Grandes mistérios da humanidade que já foram resolvidos


São vários os mistérios que envolvem a humanidade e muitos deles ainda não foram resolvidos, porém, alguns mitos e lendas parecem persistir mesmo depois dos cientistas desvendarem seus enigmas.

1. A cidade de Atlântida é real?

Atlantis

Atlântida é representada como uma civilização de uma ilha no Oceano Atlântico, que existia cerca de 9000 AC e que supostamente conquistou grande parte da Europa e da África nos tempos pré-históricos.

Atlântida foi descrita pela primeira vez no diálogo do filósofo grego Platão, Timeas, em torno de 360 AC.

Na história, os atenienses pré-históricos atacam a Atlântida em um conflito que termina com a Atlântida desaparecendo sob as ondas.

Embora seja um bom tema para histórias e filmes, os cientistas não acreditam que esta história é verdadeira. Quando foi escrito por Platão, o conto sobre Atlântida deveria ser apenas um exercício de pensamento sobre poder e corrupção. 

2. Qual é o segredo do Triângulo das Bermudas?

Triangulo das bermudas

O Triângulo das Bermudas é uma área que representa a região do Oceano Atlântico entre as Bermudas, Porto Rico e Miami, Flórida. Ficou muito conhecido devido a afirmações de que navios e aviões haviam desaparecido sem deixar rastro.

O mistério foi resolvido em 1975, quando o bibliotecário e piloto Lawrence David Kusche descobriu que algumas das reivindicações sobre desaparecimentos eram exageradas ou falsas. Na maioria dos casos os navios afundavam em mau tempo, ou sofriam acidentes por motivos explicáveis.

Além disso, ele descobriu que o número de naufrágios ou acidentes de avião não era tão incomum, em comparação com qualquer outra área com tráfego similar.

No entanto, a corrente do Gulf Stream é forte o suficiente para dispersar qualquer evidência de navios ou aviões caídos. Isso fez com que os sumiços ficassem ainda mais misteriosos.

3. As rochas que se movem no Vale da Morte

pedras

O Racetrack Playa, no Vale da Morte da Califórnia, é marcado por centenas de trilhas criadas por grandes pedras.

A cada 10 anos ou mais, essas enormes pedras de cerca de 318 quilos, parecem se mover por conta própria, deixando essas trilhas na superfície do deserto.

No entanto, em 2011, pesquisadores da Scripps Institution of Oceanography da Universidade da Califórnia, decidiram resolver o enigma.

Como o Serviço de Parques Nacionais não lhes permitiu colocar dispositivos GPS nas rochas, eles trouxeram 15 pedras de tamanho semelhante e as monitoraram.

Foram necessários dois anos, mas finalmente conseguiram a resposta. No inverno, a praia às vezes se enche de uma fina camada de água da chuva, que congela durante a noite e forma folhas de gelo.

O gelo é aquecido pelo sol na manhã seguinte, quebrando-os em pequenos pedaços. Quando uma dessas placas está embaixo das rochas, o fluxo de vento e água empurram a rocha muito lentamente, viajando cerca de 224 metros durante a temporada de inverno.

Essa velocidade é devagar o suficiente para que os visitantes não possam ver o movimento, porém, este movimento faz uma trilha na lama que mais tarde se seca para registrar o caminho das pedras.

4. A construção de Stonehenge

Stonehenge

Stonehenge é formado por um círculo de pedras empilhadas, localizado onde agora é uma área remota em Wiltshire, Inglaterra.

O estudo de carbono sugere que a estrutura foi feita entre 3000-2000 AC, o que levantou questões sobre como essa arquitetura avançada poderia ter sido construída com a tecnologia da época.

Muitos supuseram que Stonehenge pode ter sido produto do trabalho escravo ou mesmo que houve ajuda extraterrestre para mover as pedras no lugar.

Wally Wallington, um carpinteiro do Michigan, desmascarou essas afirmações quando construiu uma réplica de Stonehenge em seu quintal sozinho, usando apenas tecnologia rudimentar.

Se um homem pode fazer isso sozinho, um grupo de construtores inovadores da época poderia ter feito um trabalho rápido na construção do monumento e de suas estruturas.

Embora ainda existam mistérios sobre o significado cultural e o uso do monumento de Stonehenge, já se sabe que não é completamente surpreendente que tenha sido construído naquela época.

5. Como as pirâmides foram construídas?

pirâmides do egito

A construção das pirâmides é um dos mistérios do mundo que mais desperta o interesse das pessoas.

No final dos anos 1960 ao início de 1970, os defensores da hipótese de que a civilização humana tinha sido iniciada por extraterrestres apontaram as pirâmides egípcias como prova para esse fato.

Segundo essas pessoas, os antigos egípcios não poderiam ter movido esses blocos maciços de pedra com apenas força muscular. Alguns até sugeriram que a tecnologia antigravidade alienígena era uma explicação mais plausível.

Porém, em 2014, os físicos da Universidade de Amsterdam pesquisaram a fundo sobre o caso e resolveram o mistério.

Ao analisar um desenho de túmulo antigo, descobriram que uma grande equipe de trabalhadores poderia ter levado os blocos de pedras gigantes em um trenó e derramado água na areia pelo caminho.

Isso reduziria o atrito e permitiria que os blocos fossem arrastados para a Pirâmide.

6. Por que a civilização maia colapsou?

maias

Durante muito tempo, as pessoas ficaram intrigadas com um dos colapsos sociais mais estranhos da história humana.

Por que o povo maia abandonou dezenas de cidades que haviam construído na península de Yucatán nos anos 700 e permitiu que uma civilização altamente desenvolvida virasse ruína?

Alguns teorizaram que os maias provavelmente foram derrotados na batalha por povos rivais ou que a classe dominante foi derrubada em uma revolta camponesa.

Porém, em um estudo publicado em 2012, pesquisadores da Universidade Estadual do Arizona analisaram os dados arqueológicos com o objetivo de descobrir as condições ambientais no apogeu maia.

Segundo os pesquisadores, os maias queimaram e cortaram tantas florestas que alteraram a capacidade da terra de absorver a radiação solar, o que tornou escassas as nuvens e as chuvas.

Isso começou uma seca natural e formou erosão no solo, o que causou a falha da agricultura. Com menos comida disponível, os trabalhadores foram forçados a abandonar suas cidades para evitar a fome.

7. O astronauta de Salamanca

Astronalta

A figura de um astronauta moderno talhada sobre a fachada da entrada da Catedral de Salamanca, na Espanha, destoa de todo o resto e impressiona a todos que passam por ali.

A igreja, que tem um estilo barroco e gótico, foi construída entre 1513 e 1733. Por isso, surgiram várias teorias que envolvem os astronautas antigos, viagens através do tempo e acontecimentos sobrenaturais como formas de explicação.

No entanto, o astronauta enigmático da Catedral de Salamanca parece ter uma explicação muito simples.

A figura está localizada em uma coluna na entrada da Nova Catedral, e representa um astronauta com botas, capacete e o que parece ser um sistema de respiração em seu peito.

Como é possível alguém ter esculpido uma imagem tão nítida de um astronauta moderno em uma catedral construída há centenas de anos e muito antes de tal personagem existir?

Ao que tudo indica, isso teria acontecido, na verdade, há muito pouco tempo, quando, em 1992, a catedral foi restaurada.

A escultura do astronauta seria uma adição do pedreiro Miguel Romero e teria escapado da observação do arquiteto Jerómio García de Quiñones, o responsável pela restauração.

O fato teria obedecido a uma velha tradição, na qual os restauradores costumam incluir algum elemento moderno, próprio da época em que é realizada a restauração.