Saturno é o recordista de luas do Sistema Solar: as maiores curiosidades sobre seus satélites naturais


Com a descoberta de mais 20 luas que orbitam Saturno, o planeta se tornou o mais novo recordista detentor de satélites naturais do Sistema Solar com 82 luas!

O posto que era antes de Júpiter, com 79, agora está com Saturno que até o começo de 2019 era conhecido por possuir 62 luas.

Hipercultura- Imagem fornecida pela Carnegie Institution for Science
Imagem fornecida pela Carnegie Institution for Science (2019)

As 20 novas luas de Saturno

A descoberta das novas luas de Saturno foram anunciadas em outubro de 2019 pela International Astronomical Union’s Minor Planet Center. Cada um destes astros possui cerca de 5 quilômetros de diâmetro.

17 destas luas orbitam em direção oposta à rotação de Saturno chamadas de “direção retrógrada”. A mais distante deste conjunto leva mais de três anos para dar uma volta completa ao redor do planeta. As outras 3 acompanham a direção de rotação natural de Saturno, sendo que duas delas estão mais próximas do planeta e levam cerca de dois anos para completar uma volta completa.

Considerado o mais importante telescópio do Observatório Astronômico Nacional do Japão, o Subaru foi o responsável pela descoberta das 20 novas luas de Saturno. Ele fica localizado no Observatório de Mauna Kea no Havaí, em sua montanha mais alta.

Os cientistas acreditam que estas novas descobertas terão um papel fundamental para determinar como os planetas do nosso Sistema Solar se formaram e evoluíram.

As principais luas de Saturno: presença de água e potenciais candidatos para existência de vida fora da Terra

A primeira lua de Saturno foi descoberta em 1655. Ao longo de 200 anos, outras sete foram vistas por cientistas e apenas em 1997, astrônomos encontraram 18 novas luas na órbita do planeta.

A importante missão Cassini da NASA foi responsável por encontrar o restante das luas que conhecíamos até meados de 2019; até a recente descoberta das 20 novas luas de Saturno pelo telescópio Subaro.

Titã

Hipercultura-Titan-Saturno

A maior lua de Saturno é a segunda maior do Sistema Solar, perdendo apenas para Ganimedes, lua de Júpiter. Ela é a única lua do nosso sistema conhecida por apresentar uma atmosfera que consiste basicamente de Nitrogênio. Esse fato faz com que ela seja uma grande candidata a ter vida fora da Terra.

Titã é maior que o planeta Mercúrio. Essa gigante também possui nuvens, chuva, rios e lagos de hidrocarbonetos líquidos como Metano e Etano. Um astronauta poderia andar na superfície de Titã sem um traje de pressão, necessitaria apenas de uma máscara de oxigênio e proteção contra a temperatura média de menos 179 graus Celsius.

Encélado

Hipercultura-Enceladus-Saturno

Esta fascinante lua gelada tem funções fundamentais para Saturno. Encélado possui mais de 100 gêiseres no seu pólo sul. Estes gêiseres funcionam como jatos que lançam vapor de água e partículas de gelo originadas de um oceano subterrâneo.

As partículas lançadas por Encélado viajam a cerca de 400 metros por segundo e formam uma nuvem que se estende por quilômetros no espaço. Parte deste material cai novamente na lua e outras formam o vasto anel E de Saturno.

Jápetu

Hipercultura-Japetus-Saturno

Também conhecida como o yin e yang das luas de Saturno, Jápetu apresenta em seu hemisfério principal uma refletividade tão escura quanto o carvão e em seu hemisfério à direita uma superfície extremamente brilhante. Este contraste fascinou astrônomos por muitos anos.

Jápetu é a terceira maior lua de Saturno, possuindo um raio médio de 736 quilômetros. Acredita-se que esta lua seja formada por três quartos de gelo e um quarto de rocha.

Reia

Hipercultura-Reia-Saturno

A segunda maior lua de Saturno revelou em 2010 um dos mais extraordinários fatos: foi encontrada uma atmosfera bem fina contendo oxigênio e dióxido de carbono. Esta foi a primeira vez que uma nave capturou moléculas de oxigênio em um corpo solar fora da Terra.

Reia é uma lua que apresenta muitas crateras e seu corpo é composto de gelo, com traços de rocha misturados. Essa característica faz com que cientistas a comparem com uma bola de neve suja.

Tétis

Hipercultura-Tethys-Saturno

Observando as imagens de Tétis notamos uma enorme cratera e um grande vale. Esta cratera, chamada de Odisseu, é resultado de um impacto e domina grande parte do hemisfério ocidental da lua.

Este satélite natural viaja bem pertinho de Saturno e é influenciado pela força gravitacional do planeta. O calor de Saturno faz com que a superfície gelada de Tétis derreta e preencha crateras e outros sinais de impacto.

Os nomes mitológicos das luas de Saturno e suas origens

hipercultura-saturno-nomes-mitologicos

Os nomes das luas de Saturno estão relacionados aos mais fascinantes personagens das mitologias greco-romana, nórdica e céltica.

Estas associações foram sugeridas por John Herschel em 1847. Ele propôs o nome das figuras mitológicas associadas ao Titã Saturno que dava o nome do planeta. Com a descoberta de tantas novas luas, foi sugerido no Século XX a nomeação das luas de Saturno relacionados a personagens de outras mitologias.

Titã: São as figuras da mitologia grega que formavam uma raça de poderosos deuses que governaram a Idade de Ouro do cosmos. Os Titãs foram as entidades que enfrentaram Zeus em sua ascensão ao poder.

Encélado: Gigante do fogo criado para ser oponente de Atena na Gigantomaquia, guerra entre os gigantes e os deuses do Olimpo. Apesar de ser o mais fraco entre os gigantes da mitologia grega, ele era o mais inteligente.

Jápetu: Um dos doze titãs, era filho de Urano e Gaia. Ele era considerado o deus do tempo, da vida e da mortalidade, em especial, da morte violenta. Por isso era também conhecido como “o perfurador”.

Reia: Era uma titânide da mitologia grega, esposa e irmã de Cronos, o deus do tempo. Ela gerou os deuses da mitologia junto de Cronos. Um oráculo previu que Cronos seria derrotado por um de seus filhos, dessa forma ele passou a devorar todos eles. Zeus, no entanto, foi escondido por Reia na ilha de Creta para que isto não acontecesse.

Tétis: Filha de Urano e Gaia, a titânide era esposa e irmã de Oceano. Juntos, eles tiveram três mil oceânides e três mil rios como filhos.

Erriapu: Gigante da mitologia céltica, ele é o equivalente a Mercúrio, também chamado de Lugus. Um retrato de sua cabeça foi encontrado no sul da França, na região de Garona.

Jano: Deus romano das mudanças e transições, ele é representado com uma face dupla. Também associado a portas de entradas e saídas, simboliza o passado e o futuro.

Epimeteu: Filho do titã Jápetu e da ninfa oceânide Ásia, foi marido de Pandora, a mulher que abriu uma caixa que liberou todo o mal que caiu sobre a humanidade. Deste desastre, geraram Pirra.

Telesto: Na mitologia grega, era filha de Oceano e Tétis. Sendo uma oceânide tinha como associação as bênçãos divinas e o sucesso.

Prometeu: Na clássica história da mitologia grega, Prometeu era um titã filho de Jápeto que roubou o fogo e o entregou a humanidade. Este ato foi punido por Zeus. Ele o acorrentou e todos os dias uma águia comia seu fígado, que era regenerado no dia seguinte.

Mundilfari: Na mitologia nórdica era o pai de Sol e Muni, os deuses do sol e da lua. Na história, é contado que Mundilfari achava os filhos tão belos como os astro e por isso os batizou com estes nomes. Esta atitude ofendeu os deuses Aesir, que mandaram os filhos para o céu, obrigando-os a conduzir as carruagens que puxam os astros no céu dia e noite.

Narvi: Era o filho de Loki e Váli na mitologia nórdica. Sua história é contraditória: em alguns textos acredita-se que Narvi foi transformado em lobo pelos deuses e chegou a matar seu irmão Nari. Em outras versões, esses dois personagens são nomes diferentes para a mesma pessoa.

Ymir: Primeiro ser vivo a surgir na mitologia nórdica. Ele era um gigante de gelo que dormiu por eras. Seu suor gerou diversas criaturas, demônios, duendes e gigantes.

Calipso: Esta ninfa do mar da mitologia grega era notória por seu poder se sedução. Era filha de Oceano e Tétis, portanto uma oceânide. Seu filho mais importante foi Odisseu, personagem da Ilíada e da Odisséia de Homero.

Thrym: Rei dos gigantes do gelo na mitologia nórdica, Thrym roubou o martelo do poderoso Thor. Para devolvê-lo, ele pediu a mão de Freya em casamento. Thor, no entanto, foi quem colocou o vestido de noiva e fingiu o casamento com o rei Thrym. Quando seu “noivo” colocou o martelo no colo de Thor, o deus do trovão partiu a cabeça de Thrym e matou os convidados da cerimônia.

Explore agora outras curiosidades fascinantes sobre Saturno: