Efeito borboleta: o que é e como está presente em nossas vidas


O Efeito Borboleta é um dos resultados centrais da Teoria do Caos, que foi descoberta em em 1960 pelo matemático e meteorologista Edward Lorenz.

Em 1972, no título de um artigo, Lorenz perguntou: "Poderia um bater de asas de uma borboleta no Brasil, causar um tornado no Texas?". Claro que um simples bater de asas de uma única borboleta não causa um tornado por conta própria. Existem milhares de borboletas e se cada uma delas causasse um tornado, o mundo seria um  verdadeiro caos!

Não é disso que se trata o efeito borboleta, mas sim como pequenas mudanças nas condições iniciais de grandes sistemas, podem levar a mudanças drásticas nos resultados. Essa história de borboletas causarem tufões era apenas uma forma demonstrativa.  

“Sistemas”, neste caso, poderia ser qualquer coisa sobre padrões climáticos, ou a forma como grandes grupos de asteroides se movem, ou simplesmente como as pessoas interagem. Por exemplo, usar uma simples espuma de banho na Europa, pode provocar a destruição dos ursos polares lá na Groenlândia!

Isso acontece porque as toxinas liberadas no ambiente percorrem milhares de quilômetros poluindo a água e se acumulando na gordura dos peixes e focas durante anos. Esse animais posteriormente serão comidos pelos ursos.

No final, a concentração de poluentes no sistema dos ursos polares causa desordens de comportamento e falhas na reprodução e no crescimento desses animais.

Viu como uma pequena coisa no início pode ter uma grande consequência no final? Esse é o efeito borboleta, que também tem um nome científico: Dependência sensível das condições iniciais.

Por dentro da descoberta

O matemático e meteorologista, Edward Lorenz, estava usando um computador antigo para calcular padrões climáticos. 

Ele já havia feito uma simulação quando resolveu repeti-la usando os mesmo dados. Porém, ao inserir alguns dados no sistema pela segunda vez, ele julgou que pequenas casas decimais dos números não fariam muita diferença no resultado final.

Na primeira vez, ele colocou números com seis casas decimais, mas ao refazer os resultados julgou que essas pequenas frações de um grau não teriam muita importância, por isso, na segunda vez ele só usou três casas decimais. Afinal, qual seria a grande diferença que 0,000001 poderia ter em relação a 0,0001?

Mas no final, por ter feito essa pequena alteração toda a simulação estava completamente diferente. 

Com base nessas observações, ele formulou equações que mostravam o que ficou conhecido como o Efeito Borboleta. O mundo precisava de uma nova matemática para entender o porquê. E foi aí que surgiu a Teoria do Caos!

Essa teoria, por definição, lida com "sistemas complexos cujo comportamento é altamente sensível a pequenas mudanças nas condições ".
 

Então com o Efeito Borboleta e a Teoria do Caos podemos prever o futuro?

Não! Acontece que apesar das predições, há um grande aumento da imprevisibilidade.

Sempre que falarmos de um sistema não-linear (a menos que tenhamos leituras perfeitas das condições iniciais) não poderemos prever o futuro, pois mesmo os erros mínimos podem levar a um resultado totalmente diferente.
 

Como é o Efeito Borboleta em nossas vidas?

Um bom exemplo do Efeito Borboleta em nossas vidas é o desencadear das duas grandes Guerras Mundiais. O efeito que essas guerras tiveram em nossas vidas é inegável e sofremos as consequências delas até os dias de hoje!

O Efeito Borboleta que levou essas essas guerras foram os seguintes:

Primeira Guerra Mundial

Guerra Mundial

Em 28 de junho de 1914, uma granada foi lançada em direção carro que carregava Franz Ferdinand, o Arquiduque da Áustria. A granada não conseguiu atingir Ferdinand, mas feriu os passageiros que estavam no carro.

Quando Franz Ferdinand foi visitar os feridos no ataque, seu motorista fez uma curva errada e parou em uma rua. Neste mesmo lugar, o naturalista sérvio de 19 anos, Gavrilo Princip, a mesma pessoa que anteriormente tentou assassinar o arquiduque, viu o Ferdinand e atirou nele e em sua esposa até a morte.

Após o assassinato de Franz Ferdinand, a Áustria-Hungria declarou guerra contra a Sérvia, o que deu início a Primeira Guerra Mundial. Se o motorista não tivesse tomado a direção errada, o arquiduque da Áustria-Hungria não teria sido assassinado e a guerra não teria acontecido como a conhecemos.

Segunda Guerra Mundial:

Em 28 de setembro de 1918, Henry Tandey, um soldado inglês ficou cara a cara com um soldado alemão ferido.

Henry, escolheu não atirar neste soldado inimigo, em vez disso ele o deixou passar. Acontece que esse soldado alemão era Adolf Hitler. Se Tandey tivesse puxado o gatilho, havia uma possibilidade da Segunda Guerra Mundial não ter acontecido.

Outros exemplos simples do dia a dia

Quando você solta, ao mesmo tempo, dois balões idênticos de hélio em direção ao céu, os vemos seguir em diferentes posições; um pequeno peixe que se move em uma determinada direção, pode fazer com que duas moléculas de água vizinhas acabem em diferentes oceanos; o caótico aumento ou queda do mercado de ações...

O simples fato de você estar lendo este artigo ao invés de sair ou fazer outra coisa poderia ter um efeito diferente na sua vida. Você poderia ter conhecido alguém na fila do banco, ou até se envolvido em algum tipo de acidente, por exemplo. Nunca saberemos! Em suma, este artigo mudou sua vida para sempre.