Atena: as principais características da deusa grega da sabedoria


A deusa grega Atena, também conhecida como Palas Atena, representava, na mitologia grega, a deusa da sabedoria, das artes, da inteligência e da guerra. Uma deusa guerreira, que protegia as cidades. Era uma dos doze deuses do olímpico.

Na mitologia romana, ela é denominada de deusa Minerva.

O nascimento da deusa Atena

Estátua da Deusa Athena
Estátua da deusa Atena com o capacete na cabeça

Atena, em grego: Αθηνά, traduzido como Athēná, nasce da cabeça de Zeus. Conta o mito que o deus engoliu sua esposa, a deusa Métis, por medo de que o filho que nascesse dela pudesse derrotar o próprio Zeus, conforme previsão de Urano, céu, e de Gaia, terra.

Atena nasce mesmo assim, já adulta e armada, nas margens do rio Tritão, pela cabeça de Zeus, após o deus sentir fortes dores. Assim, Atena não conheceu sua mãe.

Os atributos da Palas Atena

Pintura de Atena por Rembrandt
Pintura de Atena por Rembrandt

Embora Palas não tenha um significado preciso, é traduzido, por alguns historiadores, como "aquela que brande armas". A deusa da sabedoria e das estratégias em batalha era considerada equilibrada, sábia, diplomática e protetora de cidadelas. Para Atena, a guerra não era um espaço de brutalidade, mas de conquistas sociais e políticas. Era uma verdadeira guerreira justiceira!

A deusa Atena é vista como a antítese de Ares, também deus da guerra, cujo comportamento impulsivo e atitudes irracionais contrariam a postura intelectual e equilibrada de Palas Atena. Assim, lembre-se: enquanto Ares era imprevisível, Atenas agia sempre de modo responsável e sábio.

Outro atributo da deusa da sabedoria é a sua busca por justiça, corrigindo injustiças! Uma curiosidade sobre isso é o "voto de Minerva": quando Atena votou pela inocência de Orestes - que havia matado a mãe e o amante para vingar a morte de seu pai -, foi um voto do desempate, sendo visto como uma decisão sabia. Atualmente, decisões que precisam de um desempate em tribunais são denominadas de voto de Minerva, inspiradas na sábia deusa.

Palas Atena era também a protetora da cidade grega de Atenas. O grande templo chamado Partenon, localizado em Atenas, foi construído para o culto da deusa grega.

Partenon
Partenon - local de culto à deusa Atena

Os símbolos de Atena

Na mitologia grega, Atena tinha dois fortes símbolos. O primeiro é a oliveira, presente oferecido à cidade de Atenas. Representa a proteção do azeite de oliva, produto agrícola considerado fundamental no local. Foi visto como símbolo da renovação, por a antiga oliveira sagrada da acrópole voltar a brotar após ser incendiada pelos persas na época da guerra. A oliveira também conecta Atena à fertilidade do solo e à natureza em si.

O segundo símbolo é a coruja, que estava sempre presente com Atena, passando a representar a sabedoria e o conhecimento.

Outros símbolos que aparecem com a deusa grega são os equipamentos de guerra, como o escudo (Égide), a lança e o capacete, como se vê em desenhos e imagens de Atena.

atena com a lança e o capacete
Atena com a lança e o capacete

O mito de Atena

A história de Palas Atena começa a partir de seu nascimento pela cabeça de seu pai, Zeus. Como nasce já armada, Atena atuou, nos mitos, em muitas guerras, como a Guerra de Troia, junto dos gregos. Seu papel foi importante no retorno de Odisseu, herói da guerra, em direção ao seu lar. Ainda, agiu junto de Herácles na defesa dos deuses do Olimpo contra gigantes.

Atena combatendo - pintura em prato grego
Atena combatendo - pintura em prato grego

Atena era a eterna deusa grega virgem. Assim, o filho que tem com Hefesto, chamado Erictônio, ocorre de forma não natural, fruto de uma violação não concretizada. Atena acaba por defender-se de uma tentativa de Hefesto, jogando, o sêmen que este coloca na sua perna, na terra. Daí nasce o filho dos dois. Pela relação de conflito, Hefesto nunca foi marido de Atena, que seguiu virgem, com a intenção de continuar sua missão em batalhas.

Conta um dos mitos que Atena e Poseidon, deus dos mares, disputaram a cidade de Atenas, tendo a deusa grega ganhado, ao dar de presente, para a cidade, a oliveira. Ainda, a deusa da guerra foi a responsável por amansar os cavalos, o que possibilitou as pessoas a domá-los. Assim, ela ganhou o nome da cidade de Atenas.

Também conhecida como protetora dos heróis, Atena ajudou, na mitologia grega, o seu meio irmão, Perseu a matar a Medusa, a famosa criatura com cabelo de serpentes e com o poder de, pelo olhar, transformar em estátuas de pedra quem a encarasse. Atena auxiliou-o ao emprestar seu escudo. Orientou também Hércules contra Hidra de Lerna, dando ainda proteção ao herói.

Atena e Hércules - pintura em prato grego
Atena e Hércules - pintura em prato grego

No culto, Atena foi muito prestigiada pelos gregos, mas também cultuada em outras partes do mundo, como no continente asiático.

Gostou de conhecer mais sobre Atena?

Se é fã de mitologia grega, pode se interessar por ler sobre Afrodite:

Descubra os mitos de Afrodite, a deusa grega do amor e da beleza