Conheça Ártemis, a deusa da Lua na mitologia grega


Ártemis, chamada por alguns de Artemisa ou mesmo Artemísia e de Diana pelos romanos, é a deusa da Lua na mitologia grega. É também a deusa da caça, da vegetação, dos animais, da fertilidade e da castidade. Protetora das jovens mulheres, dos animais domésticos e dos campos, a casta Ártemis também é conhecida pela crueldade com que trata os que ousam contrariar sua vontade.

Ártemis Diana
Detalhe da estátua de Ártemis (Diana) no Museu do Louvre, em Paris.

Seu culto na Grécia Antiga era tão importante que a deusa Ártemis ganhou no século VI a.C. um enorme templo na antiga cidade de Éfeso, hoje reconhecido como uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo.

A deusa da Lua na mitologia grega

Segundo o Dicionário de Mitologia Grega e Romana, do historiador Georges Hacquard, Ártemis é filha de Zeus e Leto, fruto de uma aventura extra-conjugal do deus dos deuses com a filha dos Titãs Febe e Céu. Tal como seuirmão gêmeo Apolo, Ártemis é uma divindade associada à luz. Daí o epíteto "A Brilhante".

Se Apolo é a divindade do calor, sua irmã gêmea ficou a claridade noturna. Apolo é o deus grego do Sol. Ártemis, a deusa da Lua.

Ártemis deusa da Lua
Pintura do século XVIII, do italiano Pietro Rotari, mostra a deusa da Lua apoiando-se em uma árvore.

Ártemis: uma deusa devotada à castidade

Já dissemos que Ártemis tem muitas atribuições. Algumas delas soam até contraditórias. Ora, como uma deusa da fertilidade pode estar ao mesmo tempo associada à castidade? Pois Ártemis é assim mesmo.

Logo após nascer, Ártemis não só decidiu jamais amar em sua vida como também ordenou a todas as ninfas que andavam com ela a fazer o mesmo. Caso alguém ousasse desafiá-la, fosse uma ninfa ou um homem desavisado, aí o gênio vingativo de Ártemis entrava em ação.

Ártemis não tolerava ser contrariada

Sabe aquele papo de que tal pessoa não é flor que se cheire? Essa expressão popular é totalmente aplicável à deusa Ártemis. Quem ousasse violar sua castidade - ou mesmo sua intimidade - estava com sérios problemas.

Que o diga Acteon, filho de Aristeu, neto de Apolo. Portanto, sobrinho-neto de Ártemis. Certo dia Acteon ousou espiar a bela Ártemis tomando banho no rio. Quando a deusa se deu conta de tamanho atrevimento, transformou-o imediatamente num veado, que logo em seguida foi devorado pelos cães que o acompanhavam!

Como Ártemis matou Órion

Órion
Tela de Daniel Seiter, de 1685, mostra Ártemis observando o cadáver de Órion.

Parece que o voto de castidade de Ártemis sofreu um abalo quando ela conheceu Órion. Segundo o historiador francês Georges Hacquard, há duas versões para o mito de Ártemis e Órion.

Uma delas diz que foi Apolo quem se intrometeu para frear o desejo da irmã, encantada com a beleza de Órion. Enciumado, ele teria convencido a irmã a atingir com uma flecha um objeto em alto-mar - que na verdade era a cabeça de Órion! Como estavam a uma grande distância desse suposto objeto, Ártemis não se deu conta da natureza de seu alvo. Exímia arqueira, ela acertou em cheio.

Quando se deu conta do que fez, Ártemis colocou o caçador lá no céu, dando origem à constelação de Órion.

Outra versão diz que Ártemis matou Órion porque este se insinuou para cima dela durante uma caçada. Ela usou de seus poderes para fazer surgir do chão um escorpião, que desferiu uma picada mortal em Órion. Satisfeita com a eficácia do escorpião, transformou-o num conjunto de estrelas. Segundo o mito, foi assim que surgiu a constelação de Escorpião.

Como a ninfa Calisto foi morta por Ártemis

Calisto era uma das 80 jovens ninfas que viviam com Ártemis na região montanhosa da Arcádia. Lá elas passavam o dia se divertindo e caçando. Uma lei jamais deveria ser quebrada: todas, sem exceção, deveriam permanecer solteiras.

Ártemis Calisto ninfas
Pintura do século XVI do italiano Palma Vecchio intitulada Diana e Calisto.

O problema é que Zeus era gamado na bela Calisto. E era difícil segurar Zeus quando ele punha alguma coisa na cabeça.

Bom, nem é preciso entrar em detalhes: Calisto engravidou de Zeus, despertando o ódio mortal de Hera, esposa do pai dos deuses. Hera, então, transformou Calisto em ursa. Durante uma de suas caçadas, Ártemis matou Calisto por engano. O bebê Arcas foi retirado do útero da mãe. A bela Calisto foi transformada na constelação da Ursa Maior.

Leia também: Conheça a história de Zeus, o maior deus da mitologia grega

Ártemis: deusa da caça e da natureza selvagem

Um traço essencial da personalidade de Ártemis é o seu espírito caçador. Essa é uma característica que vem de berço, já que logo após nascer a deusa pediu para o seu pai Zeus, além da virgindade eterna e das jovens ninfas para lhe servirem de damas de honra, um arco e uma flecha para poder caçar. Por isso, a deusa Ártemis é geralmente representada como uma arqueira.

Outro pedido da deusa ao seu generoso pai foi um lugar para morar: as montanhas da Arcádia. Nesse local, a deusa e sua legião de ninfas viviam em meio à natureza selvagem e próximo dos animais silvestres. É comum que animais selvagens, como veados, apareçam ao lado dela em representações artísticas. Há casos em que ela é acompanhada por cães de caça.

Ártemis Diana
Escultura da deusa da caça no Museu do Louvre, em Paris.

Deusa da fertilidade e dos partos

Uma das atribuições da deusa Ártemis, valorizada especialmente na cidade de Éfeso, é a fertilidade. Segundo o mito, o nascimento de Ártemis e seu irmão gêmeo Apolo foi bastante difícil. Isso porque Leto estava sendo impedida de parir os gêmeos devido à fúria ciumenta de Hera, a esposa traída de Zeus. Ela bem que tentou impedir o nascimento dos gêmeos bastardos, detendo no Olimpo a deusa dos partos.

Após dias de sofrimento, a deusa dos partos foi libertada e Leto deu à luz Ártemis na ilha de Ortígia, próxima de Éfeso. Um dia depois, nasceu Apolo, na ilha de Delos, e diz a lenda que a recém-nascida Ártemis até auxiliou no parto no irmão. Que bebê prodígio, não é mesmo? É por isso que ela ganhou os atributos da fertilidade e do parto.

Leia também: Saiba tudo sobre Apolo, o deus do Sol nas mitologias grega e romana

Ártemis, padroeira das mulheres jovens

Devido a esse atributo, a deusa Ártemis passou a ser adorada pelas meninas e pelas jovens solteiras. A deusa protegia as mulheres na transição da infância para a fase adulta, assegurando-lhes fertilidade na vida conjugal. Além disso, Ártemis também garantia a proteção das mulheres durante o parto.

Gostou desse conteúdo? Leia também:

Tudo o que você precisa saber sobre os deuses da mitologia grega