As cobras mais mortais do mundo são também as mais venenosas?


Quando falamos das cobras mais perigosas do mundo, costumamos associar isso somente à toxicidade de seu veneno. Porém, diversos outros fatores, como o número de mortes que a espécie causa por ano, a quantidade de veneno em uma mordida, seu modo de ataque e o comprimento de suas presas também devem ser levados em consideração.

Uma cobra extremamente venenosa não significa necessariamente uma cobra muito perigosa. Aliás, algumas das cobras com o veneno mais tóxico raramente atacam pessoas.

Conheça então as cobras mais mortais e perigosas do mundo.

1. Papuan Taipan (Oxyuranus scutellatus canni) | Nova Guiné

Papuan

A Papuan Taipan é uma cobra extremamente venenosa e perigosa que se encontra em todo o leste da Papua Nova Guiné, onde ainda hoje causa inúmeras mortes humanas.

Sua mordida pode matar em cerca de 30 minutos, caso não haja tratamento.

Ela pertence ao gênero Oxyuranus, que tem um total de 3 espécies. A Papuan Taipan é uma das duas subespécies de Oxyuranus scutellatus, e como todas as espécies de Taipan, ela também é nativa do continente australiano.

A Papuan Taipan é semelhante à Taipan Costeira australiana, porém causa 100 vezes mais acidentes na Nova Guiné do que a sua equivalente na Austrália, devido à qualidade e disponibilidade de tratamento.

Essas serpentes alcançam um comprimento médio de 2,5 metros, e possuem uma neurotoxina muito forte, que pode causar reações neurotóxicas, hemolíticas, paralisia, e também levar à morte.

2. Biúta (Bitis arietans) | África

Bitis

A Biúta (Bitis arietans) é uma espécie de víbora venenosa encontrada em savanas e pastagens africanas. A espécie é provavelmente a cobra mais comum e disseminada do continente. Ao se sentir ameaçada, ela poderá se mover surpreendentemente rápido, com consequências mortais.

Esta espécie de cobra também é comumente conhecida pelo barulho de sopro que elas fazem, e o padrão de cores dessa cobra varia geograficamente, entre amarelo, marrom claro, laranja ou marrom avermelhado. O tamanho médio delas é de aproximadamente 1 metro, mas foram relatados espécimes de quase 2 metros, e pesando mais de 6,0 kg.

Seu veneno é citotóxico, sendo considerado um dos mais tóxicos entre qualquer espécie de cobra. O rendimento de veneno em uma única mordida varia entre 150 a 350 mg, com um máximo de 750 mg. Porém, para matar um humano adulto, é necessário somente cerca de 100 mg, e a morte pode ocorrer em um dia. Se não for devidamente tratada e o veneno se espalhar, a picada resultará em gangrena e infecções secundárias, requerendo a amputação dos membros afetados.  

A Biúta é considerada responsável pela maioria das mortes por mordidas de cobra na África. Isso se deve a vários fatores, como a sua ampla distribuição, e a ocorrência em regiões altamente povoadas.

Porém, embora essa cobra seja frequentemente classificada como a cobra mais perigosa da África, não é a cobra mais venenosa.

3. Jararaca-do-norte (Bothrops asper) | América Central e do Sul

Jararaca do Norte

Essa é a cobra venenosa mais perigosa da América Central. Essas grandes cobras agressivas têm longas presas e um veneno muito tóxico.

As cobras da espécie Bothrops Asper podem ser encontradas na costa noroeste da América do Sul e na América Central. Elas pertencem ao gênero Bothrops, o mesmo tipo que é comumente encontrado na Ilha da Queimada Grande, no Brasil, considerado um dos lugares mais perigosos do mundo.

As serpentes do gênero Bothrops se distinguem por suas cabeças largas e achatadas, diferentes do resto do corpo. Porém, as características das Bothrops Asper variam muito de acordo com a sua área geográfica.

Essas cobras podem podem pesar até 6 kg e tipicamente medem até 1,8 m de comprimento.

4. Taipan Costeira (Oxyuranus scutellatus) | Austrália

Oxyuranus scutellatus

A Taipan Costeira é frequentemente considerada como a cobra mais perigosa da Austrália. Elas são extremamente nervosas e alertas, e qualquer movimento próximo delas pode desencadear um ataque. Muitas das vezes, essa cobra irá atacar sem aviso prévio, infligindo múltiplas mordidas com extrema precisão e eficiência.

O corpo musculoso e leve da Taipan permite que ela se arraste para a frente e para o lado, e sua velocidade é tanta que uma pessoa pode ser mordida várias vezes antes mesmo de perceber que a cobra está lá. O aparelho de veneno da Taipan Costeira é bem desenvolvido, e suas presas são mais longas do que de qualquer serpente australiana, com até 12 mm de comprimento. E seu comprimento médio é em torno de 2 metros.

Quando a Taipan Costeira pica sua vítima, ela injeta uma grande quantidade de veneno altamente tóxico, e os estudos mostraram que elas são capazes de injetar a mesma quantidade em uma segunda ou terceira mordida. O veneno afeta o sistema nervoso e a capacidade de coagulação do sangue. As vítimas podem ter dor de cabeça, náuseas, convulsões, paralisia, hemorragia interna, destruição do tecido muscular e danos nos rins.

Antes da existência do seu antiveneno, 100% das suas mordidas eram fatais.

5. Víbora de Russell (Daboia Species) - Ásia

Víbora de Russell

Esta cobra é a principal causa de morte no Sri Lanka e uma das cobras mais perigosas de toda a Ásia.

Quando mordidos, os seres humanos experimentam uma grande variedade de sintomas, incluindo dor, bolhas e inchaço na localização da mordida, sangramento, vômitos, tonturas, coagulabilidade do sangue e insuficiência renal.

Essa cobra, da espécie Daboia, possui um comprimento médio de até 1,8 metros, e elas possuem grandes presas de até 16,5 mm. A cabeça da Víbora de Russell é distinta do pescoço, sendo achatada e triangular, e com grandes narinas. Sua cor pode variar de marrom escuro, amarelo acastanhado a cinza acastanhado, com manchas ovais escuras.

As cobras adultas são um pouco lentas, mas, ao se sentirem ameaçadas, elas podem se tornar muito agressivas. Por outro lado, as cobras jovens geralmente são muito mais nervosas. A quantidade de veneno produzida pela Víbora de Russell é considerável, com espécimes adultos injetando de 130 mg a 268 mg em uma única mordida. A necrose geralmente não é muito profunda, e permanece limitada à área da mordida, mas em alguns casos, pode ser grave.

E qual a mais venenosa do mundo?

Se o assunto é cobra mais venenosa, não temos dúvida de que falamos sobre a Taipan do Interior.

Taipan do Interior

O Taipan do Interior (Oxyuranus microlepidotus), é uma cobra venenosa do gênero Taipan, comumente encontrada em regiões semi-áridas da Austrália.

A Taipan do Interior é considerada a cobra mais venenosa do mundo por muitas pessoas, e seu veneno consiste em uma mistura complexa de toxinas que paralisam os músculos, inibem a respiração, causam hemorragia nos vasos sanguíneos e tecidos e danificam os músculos

O rendimento máximo registrado a partir de uma única mordida de Taipan do Interior é de 110 mg. Seu veneno é tão tóxico que apenas uma mordida é suficiente para matar pelo menos 100 adultos humanos ou 250 mil ratos. Se a mordida não for tratada, ela é capaz de matar alguém em apenas 30 a 45 minutos.

Porém, como vive em regiões muito remotas, a Taipan do interior quase nunca entra em contato com humanos. 

Além disso, embora extremamente venenosa e com um ataque certeiro, ao contrário da Taipan Costeira, a Taipan do Interior é uma espécie de cobra bastante tímida e reclusa, preferindo fugir quando se sente ameaçada. Entretanto, ela irá se defender e atacar caso seja impedida de escapar.

Agora que conhece as cobras mais mortais do mundo, veja também quais são os tipos de cobras venenosas do Brasil.