)

6 - Conheça alguns Deuses cultuados pelos wiccanos

Por sua característica politeísta, a Wicca cultua uma grande variedade de divindades. Muitos wiccanos são devotos do que chamam de um Deus patrono ou uma Deusa matrona. São entidades específicas aos quais eles dedicam honra e trabalhos. Algumas das mais conhecidas entidades da Wicca são:

A Deusa

Ela dá ênfase ao poder feminino e à devoção religiosa. Vista como uma entidade universal, ela pode ser representada de muitas formas, já que refletem um arquétipo que existe no mundo inteiro. Como, por exemplo, através das Deusas Celtas, Nórdicas, Gregas e Romanas.

Em todas as suas formas, a entidade é vista como uma divindade benevolente e conectada à capacidade feminina de trazer vida ao mundo.

a Deusa da wicca
Uma das diversas representações da Deusa, em um altar típico da Wicca

O Deus Chifrudo da Floresta

Ele representa o elemento masculino da natureza. É uma entidade que está à parte da da civilização humana, buscada pelos wicannos em floresta e paisagens naturais.

Como uma entidade tipicamente masculina, ele é frequentemente descrito com um grande falo, uma característica comum dos deuses da fertilidade masculina em todo o mundo. Os seus seguidores o identificam como amante da Deusa.

Deuses típicos de outras religiões

A Wicca também cultua divindades de origens diversas, como os deuses gregos Afrodite, Hera e Medusa; deuses hindus, como Lakshmi e Radha, além de deuses da mitologia celta, tibetana e egípcia. Não podemos deixar de citar que a Virgem Maria, uma das principais entidades cultuadas pelos povos cristãos, é considerada uma entidade sagrada na Wicca e vista como a Libertadora, Mãe das almas.

Tudo o que você precisa saber sobre os deuses da mitologia grega

7 - Mitos sobre a Wicca que você não deve propagar

O principal mito a ser combatido pelos praticantes da Wicca é a de que a religião é satanista ou cultiva e promove ações malignas. A imagem do diabo ou de demônios é uma criação tipicamente cristã, não existindo na Wicca.

Além disso, a religião é contra a prática de magia para prejudicar alguém. A Wicca prega que tudo que você deseja a outros, acontece com você, portanto seus seguidores são estimulados a praticar o bem para recebê-lo do universo em retorno.

Outro forte mito a ser esclarecido é o fato de muita gente pensar que a Wicca não é uma religião oficial. A Wicca foi reconhecida como religião oficial pelo governo dos Estados Unidos. As crianças que fazem parte da religião são inclusive dispensadas das aulas em dias de feriados típicos da religião.

Diversos países também seguiram essa diretriz, inclusive o Brasil, onde a Wicca é regulamentada por lei em vários estados, como São Paulo. No estado paulista, o dia 31 de outubro foi instituído como o “Dia Estadual dos Wiccanianos, Cultuadores do Sagrado Feminino, Pagãos e Praticantes das Artes Mágicas”.

Os wiccanos também deixam claro que em seus rituais não há sacrifício de animais. Na busca pela harmonia total com a natureza, eles são ensinados a respeitar e amar todo e qualquer ser vivo do planeta. Qualquer sacrifício que envolva sangue é proibido na Wicca. Portanto, os devotos costumam oferecer para os Deuses alimentos, como pão, frutas, sementes e vinho.