10 detalhes que você não sabe sobre a famosa Estátua da Liberdade


A estátua da liberdade é um dos maiores símbolos americanos e um dos pontos turísticos mais visitados dos Estados Unidos da América, mas poucas pessoas conhecem a fascinante história da sua construção do visionário chamado Frédéric Auguste Bartholdi.

Bartholdi teve que lutar contra inimigos, impossibilidades de engenharia, falta de apoio e tantas outras dificuldades, para que hoje ela possa estar na cidade de Nova York.

1. A Estátua da Liberdade não surgiu como um presente da França para a América

Construção da estátua
Construção da Estátua da Liberdade

A história mais contada sobre a Estátua da Liberdade é a de que ela foi um presente do governo francês para o americano, mas na verdade, tudo começou com uma ideia de Frédéric Auguste Bartholdi, um fabricante de estádios que decidiu que queria construir um enorme farol em forma de mulher em uma cidade que não tivesse visitado antes.

Em seus diários e cartas, ele descreveu sua jornada para todos os cantos da América, das Cataratas do Niágara à Washington, para explorar o território e buscar suporte em seu projeto.

O escritor e político francês Edouard de Laboulaye surgiu então com a ideia de criar uma estátua de presente da França para os Estados Unidos, comemorando a liberdade. Bartholdi percebeu que seria uma boa oportunidade para criar seu projeto e ter financiamento para isso. 

O acordo foi que os franceses iriam arcar com os custos da estátua, e os americanos fariam o pedestal para o monumento, mas quando Bartholdi viu que não surgiria nenhum financiamento significativo do governo americano, ele criou diversas estratégias para arrecadar fundos.

Bartholdi criou espetáculos em Paris, cobrou entrada para que visitantes pudessem ver a construção da estátua, vendeu souvenirs e até mesmo pediu ao governo francês que o deixasse fazer uma loteria nacional.

2. A estátua foi originalmente projetada para o Canal de Suez no Egito

Canal de Suez
Estátua foi planejada para ficar no Canal de Suez

O projeto base da Estátua da Liberdade não foi criado especificamente para a América. Quando era jovem, Bartholdi visitou o Egito e ficou encantado com um projeto que iria criar um canal entre o Mediterrâneo e o Mar Vermelho. Na Feira Mundial de Paris de 1867, ele se encontrou com Khedive, o líder do Egito, e propôs criar um trabalho tão grandioso quanto as pirâmides ou as esfinges.

Ele então projetou uma colossal estrutura de mulher, segurando uma tocha e usando um vestido solto, que serviria de farol na entrada do Canal de Suez. Porém, o acordo com o Egito não deu certo porque a estátua ficaria muito cara, e então Bartholdi decidiu se aventurar pela América para tentar realizar seu projeto.

3. A estátua deveria ser um farol

Ilha da Liberdade

Quando Ulysses Grant autorizou o uso da Ilha Bedloe (agora chamada de Ilha da Liberdade) como local para a estátua, ele especificou que ela deveria ser um farol.

Isso daria um propósito para a estátua e, portanto, mereceria o financiamento do governo. No entanto, os engenheiros nunca conseguiram iluminá-la o suficiente para que ela atendesse a esse objetivo, o que deixou Bartholdi frustrado. Porém, ao longo do tempo ficou claro que o local onde fica a ilha não era uma boa posição para um farol, então a estátua não poderia ser usada para isso de qualquer forma.

4. A tocha da estátua foi exibida primeiro na Filadélfia, e quase ficou por lá

Tocha da estátua da liberdade

Apesar da vontade de Bartholdi de realizar sua obra, os americanos não ficaram tão empolgados com a ideia de criar a estátua, principalmente os nova-iorquinos. Inicialmente, a arrecadação de fundos e o apoio da população foi extremamente fraco, levando cerca de 15 anos até que o povo americano realmente apoiasse a ideia.

Em um de seus planos para arrecadar fundos, Bartholdi levou a tocha da estátua para Filadélfia para ser exibida na Feira Mundial de 1876, e teve grande sucesso. Muitos pagaram entrada para poder subir na tocha e ver a vista do topo.

Com o dinheiro arrecadado nessa exibição, Bartholdi finalmente teve capital suficiente para construir a cabeça da estátua, e ele ficou tão satisfeito com a recepção da Filadélfia à estátua que, por um tempo, considerou deixá-la lá, ao invés de levá-la para Nova York.

5. A estátua da liberdade também quase foi para Boston

Estatua construção
Estátua foi primeiro construída na França

Em 1882, durante a construção da estátua, os esforços para angariar fundos estavam paralisando em Nova York, então Boston fez uma jogada para tentar obter a estátua.

A possibilidade de perder a estátua para outra cidade fez os nova-iorquinos se motivarem, e até mesmo o New York Times, que antes era contrário à criação do monumento, tomou partido criticando a atitude de Boston.

6. Bartholdi queria que a estátua fosse coberta de ouro

Para que a estátua ficasse visível a noite, Bartholdi propôs que os americanos arrecadarem dinheiro para deixá-la dourada. No entanto, o trabalho para reunir dinheiro suficiente para colocá-la no porto de Nova York já tinha sido tão difícil que ninguém quis continuar pagando para que ela fosse coberta de ouro.  

7. Thomas Edison tinha planos para fazer a estátua falar

Quando Edison apresentou o fonógrafo ao público em 1878, ele disse aos jornais que estava projetando um sistema sonoro para o interior da Estátua da Liberdade. Esta invenção permitiria que a estátua reproduzisse discursos que seriam ouvidos em toda a Manhattan.

Porém, como ninguém deu importância a esse projeto, ele nunca foi realizado, mas não podemos deixar de imaginar o quão estranho seria estar andando em Nova York e, de repente, escutar a Estátua da Liberdade falando conosco.

8. As sufragistas manifestaram contra a construção da estátua

Sufragistas

Quando a estátua foi revelada, em outubro de 1886, os grupos de direitos da mulher não aprovaram a ideia de que uma enorme figura feminina ficaria no porto de Nova York representando a liberdade, quando a maioria das mulheres americanas não tinham liberdade para votar.

Apenas duas mulheres participaram da inauguração da que hoje é conhecida como Ilha da Liberdade, a esposa de Bartholdi e a filha de Ferdinand de Lesseps, o engenheiro que projetou o Canal de Suez. Já as esposas dos membros do Comitê Americano foram obrigadas a assistir de um navio da Marinha, fora da ilha.

As sufragistas fretaram um barco para cercar a ilha durante a inauguração, e fizeram discursos de protesto, mas que infelizmente não puderam ser ouvidos devido ao grande barulho que vinha do porto.

9. Ela enfrentou até mesmo uma grande tempestade

A estátua da liberdade foi construída em Paris, e só depois foi levada aos Estados Unidos da América, sob grandes dificuldades.

A cabeça da estátua foi exibida na Feira Mundial de Paris em 1878, e depois, o monumento foi dividido em 350 partes e embalado em 214 caixotes que foram transportados pelo Atlântico pelo cargueiro "Isere". No caminho eles enfrentaram uma tempestade tão forte que o barco quase foi naufragado.

Depois que todas as partes chegaram, a estátua demorou quatro meses para ser reconstruída. Inicialmente ela seria inaugurada no centenário da independência dos Estados Unidos, porém, tantos empecilhos fizeram que ela só estivesse pronta 10 anos depois que o planejado. 

10. Ela nem sempre foi verde

Estátua da Liberdade verde

A estátua da liberdade era originalmente de cor marrom avermelhada. Sua cor verde atual é devido à oxidação, que faz com que o cobre fique um azul-esverdeado devido à exposição ao ar.

A estátua da liberdade levou cerca de 25 anos para mudar de sua cor marrom avermelhada para a cor que possui hoje. Em 1906, quando o cobre ainda estava passando por esse processo, os políticos ficaram preocupados e o Congresso concedeu 62 mil dólares para que ela fosse pintada, porém a ideia causou indignação e o plano foi arquivado.