Os templários: quem eram, o que fizeram e como acabaram


Eles eram soldados que lutavam contra os inimigos de Cristo e ganharam enorme poder político e econômico por cerca de dois séculos na Europa e na Terra Santa. Até hoje, os Templários despertam interesses e questionamentos sobre seu papel histórico.  

bandeira dos Templários
Bandeira da cavalaria da Ordem dos Templários

Quem eram os Templários?

A Ordem dos Templários era um exército, com cerca de 20 mil cavaleiros franceses, formado para proteger Jerusalém após a cidade ter sido conquistada pelas Cruzadas no século XII. O grupo foi criado por Hugues de Payens, a partir do ano de 1139.

O nome veio por causa da ala que os soldados ocupavam no palácio real da cidade, que segundo a lenda popular havia feito parte do Templo de Salomão. Mas eles também respondiam por Cavaleiros Pobres de Cristo ou Cavaleiros do Templo de Salomão.

A Ordem unia a fé à coragem, o que gerou uma congregação militar fiel e destemida. Seus fundadores declararam o voto da pobreza, castidade e devoção. Por isso, a instituição tinha como símbolo dois cavaleiros montados no mesmo cavalo. A religiosidade ficava evidente no traje usado pelo exército: uma túnica branca com uma cruz vermelha estampada no peito. 

Templários
A ilustração reproduz o traje religioso e o traje de guerra dos Templários

O que fizeram?

Este exército foi fundamental no fortalecimento dos Estados cristãos implantados à força no Oriente Médio. Aparentemente, a função dos Templários era velar pela proteção dos peregrinos cristãos no território sagrado, porém eles foram muito além.

Em pouco tempo, o grupo ganhou poder político e econômico. Os cristãos foram incentivados a doar bens à Ordem. Eles receberam inúmeras doações de territórios e castelos europeus oferecidos por benfeitores com posses, e passaram a dominar economicamente parte da Europa. Além disso, por causa de sua força bélica, os Templários assumiram o papel de banqueiros, coletando tesouros e transportando essa riqueza entre a Europa e a Terra Santa. 

Há muitas lendas urbanas a respeito das realizações do grupo. Há quem diga que foram eles que financiaram as expedições marítimas que resultaram no descobrimento da América Latina; Ou que eles estavam por trás de conspirações que resultaram na Revolução Francesa; Muitos acreditam que os Templários fundaram a maçonaria e até que encontraram o Santo Graal, o cálice usado por Jesus na Santa Ceia. Mas nenhuma dessas hipóteses foi confirmada oficialmente por historiadores. 

Como acabaram?

O poder crescente dos Templários despertou a fúria de nobres e reis, como Felipe IV, rei da França, que tinha dívidas com o grupo e portanto resolveu enfrentá-los, ordenando o confisco de seus bens e a prisão dos cavaleiros. A perseguição se intensificou em outras regiões da Europa e a pressão fez com que o papa Clemente V determinasse que a organização fosse dissolvida. 

Clemente V fez acusações de heresia, difamação do nome de Deus, perversões sexuais e acusou os integrantes da Ordem de praticarem magia. Em 13 de outubro de 1307 todos os Templários da França foram presos. E assim, o exército foi torturado e exterminado em fogueiras como hereges.

Com o caminho livre, Felipe IV tentou tomar para si os tesouros da Ordem dos Templários, mas muitos deles desaparecem. Diz-se que esquadra dos Templários, que protegia a riqueza do grupo, nunca mais foi vista. Há rumores de que toda a riqueza dos Templários tenha ido parar em Portugal, na Inglaterra e mesmo na Escócia.

Edificações templárias abertas à visitação

Castelo de Tomar
O Castelo de Tomar, em Portugal, é um resquício das edificações dos Templários
  • Castelo de Tomar e Convento da Ordem de Cristo, em Tomar, Portugal
  • Capela de Villemoison, em Nièvre, França
  • Igreja Templária, em Midlands Ocidentais, Inglaterra
  • Capela dos Templários, em Laon, França
  • Casa dos Templários, em Caudebec-en-Caux, França
  • Castelo de Almourol, em Vila Nova da Barquinha, Portugal
  • Torre dos Dornes, em Ferreira do Zêzere, Portugal

Lendas que envolvem os Templários

A maçonaria

Uma das lendas ligadas a Ordem dos Templários diz que eles foram os criadores de uma das mais influentes e famosas sociedades secretas, a maçonaria. Historiadores indicam que quando o grupo começou a ser perseguido na França, eles se separaram e muitos se refugiaram na Escócia, onde apenas dois Templários haviam sido presos e ambos eram ingleses.

Embora esse território parecesse seguro, havia muito medo de serem descobertos e julgados como traidores. Logo, os soldados teriam usado seus conhecimentos da arquitetura sagrada e assumiram um disfarce para fazerem parte dessa nova sociedade, a maçonaria.

Desaparecimento da esquadra

Durante a Inquisição dos Templários, documentos diversos referem-se à prática de bruxaria. Além de temidos cavaleiros, eles eram também exímios navegadores e utilizavam sua frota para deslocamentos entre várias nações.

Devido ao número elevado de membros da Ordem, apenas os soldados franceses foram aprisionados. Em sua maioria, os cavaleiros de outras nacionalidades conseguiram fugir para outros países. No dia seguinte ao aprisionamento, diz-se que a esquadra zarpou durante a noite e desapareceu sem deixar registros.  

Morte dos inimigos

templário
Jacques de Molay foi o último Grão-Mestre da Ordem dos Templários a ser queimado na fogueira

Diz a lenda que o último Grão-Mestre da Ordem dos Templários, Jacques de Molay, quando foi queimado na fogueira em 1314, lançou uma maldição contra o Rei Felipe IV e o Papa Clemente V, dizendo que eles iriam encontrá-lo diante de Deus antes do fim daquele ano. O papa Clemente morreu apenas um mês depois, e Filipe morreu mais tarde naquele ano em um acidente de caça.

Muitos acreditam que a dinastia de Felipe IV foi amaldiçoada por Molay. Seu filho, Luís X reinou apenas por dois anos antes de morrer. Sua mulher estava grávida de um bebê, que viria a ser o novo rei, mas que viveu apenas por 5 dias. Então, o seu irmão Felipe V, o Alto, foi coroado aos 23 anos e morreu aos 29. Sem herdeiros, o trono da França foi para o seu tio, Carlos IV, que morreu seis anos depois. Como ele não tinha um herdeiro do sexo masculino, assim terminou a Dinastia Capetiana.

Sexta-feira, 13

Muitas histórias afirmam que a data de prisão dos Templários originou a associação da sexta-feira, dia 13, com o azar.  HIstoricamente, o número 13 já era associado à má sorte. Porém, quando o rei Filipe IV anunciou a prisão dos cavaleiros da Ordem dos Templários nessa data, uma sexta-feira, o dia da semana também começou a ser ligado à superstição.  

Quais as maiores religiões do mundo e onde elas se concentram?