Dos 12 animais mais venenosos do mundo, quem lidera a lista é um caracol


Qual é o animal mais venenoso do mundo? Se pensou numa cobra, sua resposta está errada! Há cobras com venenos super tóxicos, mas o animal mais venenoso do mundo, por incrível que pareça, é um molusco marinho. Aliás, está cheio de animais venenosos no fundo do mar.

Para criar esta lista, comparamos a toxicidade do veneno de acordo com sua DL50 (Dose Letal Mediana). Esse número mostra a quantidade de veneno (em mg) que é mortal para 50% de uma população testada (geralmente, camundongos). Quanto menor o número, mais potente é o veneno.

12. Escorpião perseguidor-da-morte

Leiurus quinquestriatus

  • Nome científico: Leiurus quinquestriatus
  • Onde vive: regiões áridas do nordeste da África e do Oriente Médio
  • Tamanho: entre 3 e 8 cm
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,25 mg/kg

Também conhecido como escorpião- amarelo da Palestina, o perseguidor-da-morte faz jus ao nome macabro: seu veneno é o mais tóxico dentre todos os escorpiões, com DL50 de 0,25 mg/kg - ou seja, são necessários apenas 0,25 mg de veneno por quilo de massa corporal para matar um ser vivo.

Apesar de toda essa potência, dificilmente um ser humano adulto irá morrer com um picada desse escorpião. O grupo de risco é formado por crianças e idosos. Uma picada causa reações alérgicas (anafilaxia) que podem levar à morte.

11. Aranha-teia-de-funil

Atrax robustus

  • Nome científico: Atrax robustus
  • Onde vive: florestas do sudeste da Austrália
  • Tamanho: 3 cm
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,16 mg/kg

Esta é a aranha com o veneno mais tóxico do mundo! Essa potência extrema é reconhecida pelo Guinness, o livro dos recordes! Conhecida por seu comportamento agressivo, essa aranha não curte ser incomodada. E se isso acontece, ela logo põe suas enormes presas para funcionar, desferindo uma picada que provoca intensa dor local. Em casos extremos, a neurotoxina da teia-de-funil pode causar complicações como distúrbios cardiovasculares e edema pulmonar.

Apesar da toxicidade de seu veneno, mortes humanas são bastante raras. O antídoto já salvou muitas vidas na Austrália.

10. Serpente-tigre

Notechis scutatus

  • Nome científico: Notechis scutatus
  • Onde vive: sudeste e sudoeste da Austrália
  • Tamanho: entre 1 e 2 m
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,118 mg/kg

Há muitos bichos venenosos na Austrália. E as cobras, sem dúvida alguma, são aqueles que mais assustam. Uma das espécies mais temidas pelos australianos é a Notechis scutatus, conhecida como serpente-tigre (tiger snake) em razão dos padrões em seu corpo, que se assemelham às faixas cruzadas da pelagem dos grandes felinos.

Essa cobra vive em lugares com água, como pântanos e represas. E apesar de ser agressiva e possuir um veneno neurotóxico super potente, ela só irá atacar caso se sinta ameaçada. Em caso de picada, uma pessoa adulta pode vir a óbito em apenas 30 minutos...

9. Taipan-costeira

Oxyuranus scutellatus

  • Nome científico: Oxyuranus scutellatus
  • Onde vive: norte e leste da Austrália e Nova Guiné
  • Tamanho: 2 m
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,099 mg/kg

Outra cobra australiana bem venenosa - e perigosa! - é a taipan-costeira, também conhecida como taipan-oriental. Sim, ela é prima da cobra mais venenosa do mundo, a taipan-do-interior, mas, por incrível que pareça, chega a ser mais perigosa que sua parente. Isso se deve ao fato dela viver próximo de povoações e também pelo seu comportamento bastante agressivo (apenas quando se sente ameaçada).

É uma das cobras mais temidas da Austrália. Seu veneno neurotóxico, quando inoculado por seus dentões de 12 mm, provoca distúrbios de coagulação do sangue e afeta o sistema nervoso central. Em casos graves, uma mordida dessa serpente pode causar danos nos rins, destruição dos tecidos e hemorragia interna. Sorte que já existe antídoto!

8. Cobra-marrom

Pseudonaja textilis

  • Nome científico: Pseudonaja textilis
  • Onde vive: leste e centro da Austrália e sul da Nova Guiné
  • Tamanho: 2 m
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): entre 0,0365 e 0,053 mg/kg

Eis a cobra mais perigosa da Austrália - e talvez de todo o mundo! Só ela é responsável por mais da metade das ocorrências de picadas de cobra na Austrália. É famosa por sua agilidade e agressividade. Mas não custa lembrar que cobras não saem caçando pessoas por aí. Elas só reagem quando são incomodadas.

Uma serpente-marrom de tamanho médio pode injetar até 10 mg de veneno por picada. Isso significa que uma única picada dessa cobra inocula veneno suficiente para matar até três pessoas de 70 kg.

Leia também: Tudo sobre a mamba-negra, a cobra mais temida da África

7. Polvo-de-anéis-azuis

Hapalochlaena maculosa

  • Nome científico: Hapalochlaena maculosa e Hapalochlaena lunulata
  • Onde vive: costa sul da Austrália
  • Tamanho: de 10 a 20 cm (contando os tentáculos)
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,08 a 0,14 mg/kg

Ele é pequenino e bem fofinho. Tanto que turistas desavisados chegam a pegá-los com as mãos para tirar fotos. Mal sabem eles o perigo que correm... Conhecido como o cefalópode mais venenoso do mundo, o polvo-de-anéis-azuis carrega um veneno chamado tetrodotoxina, uma neurotoxina que interfere na transmissão neuromuscular, provocando paralisia dos músculos. A morte geralmente ocorre por parada respiratória.

O envenenamento é fatal para os seres humanos. A boa notícia é que esses polvos não atacam. A liberação de veneno é um comportamento de defesa, que só será acionado caso o bichinho se sinta ameaçado. Portanto, tirá-lo da água é uma péssima ideia.

6. Vespa-do-mar

Chironex fleckeri

  • Nome científico: Chironex fleckeri
  • Onde vive: costa norte da Austrália e sudeste asiático
  • Tamanho: 20 cm de comprimento com tentáculos de até 3 m
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,04 mg/kg

Outro perigo dos mares é esta água-viva conhecida como vespa-do-mar, cubomedusas ou água-viva-caixa. Trata-se da água-viva mais letal do mundo. E o perigo está em seus tentáculos, que possuem células urticantes chamadas de cnidoblastos. Quando algo toca a parte exterior do cnidoblasto, é liberada a toxina mortal.

A intoxicação pela vespa-do-mar pode levar à morte em poucos minutos. Alguns dos sintomas são dor extrema e falta de ar. Em casos graves, pode ocorrer parada cardíaca.

5. Peixe-pedra

Synanceia verrucosa

  • Nome científico: Synanceia verrucosa
  • Onde vive: Nova Zelândia e Austrália
  • Tamanho: 35 cm
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,038 mg/kg

Ele parece uma rocha ou parte de um coral. Mas não se engane! Esta é sua tática de camuflagem, que lhe permite enganar suas presas e se esconder de possíveis predadores, como os tubarões. O peixe-pedra possui 13 espinhas na barbatana dorsal capazes de injetar um veneno altamente tóxico. Trata-se do peixe mais venenoso do mundo.

A boa notícia para nós, humanos, é que em 1959 foi criado um antídoto para o veneno do peixe-pedra.

4. Taipan-do-interior

Oxyuranus microlepidotus

  • Nome científico: Oxyuranus microlepidotus
  • Onde vive: regiões semiáridas do centro-leste da Austrália
  • Tamanho: 1,8 m
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,025 mg/kg

Além de ser mais "tímida" que outras serpentes australianas, a poderosa taipan vive em regiões remotas, de modo que os contatos com pessoas são bastante raros. Por isso, apesar possuir o veneno mais poderoso dentre todas as serpentes do mundo, ela não é a mais nociva aos seres humanos.

Como a taipan-do-interior é capaz de injetar num ataque 17,3 mg de veneno, uma única mordida dessa serpente libera toxinas suficientes para matar quase 10 pessoas de 70 kg. Sorte que existe antídoto e os encontros com seres humanos são pouco frequentes.

Leia também: As cobras mais mortais do mundo são também as mais venenosas?

3. Baiacu

tetraodontídeos

  • Nome científico: família dos tetraodontídeos
  • Onde vive: mares tropicais e subtropicais do Pacífico, Índico e Atlântico
  • Tamanho: 90 cm (máximo)
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,01 mg/kg

Há cerca de 120 espécies desse peixe, conhecido como baiacu, peixe-balão ou até mesmo sapo-do-mar. Estes dois últimos nomes se explicam por uma característica bem curiosa desses animais: eles inflam o corpo com água quando se sentem ameaçados. Com isso, multiplicam o seu tamanho normal, assustando seus predadores.

Mas o que mais assusta no baiacu não é esse truque, e sim seu veneno: a tetrodotoxina, uma substância poderosíssima que, se ingerida por um ser humano, pode matar em poucas horas. Um um único peixe, há veneno suficiente para matar 30 seres humanos adultos!

2. Rã-venenosa-dourada

Phyllobates terribilis

  • Nome científico: Phyllobates terribilis
  • Onde vive: nas florestas tropicais da Colômbia
  • Tamanho: de 4 a 6 cm
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): 0,002 mg/kg

Achou esta rã bonitinha? Pois saiba que seu veneno (a batracotoxina) é tão tóxico que uma quantidade equivalente a dois grãozinhos de sal de cozinha é suficiente para matar um ser humano. Suas toxinas são 20 vezes mais poderosas que as de qualquer outra rã que existe. Uma única rã contém veneno suficiente para matar 10 homens.

O veneno é tão forte que os índios nativos da região o usam nos dardos de suas zarabatanas. Esse veneno, armazenado sob a pele do animal, é "transpirado" quando a rã se sente ameaçada. Por isso, qualquer contato com sua pele pode ser mortal.

1. Caracol-do-cone

No vídeo abaixo, você pode ver o caracol-do-cone em ação:

  • Nome científico: Conus geographus
  • Onde vive: costa norte da Austrália
  • Tamanho: de 7 a 15 cm
  • Toxicidade do veneno em DL50 (Dose Letal Mediana): entre 0,001 e 0,005

Em termos de veneno, o pequeno caracol-do-cone (composto por uma concha calcária e um corpo macio) é imbatível. Como se pode ver no vídeo acima, esse predador age lentamente - e com extrema frieza. O veneno é injetado por meio de um duto (uma espécie de tromba) que funciona como um arpão venenoso. O veneno age em um ou dois segundos, deixando a presa completamente paralisada.

O envenenamento de seres humanos é raro. Abelhas e vespas, por exemplo, matam muito mais do que o Conus geographus. Mas, caso esse pequeno animal venha a picar alguém. A picada provoca dor forte, dormência e tontura. Mortes geralmente ocorrem por paralisia respiratória. Ainda não há antídoto para esse veneno mortal.