Cavalo de Troia: a famosa estratégia de guerra usada pelos gregos


Já havia passado 10 anos do cerco à cidade de Troia, quando os gregos utilizaram a derradeira e vencedora estratégia de guerra ao presentear o inimigo com um enorme cavalo de madeira, o Cavalo de Troia.

Tudo começou quando o Príncipe de Troia, Páris, instigado pela deusa Afrodite, raptou Helena, a mais bela das mortais e esposa de Menelau, Rei de Esparta. Menelau, por sua vez, reuniu o exército grego e atacou Troia com o intuito de vingar-se de Páris e recuperar a esposa.

O Amor de Páris e Helena de Troia, David (1788)
O Amor de Páris e Helena de Troia, David (1788)

Depois de tanto tempo de guerra, os dois exércitos haviam perdido os seus principais guerreiros. Pelo lado de Troia, o príncipe Heitor, comandante do exército troiano, e o próprio Páris haviam perecido na luta. Para os gregos, Ájax, o Grande, e o herói mítico Aquiles estavam mortos. Mesmo assim, as batalhas continuavam e Odisseu, com a ajuda da deusa da Sabedoria, Atena, criou a armadilha que daria fim à guerra.

A estratégia

Troia era cercada por grandes muralhas que a protegiam e impediam a entrada dos inimigos. Após a morte de Heitor, os gregos simularam a sua retirada do território troiano fingindo rendição. O exército grego deixou como “presente” para os troianos, que eram conhecidos como domadores de cavalos, um enorme cavalo de madeira como símbolo de “paz”. Mas o cavalo, na verdade, era oco e estava cheio de soldados gregos.

Cavalo de Troia
O ataque dos soldados gregos à Troia

Com o fim do cerco, os troianos acreditaram que tinham vencido a guerra e levaram o cavalo para dentro da cidade, onde festejaram longamente. Durante a noite, quando todos dormiam em Troia, os soldados gregos saíram do cavalo e atacaram a cidade. O resto do exército que estava escondido na Iha de Tenedos se juntou ao grupo de soldados para finalizar o saque.

Literatura

Apesar dos acontecimentos da Guerra de Troia terem sido narrados na Ilíada, a estratégia final nunca chega a ser mencionada, pois este poema de Homero se encerra no momento do funeral de Heitor.

O Cavalo de Troia é mencionado na Odisseia, também escrita por Homero. Onde se conta os desafios da viagem de Odisseu para a sua casa em Ítaca, após sair vitorioso da guerra. Porém, a última batalha da Guerra de Troia nunca é contada em detalhes por Homero. A estratégia apenas é falada pelo fantasma de Aquiles quando se encontra com Odisseu em Hades, o Mundo Inferior. Também é mencionada por Menelau conversando com Helena, já de volta à Esparta:

Eu que viajei muito e cheguei a conhecer muitos heróis, nunca meus olhos viram alguém como Odisseu. Que perseverança, e que coragem ele mostrou dentro do cavalo de madeira, onde estavam todos os mais bravos dos argivos esperando para levar a morte e a destruição aos troianos.

A estratégia só é contada séculos mais tarde por Virgílio em sua obra Eneida. No poema é contada a história de Eneias, um troiano que se salva durante a batalha do Cavalo de Troia e, posteriormente, se torna o fundador da cidade de Roma.

Os poetas arcaicos Arctino e Lesques também falaram do cavalo em suas obras, O Saque de Troia e Pequena Ilíada, respectivamente, porém os originais destas obras se perderam e não existem registros dos seus escritos. Muitos outros autores inspiraram-se nos versos de Homero e desenvolveram suas próprias versões dos acontecimentos da Guerra de Troia.

Mito ou realidade?

Não existem indícios da existência do enorme cavalo de madeira. Por muitos séculos sequer acreditou-se que a cidade de Troia teria existido.

Porém na segunda metade do século XIX, o historiador Heinrich Schliemann encontrou sinais de que um pequeno monte chamado Hisarlik (“forte poderoso”, em turco) poderia ser o local da antiga Troia. Cruzou informações retiradas da Ilíada e de relatos de viajantes famosos, como o imperador Alexandre Magno.

hisarlik
Sítio Arqueológico de Troia (Hisarlik)

Após as escavações foi encontrado um caminho com nove cidades, nomeadas de Troia I a IX. Na cidade de Troia VI foi encontrada uma fortificação onde provavelmente aconteceu a guerra. Schliemann havia encontrado o palco da Guerra de Troia.

São muito poucas as evidências sobre os vários eventos relatados nos versos de Homero, não se sabe de verdade como a guerra foi terminada. Uma das teorias diz que pode ter ocorrido um terremoto que danificou as muralhas da fortificação e permitiu a entrada dos soldados.

Mas uma coisa não se pode negar, a versão mítica com o Cavalo de Troia é bem mais popular e inspiradora. Nas artes e na guerra. Para a historiadora Margarida Maria de Carvalho:

Ele foi um símbolo de guerra importante para os gregos. Há quem se refira a ele como o primeiro tanque de guerra da humanidade.