Pau-brasil: a história da árvore que marca o passado do Brasil


O pau-brasil é uma árvore brasileira que foi extremamente explorada pelos portugueses quando chegaram ao Brasil. É essa árvore, inclusive, que deu nome ao país, a partir de 1500.

Logo que os europeus desembarcaram no Brasil, essa árvore foi a primeira matéria-prima a ser explorada, sendo levada em grandes quantidades para a Europa, onde a sua madeira e o corante produzido por meio dela eram utilizados.

Assim, essa famosa árvore está conectada fortemente à história do país.

O que é o pau-brasil?

pau-brasil visto de baixo
Pau-brasil visto de baixo para cima

Com o nome científico Caesalpinia echinata, o pau-brasil é uma árvore típica da região da Mata Atlântica (que se estende do Rio Grande do Norte até o Rio de Janeiro).

A palavra "brasil", denominação escolhida pelos portugueses para a árvore, deriva do francês brésil, que se refere a um tipo específico de madeira de cor vermelha.

Apesar de ter ficado mais conhecida como pau-brasil, a árvore também teve outros nomes famosos ao longo da história, como pau-vermelho, arabutã, muirapiranga, orabutã, pau-de-tinta e pau-de-pernambuco, este último em referência à região de Pernambuco, onde havia muito pau-brasil.

Os indígenas da região costeira também se referiam ao pau-brasil pela sua cor, utilizando o termo, em tupi, ibirapitanga.

As caraterísticas da árvore pau-brasil

Uma árvore de tronco longo e fino, em média 40 a 70 cm de diâmetro, que pode chegar a 12 metros de altura e tem o seguinte aspecto:

  • Uma forte casca e espinhos protegendo o tronco, que é de coloração avermelhada por baixo:
Tronco
Tronco do pau-brasil com espinhos
  • Pequenas folhas verdes:
Folhas de pau-brasil
Folhas do pau-brasil
  • Flores amarelas:
Flores do pau-brasil
Flores do pau-brasil

A madeira do pau-brasil é considerada extremamente nobre, sendo resistente a pragas e outros intempéries. Além desse fim, é possível a extração de um corante de seu tronco, que muito serviu de tintura no passado. Aponta-se também que o pau-brasil pode conter fins medicinais, podendo, inclusive, ser um aliado no tratamento contra o câncer. Ou seja, uma rica árvore!

Atualmente, o pau-brasil é considerado uma das árvores ameaçadas de extinção, não sendo permitido o uso comercial da sua madeira.

A exploração do pau-brasil

A origem do pau-brasil se relaciona com a história do Brasil. Antes de 1500, essa árvore já era popular entre os indígenas que habitavam a região da Mata Atlântica, sendo, na época, usada para fins de fazer arcos e flechas, assim como na produção de corantes.

Entretanto, a partir do momento em que os colonizadores chegaram ao Brasil, foi dado início a um processo de grande exploração da árvore. Foram identificadas propriedades na madeira do pau-brasil semelhantes a de uma árvore do oriente e, assim, os primeiros portugueses que desembarcaram no território brasileiro viram a oportunidade de cortar enormes quantidades dessas árvores e levá-las para a Europa.

Imagem que retrata a chegada dos portugueses em 1500
Imagem que retrata a chegada dos portugueses ao Brasil em 1500

Inicialmente, foi aplicado um escambo do pau-brasil por mercadorias que pudessem interessar aos indígenas. Assim, os nativos foram utilizados como mão-de-obra para realizar o trabalho de exploração da madeira e entregá-la aos portugueses em troca de pequenas coisas vindas do continente europeu.

Como o pau-brasil estava próximo à região litorânea, essa localização facilitou o embarque para a Europa. As árvores já cortadas ficavam armazenadas em feitorias até serem levadas pelas embarcações portuguesas.

Aos poucos, os franceses também viram a oportunidade de contrabandear o pau-brasil, tendo começado a negociar com os indígenas e passado a assaltar barcos portuguesas. Essas ações levaram à regulação da exploração, passando a surgir a expressão "madeira de lei". Desde então, a Coroa portuguesa passou a controlar a seu favor a extração do pau-brasil.

Com a elevada retirada do pau-brasil e sua consequente diminuição (quase extinção!), os interesses dos colonizadores voltaram-se para a produção de açúcar e café.

Qual era a finalidade do pau-brasil na Europa?

A árvore tinha múltiplos usos na Europa, sendo considerado um material super luxuoso! A sua madeira era usada na construção naval, na construção civil e na elaboração de móveis de luxo. Enquanto o corante brasileína, produzido por meio do pau-brasil, era utilizado para tingir tecidos das roupas da nobreza e usado como tinta de escrever.

Com essa produção, a árvore gerou muita riqueza para o reino português, o que influenciou no nome Brasil para chamar o país do pau-brasil.

E por que o pau-brasil ainda está em risco de extinção?

Pau-brasil preservado em Pernambuco
Pau-brasil preservado em Pernambuco

Com exploração predatória do pau-brasil, logo ele se reduziu consideravelmente. Imagine: essa árvore existia por de mais 3 mil quilômetros na região litorânea brasileira. Hoje em dia, existe somente em locais esparsos ou em pontos que foi replantada!

Mesmo após ele deixar de ser exportado para a Europa, a região da Mata Atlântica sofreu muito desmatamento, o que acabou por matar as poucas árvores que ainda resistiam.

Em 2004, o pau-brasil foi adicionado na lista de árvores ameaçadas de extinção.

Curiosidades sobre o pau-brasil

Quatro curiosidades sobre essa famosa árvore:

  • Em 1924, Oswald de Andrade publicou, no jornal Correio da Manhã, o “Manifesto Pau-Brasil”, buscando invocar uma consciência cultural brasileira;
  • Em 1928, chegou-se a acreditar que não havia nenhuma árvore crescendo de modo espontâneo. Entretanto, posteriormente, uma foi encontrada em Pernambuco, na atual Estação Ecológica da Tapacurá;
  • 03 de maio é o dia oficial da árvore pau-brasil, sendo protegida pela Lei nº 6.607 desde 1978;
  • Em uso controlado, sua madeira ainda pode ser usada para a produção de violinos

Gostou do nosso conteúdo? Você pode se interessar também por ler mais sobre as histórias das bandeiras do Brasil, desde a época da exploração do pau-brasil:

Sabia que o Brasil já teve 13 bandeiras oficiais?