Por que a Via Láctea tem esse nome?


Algumas galáxias, estrelas e planetas possuem nomes bem estranhos e diferentes. Às vezes elas são nomeadas de acordo com a sua forma, como a Nebulosa Cabeça de Cavalo, já outras têm certo nome por causa de sua constelação, como a galáxia de Andrômeda. Mas e a nossa própria galáxia, a Via Láctea? Por que essa faixa composta de estrelas, poeira e gás teria um nome associado à comida?

Via Láctea: o nosso lar no universo

Via láctea
A Via Láctea vista da Terra

Se você olhar para o céu de um lugar muito escuro, você provavelmente irá ver uma ampla faixa de estrelas, cobertas de nuvens de poeira e gás. 

O que você está vendo é um pedaço da Via Láctea, nossa galáxia doméstica. Ela é a segunda maior galáxia já conhecida, e se você tentasse atravessar por ela na velocidade da luz levaria 100.000 anos para chegar ao outro lado.

A Via Láctea é estimada em 13,2 bilhões de anos, e surgiu quando inúmeras nuvens de gás e poeira se agruparam e colidiram, criando as estrelas. Então, uma grande quantidade de gás se acumulou em seu centro, aumentando a gravidade e formando um buraco negro maciço. Esse buraco negro é tão forte que nada pode escapar dele, e os espirais que saem dele contém centenas de bilhões de estrelas, um dos quais é o nosso próprio sol.

Nossa galáxia foi descoberta pelos astrônomos há milhares de anos e mesmo as civilizações antigas já a citavam em suas mitologias. 

Mas quando e como ela recebeu esse nome tão incomum?

As primeiras menções da Via Láctea nos levam até os gregos antigos, que chamavam nosso sistema estelar de “galaxias kyklos”, que significa “ciclo do leite”. Alguns pesquisadores acreditam que a nossa galáxia obteve esse nome por causa da sua aparência leitosa que se estende pelo céu, e a própria origem da palavra grega “galáxia” vem de “gala”, que significa leite.

Na Roma Antiga nossa galáxia também já era chamada de Via Láctea, que literalmente significa "Caminho de Leite".

A origem da Via Láctea
A origem da Via Láctea, de Jacopo Tintoretto (1575)

A mitologia grega também relaciona a galáxia e sua criação com o alimento. Segundo o mito, o deus Zeus trouxe o bebê Hércules para que ele pudesse mamar no seio de sua esposa, enquanto ela dormia. Quando Hera acordou, ela se afastou, e seu leite materno se espalhou pelo firmamento, criando a Via Láctea.

O nome “Via Láctea” também é utilizado em diversas outras línguas, em suas respectivas traduções, como "Milchstrasse" na Alemanha, e o "Melkeveien" na Noruega. No entanto, alguns países dão nomes bem diferentes para a nossa galáxia, baseado em suas mitologias.

Os outros nomes da Via Láctea

Na Finlândia, a Via Láctea é chamada de "Linnunrata", ou "caminho dos pássaros". Esse nome vem da mitologia finlandesa, que conta que na borda da Terra estava o "Lintukoto", uma região quente para onde as aves migravam durante o inverno.

Para os finlandeses, a faixa de luz que podemos observar da Terra era o caminho que os pássaros faziam em direção à Lintukoto, e por isso se chamava de "caminho dos pássaros".

Lintukoto
Para os finlandeses, a faixa de luz seria o caminho dos pássaros.

A Armênia também tem uma ideia diferente sobre a Via Láctea, que lá é chamada de “duro goghi chanaparh”, ou "o caminho do ladrão de palha". Sua mitologia diz que o deus Vahagn roubou a palha de Barsham, o rei assírio, e a levou para a Armênia durante um inverno muito frio. Para chegar até lá, ele fugiu pelos céus e deixou cair uma das palhas no caminho, formando a Via Láctea. Por influência armênia, nossa galáxia também é chamada assim em vários países da Ásia Central e África.

Em alguns países do norte, como a Islândia e Suécia, a Via Láctea é chamada de "Caminho do Inverno", pois no Hemisfério Norte a Via Láctea é mais visível nessa época do ano.

Já em grande parte da Ásia Oriental, a galáxia é conhecida como o "Rio da Prata", devido a uma lenda chinesa que conta sobre a paixão da Deusa Weaver e um camponês. Para separar os dois, a Rainha Mãe Celestial, mãe de Weaver, desenhou um rio de prata entre o casal para que eles fossem separados para sempre. Esse rio de prata seria a Via Láctea.

Na Espanha, a Via Láctea também é conhecida de “Caminho de Santiago”, pois os peregrinos a utilizavam para se guiarem até Santiago de Compostela, um local sagrado. O nome Compostela também é usado para se referir a galáxia, e significa "campo de estrelas".

Mas nem todas as galáxias possuem nomes tão interessantes

Antes da invenção dos telescópios no início do século XVII, as galáxias eram classificadas como nebulosas, regiões nubladas formadas de poeira cósmica. Porém, em 1609 o astrônomo italiano Galileu Galilei descobriu que algumas dessas nuvens de poeira na verdade eram compostas de bilhões de estrelas agrupadas.

Nesse momento as pessoas começam a dar nomes particulares para algumas dessas galáxias, pois elas passaram a reconhecer forma e importância nelas. No entanto, a maioria das galáxias não tem nomes descritivos, simplesmente porque existem muitas delas.

O número de galáxias conhecidas continua a crescer à medida que a tecnologia melhora, e hoje algumas estimativas dizem que o número pode chegar a 200 bilhões. 

Devido a grande quantidade, a maioria das galáxias é identificada apenas por um número, seguido de letras que indicam sua posição em um catálogo de objetos celestiais.