7 curiosidades sobre o fóssil da Lucy que você desconhece


O fóssil Lucy é considerado o fóssil mais popular já encontrado, e pertence à fase da evolução do homem chamada Australopithecus afarensis.

Lucy foi descoberta na Etiópia, há mais de 40 anos, e ficou famosa por possuir cerca de 40% dos ossos preservados.

Ela viveu na África há mais de 3,1 milhões de anos e sua descoberta foi um marco para os estudos sobre a evolução humana.

1. Lucy era extremamente leve e pequena

Tamanho lucy
Lucy era menor do que um criança

Lucy tinha um pouco mais de um metro de altura e pesava cerca de 29 quilos. Atualmente, seu esqueleto encontra-se preservado no Museu Nacional da Etiópia.

2. Os Beatles foram seus “padrinhos”

O nome Lucy foi inspirado na famosa música dos Beatles “Lucy In The Sky With Diamonds”.

No dia em que encontrou o esqueleto, a equipe do paleontólogo Donald Johanson se reuniu para comemorar. Quando eles escutaram essa música, não tiveram dúvidas do nome que deveriam dar ao fóssil.

3. Lucy foi encontrada por acaso

Seus ossos foram descobertos em 1974 na região de Afar (Etiópia), pelo paleontólogo americano Donald Johanson e sua equipe.

Ele estava trabalhando na Etiópia quando decidiu voltar de uma expedição utilizando um caminho alternativo.

Durante a volta, viu um fragmento de osso e identificou como hominídeo. Logo começou a ver partes do fêmur e pélvis e, depois de duas semanas de muito trabalho e horas de escavação, todos os fragmentos de ossos foram encontrados, constituindo aproximadamente 40% de um esqueleto hominídeo.

O termo hominídeo refere-se aos membros da família Hominidae, que compreende todas as espécies primatas, Australopithecus e Homo.

4. É um dos fósseis mais completos já encontrados

fossil

Lucy foi o esqueleto mais antigo e mais completo encontrado até então.

Com mais de 3 milhões de anos e, aproximadamente 40% do esqueleto conservado, a descoberta animou os cientistas para um estudo mais detalhado sobre os ancestrais humanos.

Por ser um esqueleto bem completo, comparado aos fragmentos que costumam ser encontrados, Lucy permitiu aos cientistas entender melhor os ancestrais humanos e estudar tamanho, forma e locomoção.

5. Lucy conseguia subir em árvores

patas

Seus ossos do braço são longos e a crista criada pelos músculos que se ligam ao úmero (osso do braço) são evidências de um peito poderoso e braços fortes, necessários para escalar árvores.

Sua pélvis curta e larga mostra a capacidade de manter o corpo ereto, e o ângulo dos ossos de sua coxa, segurando o peso sobre os joelhos, demonstram capacidade de caminhar eficientemente em duas pernas.

Os pés compactos de Lucy representam a capacidade de suportar o seu peso corporal inteiro enquanto andava de pé. Porém, seus ossos dos pés longos e curvos, mostram características semelhantes a macacos que conseguem subir em árvores.

6. Ela não é nossa ancestral direta

Durante muito tempo ela foi considerada nossa ancestral direta. Porém, atualmente é vista como uma prima distante, pois novas descobertas foram feitas sobre as fases da evolução do homem e novos fósseis foram encontrados.

7. Sua morte foi rápida

Estudos divulgados em 2016 sugerem que Lucy morreu após cair de uma árvore.

Uma análise feita em seu esqueleto revelou que ela tinha lesões no braço e tornozelo direitos, ombro e joelho esquerdos.

Esses ferimentos são compatíveis com lesões que acontecem quando caímos de lugares altos como, por exemplo, uma árvore.

Cientistas acreditam que Lucy morreu rápido, sem muito sofrimento.